Os problemas do Olympique de Marseille estão longe de serem resolvidos por apenas uma contratação. Ainda assim, a chegada de Arkadiusz Milik é uma novidade bem-vinda pelo torcedor marselhês, ansioso por uma resposta de sua equipe na temporada e preocupado com a baixíssima produção ofensiva do conjunto de André Villas-Boas.

Milik foi anunciado oficialmente pelo OM na noite de quinta-feira (22). Encostado no , o atacante da seleção polonesa assinou um acordo de empréstimo de 18 meses, com obrigação de compra em 2022 por € 8 milhões, mais € 4 milhões em bônus.

O polonês não atuou mais pelos Partenopei desde 8 de agosto de 2020, em derrota para o Barcelona pela Champions League. Envolvido em um embate com a direção do Napoli por ter recusado diversas propostas de outros clubes no verão de 2020, entre elas uma da Roma, em que chegou até mesmo a fazer exames médicos, Milik foi afastado do grupo principal e não foi inscrito para a Serie A e a Champions League desta temporada. O jogador e seu empresário, por sua vez, culpavam o clube por não ter encontrado um acordo com compradores, afirmando ainda que os napolitanos queriam que o polonês renovasse por mais cinco temporadas.

Resolvido o desentendimento, Milik agora terá a chance de um novo recomeço em uma carreira marcada por altos e baixos. Decepcionante na Alemanha, onde jogou por Bayer Leverkusen e Augsburg, o polonês encontrou seu melhor futebol no Ajax, que defendeu entre 2014 e 2016. Negociado com o Napoli, teve um bom início na Itália, mas sofreu com lesões ao longo dos últimos quatro anos e depois perdeu seu espaço com mudanças táticas que deram a posição a Mertens. Em 2019/20, variou bastante a titularidade com o belga, fazendo 35 jogos e marcando 14 gols em todas as competições.

Sem ritmo de jogo e normalmente uma figura tímida nos elencos de que faz parte, Milik poderá ter certa dificuldade em sua adaptação, mas tem potencial para se destacar na Ligue 1. Além disso, chega a uma equipe com algumas carências que ele pode suprir.

Hoje em crise devido a uma campanha vergonhosa na Champions League e a uma sequência negativa de um mês para cá no Campeonato Francês, o tem em seu ataque pouco eficaz um de seus principais problemas técnicos. Em 19 jogos na Ligue 1, o OM marcou apenas 26 gols, e a temporada ruim do atacante Dario Benedetto, com apenas quatro gols em 25 jogos, foi reconhecida mesmo pelo técnico da equipe, Villas-Boas, que afirmou que o argentino tem abusado de perder gols, ainda que logo em seguida tenha o defendido, dizendo que ele segue buscando sua melhor forma.

Por mais que Milik tenha mostrado no passado a capacidade de ser decisivo, o jogador é mais um definidor de jogadas do que alguém com grande talento nos pés que possa melhorar a construção ofensiva. Desta maneira, ao menos em teoria, ele não deverá resolver os problemas que o Marseille acumula na temporada, que vão desde uma percebida falta de comprometimento dos atletas até à queda de nível das referências técnicas do time, Thauvin e Payet, passando por crises internas em torno do presidente Jacques-Henri Eyraud.