Ligue 1

Mbappé faz história, PSG vence, mas Lille mantém a liderança – a 32ª rodada da Ligue 1

Monaco e Lyon seguem vivos, enquanto Nantes padece - confira o balanço oficial da Ligue 1 Uber Eats

* Conteúdo oficial da Ligue 1

A 32ª rodada da Ligue 1 Uber Eats ficou marcada por Kylian Mbappé. O atacante francês de 22 anos, nascido em Paris no dia 20/12/1998, chegou ao seu 101º gol após marcar o primeiro gol do Paris Saint-Germain na goleada por 4 a 1 sobre o Strasbourg. Com isso, o jovem se tornou o atacante em atividade que mais gols marcou na Ligue 1. Ao total, foram 85 pelo Paris Saint-Germain e outros 16 pelo AS Monaco.

Apesar da marca pessoal do atacante e da goleada por 4 a 1, o PSG se manteve na segunda colocação da Ligue 1 já que o Lille voltou a vencer. Os 2 a 0 sobre o Metz, fora de casa, levou o Lille aos 69 pontos contra os 66 do clube parisiense restando apenas seis rodadas para o fim desta edição 2020-2021.

Monaco e Olympique Lyon também venceram e seguem vivos no sonho de conquistar o título desta edição. O time do principado aplicou um 3 a 0 sobre o lanterna Dijon enquanto o Lyon, que vinha de recentes tropeços, aplicou os mesmos 3 a 0 sobre um oscilante Angers. Com isso, os dois seguem vivos na busca pelo título e, também, pelas vagas para a Liga dos Campeões da Europa.

“Uma rodada a menos para o título”, devem ter pensado os torcedores do Lille.

Entretanto, apesar do placar sugerir uma vitória mais tranquila, os 2 a 0 sobre o Metz não representaram o que se viu dentro de campo.

Nem de longe o Lille se pareceu com aquele time que soube o que fazer para derrotar o poderoso PSG na rodada passada. Em uma exibição abaixo do usual, o clube do Norte da França teve em Mike Maignan, seu goleiro, sua principal figura no confronto.

Ele foi providencial para salvar a sua equipe de sofrer o primeiro gol após pênalti bobo cometido pelo zagueiro português José Fonte.

Maignan fez uma linda defesa em seu canto direito na cobrança do centroavante Leya Iseka quando a partida estava 0 a 0 ainda aos 15′ da primeira etapa.

Com um Metz melhor, chutando mais e criando mais chances, o gol não saiu novamente por causa das boas intervenções de Maignan.

O panorama da partida só mudou no segundo tempo quando o Lille voltou com uma postura um pouco mais ofensiva.

A postura surtiu efeito e aos 15′ do segundo tempo, o atacante turco Yilmaz, substituto de Jonathan David, se livrou da marcação e recebeu a bola pelo lado direito da defesa. Com um chute forte no canto esquerdo, ele abriu o placar: 1 a 0.

Após o gol, com a partida controlada já que o Metz apresentou um cansaço que o impediu de buscar o empate ou até a virada, já que o time finalizou mais durante toda a partida, o Lille chegou ao segundo gol com outro turco.

Çelik, lateral-direito que substituiu Diallo, marcou aos 44′ da etapa final e fechou a conta. O lance do gol se originou após cobrança de escanteio pelo lado direito do ataque do Lille. Ao invés de lançar na área, Çelik se aproximou e recebeu o passe para fazer o tempo passar, mas sem marcação, ele avançou, entrou na área e chutou forte no canto direito de Oukidja, que nada pôde fazer.

Com o resultado, o Lille alcançou sua 11ª partida sem perder como visitante e, de quebra, deu mais um passo rumo ao título. Com 69 pontos, o Lille se mantém três pontos na frente do PSG.

Se no início da rodada três pontos separavam Lille do PSG, na hora em que a partida do PSG iniciou, seis pontos eram a diferença na classificação já que o Lille já havia vencido seu compromisso na rodada.

O que poderia uma pressão a mais parece ter sido combustível para a excelente atuação do artilheiro do campeonato: Mbappé marcou, deu assistência e foi um dos principais nomes da partida em que o PSG aplicou uma goleada de 4 a 1 sobre o Strasbourg.

Apesar do placar, foi do Strasbourg a primeira chance de gol. O chutaço de Thomasson de fora da área bateu na trave direita de Navas e poderia ter mudado a história da partida.

Como não mudou, Mbappé entrou em ação e abriu o placar aos 16′ em lance que ele bailou na frente da defesa adversária. Após isso, ele puxou para sua perna esquerda e, apesar do pouco ângulo, chutou forte, rasteiro e cruzado. A bola passou entre as pernas do goleiro Sels.

Com a vantagem no placar, o PSG recuou e passou a jogar no contra-ataque, fato que obrigou ao Strasbourg sair ao ataque e, desorganizado, deixou sua defesa exposta. Com isso, o PSG se aproveitou.

Após avanço do volante Danilo Pereira, que voltou a atuar improvisado na zaga por causa da lesão de Marquinhos, a bola chegou a Pablo Sarabia. Os espaços cedidos pela defesa adversária ajudaram e ele só teve o trabalho de puxar pra direita e chutar forte e cruzado para ampliar: 2 a 0 PSG aos 27′ da etapa inicial.

O PSG ainda faria seu terceiro gol ainda no primeiro tempo: Kean se movimentou com rapidez dentro da área e recebeu passe de Mbappé que avançou com a bola pelo meio. Ao se aproximar da bola o atacante chutou de primeira com força e ampliou: 3 a 0 PSG aos 45′.

Com 3 a 0, o segundo tempo foi mais devagar. O Strasbourg até tentou se aproveitar da diminuição do ritmo do time da capital e marcou aos 18′ da etapa final com Sahi, mas Leandro Paredes, aos 34′ daria números finais: 4 a 1 PSG.

Com o resultado, o PSG permanece três pontos atrás do Lille e, seu saldo de gols amplamente superior lhe garante a liderança em caso de empate no número de pontos com o Lille.

Monaco e Lyon também venceram bem. Ambos por 3 a 0 sobre Dijon e Angers respectivamente.

O Monaco, de Niko Kovac, chegou aos 3 a 0 com Jovetic abrindo o placar além de dois gols do artilheiro Ben Yedder, que voltou a marcar muitos gols nas últimas rodadas.

Já no Lyon, de Rudi Garcia, viu seu principal artilheiro, Memphis, voltar a marcar depois de um incômodo jejum. De quebra, foram dois logo, enquanto o brasileiro Lucas Paquetá também deixou sua marca.

A partida contra o lanterna não apresentou riscos ao Monaco. Sem ser ameaçado, o clube apenas demorou para marcar por alguma dificuldade inicial de furar a retranca adversária. As mudanças de Niko no intervalo, promovendo Ben Yedder e Fàbregas na equipe titular, deixaram um time mais ofensivo e criando mais jogadas e, desta forma, chegou ao resultado sem grandes problemas.

Já no Lyon, algumas mudanças nos onze iniciais após as últimas rodadas, com a promoção do lateral-esquerdo Cornet, do meia Caqueret e do centroavante Slimani, surtiram efeito e o Lyon dominou o Angers desde o início da partida. Aos 21′, Depay marcou, aos 41′ Paquetá ampliou e, no final, aos 38′ da etapa final, Memphis guardou seu segundo gol na partida.

12 pontos atrás do Lyon, o Lens manteve a quinta colocação após derrotar o Lorient por 4 a 1. Com gols de Kakuta, Jean, Kalimuendo e Banza, o Lens chegou aos 52 pontos e abriu três do Olympique de Marseille, treinado pelo argentino Jorge Sampaoli.

O time de Marselha vencia até aos 48′ do segundo tempo e sofreu o empate nos acréscimos na partida contra o Montpellier. Laborde, autor do gol de empate, marcou seu segundo gol na partida e decretou os números finais em um agitado 3×3. O empate levou o Olympique de Marseille aos 49 pontos, fato que lhe manteve a sexta colocação.

Outro fato interessante foi o gol mais rápido da Ligue 1.

Andy Delort, com 28 segundos apenas, abriu o placar para o Montpellier, dando um sinal de que o dia não seria fácil para os comandados de Jorge Sampaoli, que ainda contou com a expulsão de Caleta-Car aos 17′ do segundo tempo.

E quem se afastou de vez da zona de rebaixamento foi o Saint-Étienne.

Mesmo ao sair atrás do placar – aos 9′ o coreano Hwang Ui-jo fez 1 a 0 – o Saint-Étienne aplicou um sonoro 4 a 1 sobre o Bordeaux com três gols de Wahbi Khazri, sendo dois em cobranças de pênaltis. Além dele, Youssouf marcou e fechou o placar.

Com a vitória, o ASSE chegou aos 39 pontos e se afastou de vez do perigo.

Quem está cada vez mais afundado na lama do rebaixamento é o Nantes.

Com gol de Martin Terrier, o Rennes venceu por 1 a 0 e aplicou a 14ª derrota na temporada. Com 28 pontos, o Nantes tem o Nîmes e Lorient como seus principais adversários na luta contra o rebaixamento e repescagem.

Um pouco acima deles, com 36 pontos, estão Strasbourg – que levou 4 do PSG -, Bordeaux – que levou outros 4 do Saint-Étienne – e Brest, que empatou em 1 a 1 com o Nîmes.

Caso não abram os olhos e não passem a jogar um melhor futebol poderão ter que lutar contra o sufoco do rebaixamento para a Ligue 2.

Mbappé, Ben Yedder e Memphis marcaram na 31ª rodada.

Mbappé somou mais um gol para conta, enquanto Ben Yedder e Depay fizeram dois gols cada.

Já Boulaye Dia passou a rodada em branco, enquanto Kevin Volland, doente, nem sequer entrou em campo.

No 1º tempo, Kylian Mbappé foi fundamental contra o Strasbourg. Ele marcou um gol e uma assistência.

Já na etapa final foi Leandro Paredes quem brilhou.

O volante argentino marcou aos 34’ da etapa final em cobrança de uma falta sofrida por Mbappé.

Depois do apito final, Mauricio Pochettino falou sobre a vitória:

O líder Lille, que enfrentou o Metz, teve Mike Maignan como seu principal destaque.

Além de pegar um pênalti, Maignan realizou mais seis defesas até o fim do jogo.

Peça fundamental da melhor defesa do campeonato com 19 gols sofridos, Maignan é o goleiro menos vazado da competição com 18 jogos sem sofrer gols.

O goleiro Mike Maignan pegou um pênalti quando a partida ainda estava 0 a 0- Crédito: FEP – Ligue 1

Seguro na defesa, o Lille contou com os turcos Burak Yilmaz e Zeki Celik no ataque para vencer.

Feliz com a vitória, Galtier exaltou o jogo de Mike Maignan e Burak Yilmaz, autor do gol.

Outro artilheiro que se destacou na rodada foi Wissam Ben Yedder.

Reserva contra o Dijon, o centroavante teve impacto imediato ao sair do banco na volta do intervalo.

Aos 18’, Wissam sofreu o pênalti convertido por Jovetic antes de completar o resultado com dois gols.

Ben Yedder celebra seu segundo gol contra o lanterna Dijon – Crédito: FEP – Ligue 1

Já no apagar das luzes da 32ª rodada, Memphis foi mais um que balançou as redes por duas vezes.

Com dois gols contra o Angers, incluindo uma pintura de cobertura, o holandês foi determinante no jogo.

O atacante ajudou sua equipe voltar a vencer. O jejum já durava após três jogos.

O Lyon empatou contra Reims e Lens na 29ª e 31ª rodadas. Além disso, foi derrotado pelo PSG na 30ª rodada.

Mesmo com o 2 a 0 no placar, o Lille teve trabalho complicado.

A pressão alta foi uma das armas do líder contra o Metz, mas não teve o efeito previsto.

A pouca diferença nos desarmes (25×23) e interceptações (8×7) de cada equipe mostra que o jogo foi disputado.

Com 50% de posse para cada lado, o Metz aproveitou os espaços na disputa pela bola e finalizou 18 vezes. Se o 10º colocado não encontrou o caminho do gol, a qualidade do líder falou mais alto.

Das nove finalizações do Lille, seis foram na direção do gol, duas foram para fora e um chute foi bloqueado.

Burak Yilmaz, que ocupou a vaga do lesionado Jonathan David no ataque, foi o símbolo máximo da eficiência.
O turco balançou a rede na primeira finalização que deu no jogo.

Com uma movimentação constante fora da área, Burak Yilmaz contou com o trabalho de Renato Sanches para concluir a jogada do primeiro gol.

Improvisado na ponta-direita do 4-4-2 armado por Galtier, o português foi a fonte de criatividade do Lille.

Durante o jogo, Renato deu três passes para finalizações, acertou seis dribles e deu a assistência para Yilmaz abrir o placar.

Se o Lille sentiu dificuldades para impor o seu jogo, o PSG fez diferente contra o Strasbourg.

A equipe de Mauricio Pochettino teve repertório para controlar o jogo. Seus 64% de posse de bola demonstram a superioridade.

Sem Neymar, punido pela confusão gerada na partida contra o Lille, a solução de Pochettino foi a troca de posições entre Mbappé e Moise Kean.

Confira o GIF com a atuação dos dois abaixo:

Enquanto um foi referência na frente, o outro apareceu pelos lados e essa dinâmica do ataque pode ser exemplificada com o terceiro gol.

O contra-ataque nasceu após o PSG recuperar a bola no campo de defesa com Thilo Kehrer (4) e Leandro Paredes (8). O argentino acionou o volante Ander Herrera e o espanhol deu sequência ao lance depois que encontrou Kylian Mbappé (7) entre as linhas do Strasbourg.

Com espaço, Mbappé conduziu da direita para o centro e deixou Moise Kean (18) em condições para marcar. O centroavante italiano aproveitou o passe de Mbappe, girou e finalizou de primeira para bater o goleiro Mats Sels.

A dinâmica do ataque também foi pauta no jogo entre Monaco e Dijon.

Consciente da dificuldade monegasca para converter as ocasiões nos 45’ iniciais, Niko Kovac efetuou duas alterações importantes.

Na volta para o intervalo, o meia Cesc Fàbregas e o centroavante Wissam Ben Yedder substituíram o ala-direito Ruben Aguilar e o meia Sofiane Diop, respectivamente.

Centralizado no primeiro tempo, Aleksandr Golovin foi deslocado para a ponta-direita.

Já Stevan Jovetic, isolado no ataque nos 45’ iniciais, ocupou o espaço de Diop e passou a jogar ao lado de Ben Yedder. O resultado após as trocas foi nítido: a dupla de ataque deu mais presença ofensiva dentro da área adversária.

Quem também realizou mudanças em sua equipe foi Rudi Garcia, técnico do Lyon.

Sem o atacante Tino Kadewere, lesionado, Rudi tirou Thiago Mendes do time titular e promoveu a entrada do atacante Islam Slimani e do meia Maxence Caqueret para experimentar uma nova tática: o 4-2-3-1.

No meio de campo, Bruno Guimarães e Maxence Caqueret trabalharam de forma eficiente.

Posicionados na frente da defesa, os volantes garantiram o equilíbrio do time com 12 desarmes e três interceptações.

O GIF abaixo apresenta um pouco de como os dois se comportaram em campo:

Pelos lados, Léo Dubois teve um posicionamento diferente ao de Maxwel Cornet, lateral pela esquerda.

Com Dubois contido, Toko Ekambi explorou os espaços na ponta direita enquanto Cornet subiu ao ataque pelo lado esquerdo.

O GIF apresenta bem essas movimentações:

Assim, Memphis e Paquetá tiveram liberdade para sair da ponta para o meio.

Memphis foi o jogador mais acionado em campo com 100 toques na bola, dois gols e quatro passes para finalizações dos seus companheiros.

Já Islam Slimani foi a referência no ataque. Com apenas uma finalização e 64% de acerto no passe, Slimani mostrou o seu valor com três passes decisivos.

A boa fase de Lucas Paquetá com o Lyon voltou a aparecer na 32ª rodada.

Atuando mais ofensivamente, o meia, revelado pelo Flamengo, marcou o segundo gol do jogo e não parou por aí.

Responsável pela armação do time, Paquetá deu um passe açucarado para Memphis marcar o último gol do jogo.

Marcelo, Bruno Guimarães e Thiago Mendes também participaram da vitória sobre o Angers.

O zagueiro completou quatro cortes, interceptou três bolas e travou dois chutes.

Já Bruno ficou em campo até os 28’ do segundo tempo. O meia acertou 88% dos passes que tentou e foi substituído por Thiago na etapa final.

Outro brasileiro que vive bom momento é Caio Henrique.

Ofensivo no esquema de Niko Kovac, o ala-esquerdo avançou bastante no campo de ataque, criou uma grande chance e perdeu outra contra o Dijon.

Já na vitória do Lille sobre o Metz, Luiz Araújo esquentou o banco do início ao fim.

Luiz viu Galtier escolher Renato Sanches para atuar em sua posição. O português se destacou na função.

Com Neymar suspenso e Marquinhos lesionado, Rafinha foi o único brasileiro a jogar pelo PSG.

O meia armador deu dois passes que antecederam uma finalização e completou três dribles até ser substituído aos 29’ do segundo tempo.

Já o zagueiro Hilton e o ponta Luis Henrique mediram forças no jogo entre Montpellier e Marseille.

Presa fácil do atacante Arkadiusz Milik, Hilton sofreu um drible desconcertante do adversário no lance em que o mesmo empatou o jogo em 1 a 1.

Na sequência da partida, o zagueiro teve a sua defesa vazada por mais duas vezes no jogo.

Já Luis Henrique atuou improvisado na ala-esquerda do Marseille e ficou em campo até os 19’ da etapa final.

O ponta revelado pelo Botafogo acertou apenas um drible, um cruzamento e não deu uma finalização sequer.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo