Ligue 1

Nuno Mendes chega ao PSG como a peça que faltava, para tentar solucionar a carência na lateral esquerda

Destaque no Sporting campeão, Nuno Mendes chega por empréstimo com opção de compra ao PSG

As laterais quase sempre foram um problema do Paris Saint-Germain durante os últimos anos. Os donos do clube podiam gastar muito para contratar atacantes, mas negligenciavam as escolhas para o lado do campo. Muitas vezes, esse erro na estratégia de mercado teve seu preço caro pago dentro de campo. Porém, numa janela de transferências em que os parisienses quebraram a banca (num gasto desenfreado em salários que gera indagações), pelo menos as laterais foram contempladas com bons jogadores. Achraf Hakimi não demorou a apresentar seu cartão de visitas pela direita. Agora, para conferir mais capacidade, chega Nuno Mendes à esquerda. O português de 19 anos vem por empréstimo com opção de compra, após se tornar um dos melhores do Sporting que quebrou o jejum na temporada passada.

Desde a chegada dos catarianos ao Parc des Princes, muita gente já passou pelas laterais do PSG. O primeiro reforço ao setor foi Maxwell, de bons desempenhos, por mais que não fosse exatamente um fora de série. Acompanhava-o na época o esforçado Christophe Jallet pela direita. Depois disso, os parisienses fizeram muitas tentativas e quase sempre se frustraram. Nomes como Gregory van der Wiel, Lucas Digne, Serge Aurier e Thomas Meunier não desabrocharam. Nem mesmo Daniel Alves foi aquilo que se imaginava em Paris. E o atual grupo de laterais se encaixa nos poréns. Layvin Kurzawa é útil, mas não na medida em que se apostava. Juan Bernat mal joga pelas lesões e tantas vezes foi usado em posições mais ofensivas. Improvisar zagueiros como Thilo Kehrer e Abdou Diallo virou o padrão.

Hakimi mostrou como o investimento certeiro num lateral pode gerar efeitos. O marroquino custou caro, mas vinha de ótimas temporadas com o Borussia Dortmund e com a Internazionale. É um jogador ultraofensivo, que por vezes deixa muitos espaços na marcação, mas seu saldo costuma ser bem mais positivo pela maneira como consegue criar aos companheiros e aproveitar o corredor. Não à toa, em quatro partidas pela Ligue 1, acumula duas assistências e um gol.

Nuno Mendes não é uma certeza como Hakimi. O português fez uma temporada em alto nível, exatamente a primeira como titular do Sporting. Talvez possa decepcionar como um Digne ou um Van der Wiel em outros tempos. Ainda assim, os motivos da contratação são bastante explícitos. O garoto de 19 anos era uma peça fundamental na engrenagem da equipe de Rúben Amorim, rumo à conquista do Campeonato Português. Não contribui tanto com gols ou assistências, como Hakimi. Todavia, é um jogador muito técnico e bom no apoio, além de ser melhor em suas atribuições defensivas que o marroquino – ou mesmo que Bernat. A tendência, todavia, é aproveitar suas subidas (e de Hakimi) num esquema com alas.

O reconhecimento a Nuno Mendes aconteceu através da seleção portuguesa. O novato foi convocado pela primeira vez na Data Fifa de março e já virou titular em duas partidas. Tinha até quem apostasse que ele tomaria a posição na Euro 2020, mas, com problemas físicos, acabou mesmo no banco de Raphaël Guerreiro. De qualquer maneira, estava claro para o Sporting que sua mudança para outro clube seria questão de tempo. E se até parecia que o defensor ficaria no Estádio José Alvalade por mais um ano, o PSG acabou provocando uma alteração de rumos no último dia da janela de transferências.

Nuno Mendes chega por empréstimo, mas com um custo de €7 milhões neste primeiro momento, o que já indica o tamanho da aposta e o tamanho da necessidade do PSG. Caso seja comprado em definitivo, o português custará mais €40 milhões aos parisienses na próxima temporada. E o negócio ainda envolveu a saída de Pablo Sarabia, que foi emprestado ao Sporting por um ano, mas sem cláusula de compra no contrato. Foi uma cartada grande dos parisienses em seu novo lateral, que toma a posição de Abdou Diallo.

Nuno Mendes concluiu o mercado estelar do PSG. O clube ganhou novos jogadores em praticamente todos os setores: Gianluigi Donnarumma, Sergio Ramos, Achraf Hakimi, Georginio Wijnaldum e Lionel Messi. O novo lateral esquerdo é exatamente o menos conhecido de todos esses. Em compensação, acaba se tornando uma peça fundamental pelo encaixe que pode permitir e pela carência que deve resolver. E chega podendo se tornar uma solução para muitos anos no clube.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo