Ligue 1

PSG diminuiu a diferença para o Lille, mas ainda dependerá de tropeço na última rodada para ser campeão

O Lille chega à última rodada com um ponto de vantagem na liderança, precisando apenas vencer o Angers para ficar com a Ligue 1

A penúltima rodada do Campeonato Francês foi boa para o Paris Saint-Germain. Mas não foi ótima. O título ainda está indefinido, e a diferença para o líder caiu para apenas um ponto, mas o atual tricampeão nacional precisará torcer por mais um tropeço do Lille para manter a sua hegemonia, após golear o Stade Reims, por 4 a 0, e comemorar o empate por 0 a 0 do adversário com o Saint-Étienne.

A matemática é bem fácil. O Lille tem 80 pontos, o Paris Saint-Germain tem 79, e falta um jogo. O líder precisa vencer o Angers para não depender dos resultados do segundo colocado. O PSG precisa de um resultado melhor que o do Lille e, em caso de empate em pontos, leva vantagem porque tem um saldo de gols maior – 56 x 40. Seu último compromisso será contra o Brest, quatro dias depois de fazer a final da Copa da França contra o Monaco.

O Monaco bateu o Rennes, por 2 a 1, e também pode chegar aos 80 pontos na última rodada, mas ainda teria que tirar uma diferença de seis gols no saldo e torcer por uma derrota do PSG. Sua briga de fato é pelo terceiro lugar, que vale a última vaga na Champions League, com o Lyon, que aplicou 5 a 2 no Nîmes. O time do Principado tem um ponto a mais e fecha a campanha contra o Lens, em sexto lugar. O Lyon pega o Nice.

Standings provided by SofaScore LiveScore

O jogo contra o Reims foi resolvido bem rapidamente. Logo aos 10 minutos, Di María soltou Mbappé nas costas da defesa, o atacante francês passou pelo goleiro e bateu para abrir o placar. No entanto, Yunis Abdelhamid se jogou de carrinho e bloqueou a bola com o braço. Foi expulso, e Neymar fez 1 a 0 de pênalti.

Aos 24 minutos, mesmo com todo o time do PSG dentro da sua área, Thomas Foket tentou sair jogando curto, mas deu um passe muito ruim para a entrada da pequena área. Mbappé estava esperto, interceptou batendo de primeira e ampliou para os donos da casa.

O Reims não parecia muito ligado no jogo. No segundo tempo, foi a vez de o goleiro Pedrag Rajkovic vacilar na saída de bola. Mbappé roubou e rolou para Di María chegar batendo. Rajkovic, pelo menos, se recuperou e espalmou para escanteio. Dez minutos depois, Marquinhos fez 3 a 0, de cabeça, após canto cobrado por Neymar, e Moise Kean fechou a goleada com um chute da entrada da área.

.

O Lille sofreu poucos riscos contra o Saint-Étienne, mas não conseguiu encontrar o gol que precisava para ficar em uma situação ainda melhor na última rodada. Teve algumas situações esporádicas antes dos minutos finais, quando acertou a trave e teve uma bola cortada quase em cima da linha na sequência.

Zeki Çelik chegou batendo, perto da trave, após Yilmaz fazer a parede, e Luis Araújo puxou um ótimo contra-ataque pelo maio antes de soltar com Yilmaz. O turco devolveu na medida, mas, de frente, Araújo mandou para fora. No segundo tempo, outro ótimo contra-ataque de Araújo, mas o passe saiu um pouco forte demais. Yilmaz ainda conseguiu recolher e cruzou rasteiro. Bem marcado, Jonathan Bamba fez contato e mandou para fora.

Aos 45 minutos do segundo tempo, o Lille teve uma falta pela ponta direita, quase no bico da grande área. Todos esperavam o cruzamento. Faltou combinar com Yusuf Yazici, que mandou direto no pé da segunda trave. A jogada seguiu com o Lille no campo de ataque e chegou a Yilmaz, de frente para o gol. Ele bateu de primeira, e Saïdou Sou, ao lado do goleiro Etienne Green, fez o corte.

O Lille tinha um empate para gastar e o fez contra o Saint-Étienne. Para ser campeão, precisará (provavelmente) vencer o Angers no próximo fim de semana.

.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo