Ligue 1

Lille empata, PSG, Monaco e Lyon aproveitam, e apenas três pontos separam 1º do 4º – a 33ª rodada da Ligue 1

Veja um resumo do fim de semana do Campeonato Francês, que vive reta final acirrada

*Conteúdo oficial da Ligue 1

Ao tropeçar e empatar em casa com o Montpellier em 1 a 1, o Lille pôs fogo na reta final da Ligue 1. Ao final da 33ª rodada, apenas três pontos separam os Dogues, líderes da competição, Lyon, quarto colocado.

Jogo de abertura da rodada, o empate de Lille e Montpellier fez com que a 33ª rodada se tornasse decisiva para as pretensões de Paris Saint-Germain, Monaco e Lyon. E todos, ao final do domingo, aproveitaram suas chances e, agora, sentem o cheiro de título mais próximo.

O PSG venceu o Saint-Étienne por 3 a 2 em um jogo para cardíacos, diria Galvão Bueno. O Monaco atropelou o Bordeaux em um acachapante 3 a 0, enquanto o Lyon não teve grandes problemas para passar pelo Nantes por 2 a 1. Assim, o campeonato pega fogo a cinco rodadas do fim.

Antes da rodada iniciar, o jogo mais importante, sem dúvidas, era o do líder Lille. Porém, após o empate dos Dogues em casa, todos os olhos viraram para o Paris Saint-Germain. E quem acompanhou o time da capital assistiu a uma partida emocionante que terminou com o gol da vitória no último lance de um herói improvável: Mauro Icardi.

Se alguém tivesse assistido à partida até os 30 minutos do 2º tempo, não apostaria que ela terminaria em triunfo por 3 a 2 para o PSG. O jogo transcorria de forma modorrenta. Sem velocidade, o PSG controlava a posse de bola, mas não traduzia isso em chances de gol. O 0 a 0 se arrastava, mas tudo viria a mudar quando Maurício Pochettino levou a campo a trinca Verratti-Di María-Icardi. A postura do PSG foi outra com o trio.

Dos 33 minutos da segunda etapa em diante, a melhor definição para o duelo seria “jogo maluco”. Aos 33, Denis Bouanga abriu o placar para o Saint-Étienne. O gol, ao invés de ter dado a oportunidade do time visitante controlar a partida, teve efeito contrário e despertou o PSG. Logo no reinício da partida, Mbappé empatou.

Com a necessidade de vencer para reduzir a diferença do Lille, o PSG foi pra cima, e, aos 44 minutos, Mbappé, em cobrança de pênalti sofrida por ele mesmo, virou: 2 a 1. Quem esperava que a vitória estivesse definida se enganou. O Saint-Étienne teve forças para ir pra cima e empatar novamente a partida aos 47 minutos. Sérgio Rico, goleiro que substituiu Navas, soltou a bola no pé de Romain Hamouma, que não perdoou.

Quem acreditou que o PSG caminhava para mais um tropeço também acabou por se enganar. Aos 50 minutos, no último lance do jogo, Di María fez boa jogada individual e cruzou na cabeça de Mauro Icardi, que havia entrado 20 minutos antes no lugar de Moise Kean: 3 a 2.

A dupla argentina garantiu os emocionantes três pontos e garantiu que o Paris Saint-Germain se mantivesse vivo na briga pelo título.

Líder com certa folga ao fim da rodada passada, o Lille viu sua vantagem cair, e por pouco a liderança não foi perdida. Graças ao gol de Luiz Araújo aos 40 minutos do segundo tempo, a equipe de Christophe Galtier segue na ponta da classificação.

O empate, no entanto, foi um achado, visto que, ao longo da partida, o Lille sentiu muito algumas de suas ausências, como a do atacante Jonathan David e, principalmente, do meia Renato Sanches. Sem criatividade e nem velocidade, os Dogues chegaram até a criar duas chances de gols, mas acabaram vendo Andy Delort, aos 21 minutos do primeiro tempo, abrir o placar após boa triangulação do sistema ofensivo do Montpellier.

Passivo, o Lille não esboçou reação e tampouco mudou significativamente sua postura em campo nos minutos restantes da primeira etapa ou no segundo tempo. Nervosos em campo, o gol de empate demoraria a sair e só aconteceu aos 38 minutos, após cruzamento do lateral direito Çelik. A bola atravessou a área e caiu nos pés de Luiz Araújo. O brasileiro, de esquerda, chutou cruzado com o lado de fora do pé para marcar um golaço que selou o empate.

Com o resultado, o Lille ainda é líder, mas pega o Lyon, rival direto na luta pelo título, na próxima rodada. O jogo é decisivo não somente para ele quanto para os outros dois times envolvidos diretamente na briga pela taça.

Precisando vencer para se aproximar de vez da liderança, o Monaco, dono da melhor campanha desde o início de 2021, aproveitou sua chance, a exemplo do PSG. O 3 a 0 sobre o Bordeaux deu a impressão de que, se existe um time pronto para faturar essa edição da Ligue 1, este time é o Monaco.

Na partida diante do Bordeaux, que se aproxima perigosamente da zona de repescagem, testemunhamos um massacre monegasco. Após diversas chances de gol perdidas no início do duelo, o placar foi aberto aos 29 minutos com Kevin Volland, servido por Ben Yedder. Antes da definição, o atacante alemão deixou a marcação adversária sem pai e nem mãe com um lindo drible.

Sobrando em campo enquanto o Bordeaux passou a primeira etapa sem dar um chute ao gol sequer, o Monaco seguiu dominando o adversário, mas só marcou aos dois minutos do segundo tempo, com Gelson Martins ampliando a vantagem.

Com o placar a favor e com a semifinal da Copa da França durante a semana seguinte, o Monaco reduziu o ritmo e viu o Bordeaux avançar suas linhas – sem sucesso, diga-se. Os monegascos então mataram a partida aos 45 minutos da etapa final. Após ótimo cruzamento de Caio Henrique, Diop desviou, e Jovetic fechou o placar.

O triunfo levou o Monaco aos 68 pontos, mais próximo da liderança do que em qualquer outro momento da atual temporada da Ligue 1.

Já o Lyon chegou à sua segunda vitória seguida após longo jejum de triunfos que fez o time cair para a quarta colocação. Os lyonnais venceram o Nantes por 2 a 1 jogando fora de casa.

Com Lucas Paquetá com menos obrigações defensivas e, por consequência, mais livre para atacar, o OL ganhou uma dupla afinada: Paquetá e Memphis. O primeiro gol da partida saiu de uma jogada dos dois logo aos cinco minutos de partida.

Marcando em linha alta, o Lyon anulou o Nantes, e, aos 37 minutos da etapa inicial, em cobrança de pênalti, Memphis ampliou. Com a vantagem, além de algumas chances de gol desperdiçadas, o time de Rudi Garcia reduziu o ritmo e viu o Nantes avançar e conseguir diminuir a vantagem aos 15 minutos da segunda etapa, com Nicolas Pallois.

Com a vantagem, mas sem grandes sustos causado pela técnica pouco apurada do Nantes, o Lyon chegou aos 67 pontos e agora está três pontos atrás do Lille. Ou seja: muito vivo na disputa do título, apesar de ser o que menos se destaca por conta de suas recentes derrotas.

Na parte inferior da tabela, o Bordeaux parece ter entrado de vez na briga contra o rebaixamento. Após apanhar do Monaco por um sonoro 3 a 0 sem grandes feitos em campo, o Bordeaux tem uma distância de apensa cinco pontos para a zona de repescagem (18ª posição), atualmente frequentada pelo Nîmes.

A disputa contra a repescagem apresenta-se acirradíssima entre Lorient, Nîmes e Nantes. Nesta rodada, o Nantes, foi batido em casa pelo Lyon por 2 a 1, enquanto o Nîmes, também em casa, ficou apenas no empate em 1 a 1 com o Strasbourg, mesmo com um homem a mais em campo durante todo o segundo tempo.

Guilbert foi expulso logo aos dois minutos da etapa final. Ripart marcou de pênalti para o Nîmes aos dez minutos do segundo tempo, mas Liénard, aos 37, empatou e deu números finais ao confronto.

A rodada ainda ficou marcada pela terceira vitória do Dijon em 33 rodadas. O lanterna bateu o Nice por 2 a 0 com gols de Chafik, aos quatro, e Benzia, aos 32 minutos, ambos da segunda etapa.

Na briga pela artilharia, Kylian Mbappé e Memphis Depay marcaram duas vezes por seus times nesta emocionante rodada, enquanto Volland abriu o caminho com um gol para mais uma vitória do Monaco.

Artilheiro da competição, Mbappé foi o nome do emocionante PSG 3×2 Saint-Étienne. As duas equipes reservaram o melhor para o final ao marcar três gols em nove minutos e outros dois gols nos seis minutos de acréscimos concedidos pelo árbitro Ruddy Buquet. Foi Mbappé quem embalou o time da capital rumo à virada após o PSG sair atrás do placar. O atacante fez o gol do empate e o da virada em um pênalti sofrido por ele mesmo.

Mbappé sofreu e cobrou o pênalti que permitiu ao PSG virar a partida – Crédito: Ligue 1 / FEP

Apesar do tento de Mbappé, os louros da vitória ficaram com Mauro Icardi, que marcou o gol da vitória no apagar das luzes. O gol não foi somente importante para o PSG, mas também ao argentino, que não marcava desde a 24ª rodada, quando fez um contra o Marseille.

Com a virada, Mauricio Pochettino celebrou:

A vitória do PSG fez o time encostar no Lille na classificação. Os Dogues só mantiveram a liderança, aliás, graças a um golaço de Luiz Araújo, decretando o empate com o Montpellier, que fez o líder sofrer com os destaques individuais de Andy Delort e Gaëtan Laborde.

Foi a partir da dupla Delort e Laborde que saiu o tento do Montpellier. Referência ofensiva, Delort aproveitou o passe de Laborde para marcar. Além do gol, Delort foi figura marcante no confronto ao incomodar com sua movimentação. Foi ele, inclusive, quem mais venceu disputas pelo alto no jogo.

Na etapa final, Christophe Galtier, treinador do Lille, contou com a sorte e o talento de Luiz Araújo na busca do empate. Aos 32 minutos, o técnico promoveu a entrada do ponta brasileiro e viu que acertou na substituição oito minutos depois. O brasileiro marcou um golaço que manteve a liderança com o Lille.

Após o empate, Galtier falou das dificuldades da sua equipe como mandante. O Lille tem 40% de aproveitamento nas últimas cinco partidas em casa.

Se Delort e Laborde atrapalharam o líder, a dupla de ataque do Monaco aproveitou para colocar o Monaco de vez na briga direta pelo título. Wissam Ben Yedder deixou seu companheiro Kevin Volland em condições de marcar e o alemão abriu o placar frente ao Bordeaux. O alemão participou de forma ativa do 3 a 0, resultado que também teve gols de Gelson Martins e Stevan Jovetic.

Quem também segue vivíssimo na luta é o Lyon. O time de Rudi Garcia correspondeu no jogo em que Memphis Depay brilhou. O holandês fez os dois gols da vitória e chegou aos 18 no campeonato. Consequentemente, desbancou Ben Yedder na segunda posição da artilharia.

Memphis Depay balançou as redes duas vezes contra o Nantes – Crédito: Ligue 1 / FEP

As dificuldades do Lille em propor o jogo foram evidentes contra o Montpellier. Até os 21 minutos do primeiro tempo, o líder do campeonato havia finalizado mais (5×3), mas Burak Yilmaz e Jonathan Ikoné perderam boas chances de abrir o placar.

Já Andy Delort não repetiu os seus adversários e, em sua primeira chance, inaugurou o marcador.
Com o gol, a estratégia defensiva do Montpellier apareceu. O exemplo foi dado por Gaëtan Laborde e Stephy Mavididi, que marcaram os laterais do Lille individualmente.

Com os pontas e seus quatro defensores, o Montpellier formou uma linha de seis atrás durante a fase defensiva. Para tentar furar o ferrolho, o Lille partiu para o abafa, com Galtier promovendo quatro trocas na etapa final.

O atacante Jonathan David voltou ao time após lesão no lugar de Weah, enquanto o volante Xeka entrou no lugar de André aos 23 minutos do segundo tempo. Além disso, o meia Yusuf Yazici e Luiz Araújo entraram nas vagas de Ikoné e Bamba, respectivamente, nove minutos mais tarde.

Com 71% de posse e dez finalizações, o Lille viu Jonas Omlin, goleiro do Montpellier, fazer seis defesas no período e segurar a pressão. Entretanto, havia um Luiz Araújo em seu caminho.

Conforme mostrado pelo mapa de calor acima, o brasileiro surgiu na grande área para receber e finalizar o cruzamento do lateral Zeki Celik e, em sua única chance, marcou um golaço.

Já em PSG 3 x 2 Saint-Étienne, a intenção dos parisienses era dominar o jogo, mas o time da capital demorou para superar o Saint-Étienne mesmo com 71% de posse. O primeiro tempo é a evidência: o PSG acertou apenas um chute ao alvo nos 45 minutos iniciais.

Para resolver o problema de passividade de sua equipe, Pochettino mexeu no posicionamento de Mbappé na segunda etapa. A partir dos 23 minutos do segundo tempo, Kylian deixou de trocar de posição com Moise Kean, então substituído por Mauro Icardi.

Com a nova formação tática, Mbappé passou para a ponta esquerda e encarou a defesa adversária de frente. Sua movimentação foi essencial para Ander Herrera, que gerou a oportunidade para o primeiro tento. O volante espanhol mostrou visão de jogo para lançar Mbappé no espaço, e o camisa 7 abriu o placar ao PSG.

Kylian não parou ali. Minutos depois, o atacante sofreu pênalti e marcou o segundo gol em seis finalizações que deu no jogo.

Se Mbappé foi fundamental, o trabalho de Icardi como referência no ataque também ajudou. O argentino deu apenas sete toques na bola enquanto esteve em campo, mas foi oportunista ao converter a sua única finalização a gol.

Se o ataque rendeu, a defesa do PSG mostrou problemas. O Saint-Étienne criou perigo ao explorar o lado esquerdo de seu ataque e foi por lá que criou as duas ocasiões que terminaram em gols, como mostra a imagem da jogada do primeiro gol marcado por Denis Bouanga.

Já no segundo gol do Saint-Étienne, Sergio Rico foi determinante ao espalmar a bola nos pés do atacante Romain Hamouma.

Diferentemente de PSG e Lille, o Monaco foi consistente. O time de Niko Kovac sufocou o Bordeaux com organização e repertório de jogadas. Nos dois primeiros gols, todos os setores tiveram responsabilidade com e sem a posse de bola.

No 1 a 0, o volante Youssouf Fofana (22) recuperou a bola e tocou para Djibril Sidibé (29). De forma rápida, Sidibé acionou o goleiro Lecomte (40), e a jogada prosseguiu com Benoît Badiashile (32). Badiashile conduziu até o campo de ataque e acionou Wissam Ben Yedder (9) entre as linhas. De primeira, o camisa 9 colocou Kevin Volland (32) em ótimas condições. Já dentro da área, o alemão dominou, deu um corte seco para tirar a marcação, trocou de perna e finalizou. No segundo gol, a jogada nasceu em um contra-ataque. Aurélien Tchouaméni recuperou a bola no meio e serviu Gelson Martins.

Se o Monaco mostrou poder coletivo, o Lyon buscou o resultado de outra forma. Espelhados em sua tática, a equipe de Rudi Garcia e o Nantes jogaram em um 4-2-3-1. A pouca diferença nos desarmes (22×19), interceptações (9×7) e posse (49% contra 51%) mostra como o Nantes buscou o jogo de igual para igual. Entretanto, o lado individual surgiu no confronto que opôs duas táticas parecidas.

Memphis Depay e Lucas Paquetá fizeram o resultado acontecer num jogo aberto e franco. Se o holandÊs explorou os espaços, o brasileiro brilhou entre as linhas. A dinâmica do ataque do Lyon foi representada de forma perfeita pelo primeiro gol do jogo.

Luiz Araújo brilhou na 33ª rodada. O ponta do Lille, revelado pelo São Paulo, entrou no jogo aos 32 do segundo tempo e empatou o confronto oito minutos depois. Ao finalizar com o lado de fora do pé, Luiz marcou um golaço contra o Montpellier.

Já Lucas Paquetá fez a diferença contra o Nantes. Atuando como um camisa 10 clássico, ele serviu Memphis no primeiro gol e deu o passe na jogada em que Toko Ekambi sofreu o pênalti.

No duelo contra o Lyon, o lateral Fábio, do Nantes, não conseguiu ajudar a evitar a derrota. Na direita, o jogador acertou 66% dos passes, sofreu três dribles e acertou somente um dos três cruzamentos que tentou.

Revelado pelo Fluminense, Fábio vive a turbulência de um possível rebaixamento – Crédito: FEP / Ligue 1

Também lateral, mas pela esquerda, Caio Henrique foi bem no jogo do Monaco. A equipe monegasca concentrou 43% de seus ataques pela esquerda, e o ex-jogador do Fluminense apareceu como a válvula de escape para as jogadas acontecer. O lateral foi o terceiro jogador mais acionado durante o jogo, com 82 toques na bola e dois passes decisivos.

Na vitória do Marseille sobre o Lorient, Luis Henrique começou o jogo no banco. O ponta, que vem atuando como ala, entrou no início da segunda etapa e ajudou sua equipe, comandada por Jorge Sampaoli, ex-Santos e Atlético-MG, a vencer o Lorient, de virada, por 3 a 2.

Antes ponta, Luis Henrique virou um ala-esquerdo com Sampaoli – Crédito: FEP / Ligue 1

Pelo PSG, Rafinha foi o único brasileiro a entrar em campo. O meia armador deu três lançamentos, dois passes decisivos e finalizou três vezes até deixar o campo aos 22 do segundo tempo. Jean Lucas, por sua vez, não teve um bom final de semana na Ligue 1. O volante do Brest foi expulso do jogo ao receber dois cartões amarelos em um intervalo de dois minutos, desentendendo-se com Ignatius Ganago, atacante do Lens.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo