Ligue 1

O Lyon ganhou a primeira na Ligue 1, mas dependeu de uma atuação intransponível de Anthony Lopes

Anthony Lopes realizou cinco defesas, incluindo algumas milagrosas, para segurar o Nantes fora de casa

O Lyon começou a Ligue 1 bem longe de cumprir os prognósticos iniciais para o clube. Memphis Depay saiu, é verdade, mas os Gones fizeram uma boa campanha na temporada passada e ainda trouxeram Peter Bosz ao comando. Não deu liga por enquanto. Depois de três rodadas sem vencer, o clube finalmente registrou seu primeiro triunfo nesta sexta-feira. Só não seria um resultado tão fácil assim. Visitando o Nantes no Estádio de la Beaujoire, o placar de 1 a 0 entra muito na conta do goleiro Anthony Lopes. Especialmente durante o primeiro tempo, o camisa 1 colecionou milagres que garantiram o resultado.

Quando o marcador ainda não tinha se movimentado, Anthony Lopes salvou um balaço de fora da área. O gol da vitória do Lyon aconteceu aos 35 minutos, com Moussa Dembélé aproveitando o rebote de um chute de Lucas Paquetá para assinalar. Antes do intervalo, porém, Lopes se agigantou. Foram mais duas defesaças, sobretudo em cabeçada à queima-roupa de Jean-Charles Castelletto. Já no segundo tempo, Alban Lafont foi exigido pelos atacantes do Lyon, mas Lopes ainda realizou mais duas boas intervenções. E os visitantes precisaram se segurar na defesa durante a reta final, com Damien da Silva expulso aos 33 minutos. O apito final valeu o triunfo e o alívio.

O Lyon tem cinco pontos na Ligue 1. Nas três primeiras rodadas, os Gones empataram com Brest e Clermont, além de perderem para o Angers. Já o Nantes soma quatro pontos, com a segunda derrota consecutiva, depois de perderem para o Rennes no final de semana passado. Se o Lyon ainda não dá sinais do bom futebol da temporada anterior, ao menos sabe que continuará contando com seu goleiro para ganhar posições na tabela.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo