Ligue 1

O Lyon deve perder talentos, mas reage bem ao fechar com Bertrand Traoré por €10 milhões

O Lyon corre sérios riscos de ser um dos clubes mais depenados do mercado de transferências. Corentin Tolisso e Mathieu Valbuena foram os primeiros a deixar os Gones, em debandada que deve ser maior, especialmente diante das especulações sobre os jovens talentos do clube. Em contrapartida, a diretoria já se movimenta para repor as peças perdidas. E, nesta segunda, fizeram o primeiro anúncio interessante para 2017/18. Por €10 milhões, os franceses fecharam a contratação de Bertrand Traoré, assinando até 2022. Ao que tudo indica, o atacante de 21 anos será o potencial substituto de Alexandre Lacazette, o mais comentado no mercado.

A adaptação na Ligue 1 não deve ser problema para Traoré. O burquinense mudou-se para a França aos 13 anos de idade, aportando às categorias de base do Auxerre, em negócio facilitado por seu irmão Alain – sete anos mais velho e atacante do clube na época. O talento de Bertrand não demorou a repercutir e, em 2013, ele transferiu-se ao Chelsea. Contudo, teve poucas chances em Stamford Bridge, por mais que aproveitasse seus empréstimos ao Campeonato Holandês. Primeiro, fez sucesso nos dois anos em que defendeu o Vitesse. A ascensão valeu algum espaço com José Mourinho em 2015/16, mesmo que as aparições pelos Blues tenham sido esporádicas. Então, outra vez emprestado na última temporada, o jovem protagonizou o Ajax.

Traoré passou excelentes meses com os Godenzonen. A participação na Copa Africana de Nações não impediu que ele se firmasse no ataque de Peter Bosz, seja como centroavante ou ponta direita. Ajudou o time a chegar ao vice-campeonato holandês e, principalmente, a disputar uma final continental depois de 21 anos. Suas atuações foram fundamentais na Liga Europa, sobretudo nas semifinais contra o Lyon, quando marcou dois gols e deu uma assistência. Certamente valeu para os Gones buscarem o negócio nas semanas posteriores. Por seu estilo de jogo, deve se encaixar com facilidade na equipe vertical e veloz dos franceses.

Nesta segunda, Traoré já falou como jogador do Lyon: “Eu realmente queria jogar aqui. Faz mais de um ano que estamos em contato com o Lyon, mas, no primeiro momento, eu escolhi o Ajax. O Lyon voltou a me procurar em janeiro e, depois de me informar sobre o clube, escolhi vir. O novo projeto do clube, a sua filosofia e o seu estilo de jogo, parecido com o do Ajax, me convenceram que esta era a escolha perfeita para mim. Quero continuar progredindo e este será o lugar ideal. Por minha idade e por minha progressão, era hora de deixar o Chelsea. Eu fiz de tudo para ganhar mais tempo de jogo, mas não aconteceu o que planejei, e não gostaria que acontecesse de novo nesta temporada. Eu tinha que encontrar estabilidade, em um clube no qual possa jogar em um dos papéis principais. Farei de tudo pelo Lyon”.

Neste primeiro momento, Traoré pode ser uma opção na ponta direita, por onde rodaram Rachid Ghezzal, Maxwel Fekir, Nabil Fekir e Mathieu Valbuena na última temporada. De qualquer maneira, considerando a multifuncionalidade do burquinense, como muitos outros jogadores do Lyon, não será surpreendente que ele se encaixe em mais posições. Sobretudo, como homem de referência no ataque, oferecendo incisividade e mobilidade. Algo que já fez em outros tantos momentos da carreira, e talvez se prove necessário, dependendo dos rumos da janela de transferências para os Gones.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo