Ligue 1

Sobre encaixar as três estrelas, Pochettino diz: “Não é fácil, mas não é tão complicado quanto pensam”

Prestes a enfrentar o Real Madrid pela Champions League, o técnico do PSG elogiou Mbappé e Messi e disse que Neymar está próximo de voltar

Mauricio Pochettino não acredita que o resultado das oitavas de final da Champions League entre Paris Saint-Germain e Real Madrid, que começam na próxima terça-feira, serão determinantes ao futuro de Kylian Mbappé, disse que Lionel Messi está em seu melhor momento na temporada e que Neymar ainda é dúvida para o confronto contra os espanhóis.

Em entrevista à Cadena Ser, o técnico do PSG tocou em diversos assuntos, inclusive na espinhosa especulação de que Mbappé, a alguns meses do fim do seu contrato, estaria se dirigindo ao Real Madrid e se o resultado do confronto faria alguma diferença em seu processo de decisão. Também deu atualizações sobre a missão de encaixar as três estrelas em um time equilibrado.

“Não acredito que uma decisão tão importante passe por um jogo ou uma eliminatória. É um garoto inteligente, maduro, com uma tremenda capacidade de análise e que sempre sabe o que quer para sua carreira e futuro. Com gente ao redor que o aconselha da melhora maneira. Não acredito que seja o caso. Eu o vejo tranquilo, concentrado em fazer o melhor para o PSG. Temos que respeitá-lo e ele tomará uma decisão depois da eliminatória”, disse.

Pochettino espera que Mbappé passe a carreira inteira no PSG porque seria um “bom sinal para o clube” e avalia que o francês está entre os cinco melhores jogadores do mundo. “É um ser humano incrível. Um garoto com empatia e carisma incríveis. A língua ajudou porque fala perfeitamente inglês e espanhol. No começo, eu penava para me relacionar pelo francês e isso nos deu uma proximidade especial. É um garoto com carisma excepcional. Passa uma energia incrível. A verdade é que é uma sorte poder trabalhar neste momento com ele e outros grandes jogadores”, afirmou.

Entre esses grandes jogadores está Lionel Messi, que teve pequenas lesões no começo da temporada e Covid-19 na virada do ano, mas Pochettino acredita que ele está chegando ao seu auge em um momento decisivo da temporada. “Leo é um gênio. Algo fora do comum. É um desses jogadores que surgem a cada 100 anos. Tudo que deu à equipe tem sido incrível, além das circunstâncias que viveu desde que chegou. Não teve sorte, mas sempre manteve a tranquilidade. Está em sua plenitude, no seu melhor momento. Está em um momento de maturidade incrível e chega a este momento do campeonato em seu melhor momento. Não tenho nenhuma dúvida de que mostrará sua melhor versão”, completou.

Após Mbappé e Messi, Pochettino também teria que falar de Neymar, que, novamente machucado, não entra em campo desde novembro. Próximo de retornar, ainda não é certeza que enfrentará o Real Madrid. “Pode ser que sim, pode ser que não. Sua evolução está sendo fantástica. Eu vejo Neymar próximo de voltar ao grupo e ao time. Os próximos dias serão chave para saber se poderá estar ou não no jogo de terça-feira”, explicou.

Desde o começo da temporada, a principal missão de Pochettino tem sido encaixar as três estrelas em um time equilibrado e competitivo. Não está exatamente brilhando até agora, apesar da liderança no Campeonato Francês. Teve alguns problemas na fase de grupos da Champions League e foi eliminado precocemente na Copa da França. A pressão aumentou, especulações dizem que será trocado por Zinedine Zidane ao fim da temporada. Mas ele está mais preocupado em acertar seu time.

“A verdade é que nada é fácil. Para nenhum treinador é fácil. Muitas vezes sorrimos entre nós. Hoje em dia, qualquer jogador de qualquer equipe, de qualquer nível, de qualquer divisão… não gosta de sair de campo. Ficam irritados com treinadores, companheiros. Quando você vê no treinamento a humildade que esses têm, o compromisso com o time… falamos de jogadores que estão há muitos anos no melhor nível. Isso o deixa contente”, disse.

“Não é fácil, mas não é tão complicado quanto as pessoas pensam, ou como opinam de fora, sem ter conhecimento de trabalhar com eles. No fim, não há comissões técnicas que podem dizer que treinaram esses três. Não há um livro ou um manual que diga como administrar. Isso é algo novo, algo que o PSG criou e nós temos que ter a capacidade, dia a dia, de tratar desses artistas da bola. Se formos capazes de fazer com que isso funcione da melhor maneira, seria algo incrível”, encerrou.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo