Ligue 1

Ídolo eterno da maior torcida da França: Mandanda se torna recordista em jogos pelo Olympique de Marseille

O Olympique de Marseille é um clube centenário. São 118 anos de história, de uma das agremiações mais tradicionais e vitoriosas do futebol europeu. Transformar-se em ídolo da maior torcida francesa já se coloca como um feito enorme. E ainda mais quando se conquista uma marca que nenhum outro conseguiu antes. Neste domingo, Steve Mandanda mereceu a ovação dos marselheses na visita ao Strasbourg, e não necessariamente por algo que aconteceu durante o empate por 3 a 3. A mera presença transformou o goleiro no jogador que mais vezes entrou em campo pelos celestes. Aos 32 anos, alcança um patamar inédito, que deverá se ampliar ainda mais nas próximas temporadas.

Mandanda não é daqueles futebolistas de um só clube. Começou no Le Havre e teve uma infrutífera passagem pelo Crystal Palace na temporada passada. Mas não há lugar onde se sinta mais em casa do que o Estádio Vélodrome. O goleiro acaba sendo o símbolo por sua identificação não apenas com o Olympique, mas com a própria torcida. Adorado em uma região repleta de imigrantes africanos, o veterano é mais um deles. Chegou da República Democrática do Congo quando ainda tinha dois anos. Aproveitou as oportunidades que teve para transformar a sua vida na França, destacando-se no futebol desde a adolescência.

A chegada de Mandanda ao Vélodrome aconteceu em 2007, por mero acaso. Uma negociação com o Aston Villa que não vingou permitiu que o Olympique de Marseille acertasse o empréstimo do jovem. Inicialmente o congolês seria reserva de Cédric Carrasso, mas não apenas tomou a titularidade, como também se tornou o melhor goleiro da Ligue 1 logo em sua primeira temporada. A deixa para que os marselheses acertassem a transferência em definitivo. Em outras três oportunidades, o arqueiro receberia o prêmio de melhor arqueiro do campeonato. Além disso, seria parte fundamental da conquista da liga em 2009/10, o último grande título celebrado pelos celestes.

Mandanda não é o goleiro perfeito, como a frustrada passagem pela Premier League sinaliza. Ainda assim, fez-se importante pela potência sob as traves e pela liderança. Virtudes reconhecidas em Marselha e também na seleção francesa. Convocado desde 2008, o goleiro soma 24 partidas pelos Bleus. Esteve presente na Copa do Mundo de 2010 e em três edições da Eurocopa, sempre como reserva. E mais uma vez deve servir de sombra a Hugo Lloris, bem cotado para disputar também o Mundial de 2018.

Pode-se discutir se Mandanda foi o melhor goleiro da história do Olympique. Vencedor da Liga dos Campeões em 1992/93, Fabien Barthez permanece como um talento inegável que brilhou no Vélodrome. Contudo, sem a dedicação e a longevidade do congolês. Nem mesmo Jean-Pierre Papin, Josip Skoblar, Marius Trésor e outros ídolos históricos se aproximaram dos 453 jogos de Mandanda, acumulados ao longo de dez temporadas – superando os 452 de Roger Scotti, meia dos celestes por 16 anos, entre 1942 e 1958. A representatividade do número exalta o respeito construído pelo congolês perante uma torcida gigantesca e apaixonada. O arqueiro deverá carregar esta honra por boa parte de sua vida.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo