Ligue 1

Elogiando Niko Kovac, Fàbregas expõe passagem de Jardim no Monaco: “Não trabalhávamos muito a tática”

Nos últimos anos, Cesc Fàbregas tem apresentado uma nova faceta em sua carreira como jogador. Em sua conta no Twitter, comenta diversos assuntos ligados ao futebol com uma sinceridade rara aos atletas profissionais nos dias de hoje. Nesta sexta-feira (25), o espanhol levou essa autenticidade também para a coletiva de imprensa, embora a declaração da vez talvez não seja muito bem recebida por Leonardo Jardim, seu antigo treinador na França.

[foo_related_posts]

Elogiando o trabalho de seu atual técnico, Niko Kovac, que chegou ao Monaco em julho deste ano, Fàbregas acabou por externar uma crítica não tão velada ao trabalho de Leonardo Jardim na segunda passagem do técnico português pelo clube monegasco.

“Com o Niko e sua comissão, trabalhamos muitas coisas, foi assim também com o Roberto Moreno, claro. Porém, antes do Robert e do Niko, não trabalhávamos muito a tática, o físico, e, por causa disso, acredito que estávamos um pouco perdidos, na cabeça e nas pernas”, comentou Fàbregas.

Depois de uma primeira passagem de altos e baixos pelo Monaco, em que o ápice foi a conquista da Ligue 1 em 2016/17 e a campanha semifinalista na Champions League no mesmo ano, com uma equipe que contava com talentos como Benjamin Mendy, Tiemoué Bakayoko, Fabinho, Bernardo Silva e Kylian Mbappé, Jardim foi demitido em outubro de 2018 apenas para ser recontratado em janeiro de 2019.

Esta segunda oportunidade no clube monegasco, no entanto, esteve bem mais próxima do que se viu no período final de sua passagem anterior, e sua demissão veio ainda em 2019, em dezembro. O português foi então substituído por Robert Moreno, que treinara, e bem, a seleção espanhola durante cinco meses. Moreno havia começado na Roja como interino, após o afastamento de Luis Enrique por motivos pessoais, e encerrou seu trabalho como técnico principal na Roja cinco meses depois, com Luis Enrique desejando – e conseguindo – retornar ao comando.

Robert Moreno, por sua vez, durou apenas seis meses no cargo, sendo demitido após terminar a Ligue 1 apenas na nona colocação. Niko Kovac, agora, tem um início irregular, mas promissor, com duas vitórias, um empate e uma derrota em quatro rodadas da Ligue 1.

“Acredito que, com a chegada de Niko, temos muitas coisas interessantes taticamente, com os vídeos, a análise, aquilo que você faz bem, que não faz bem… E isso, para mim e para todos os jogadores, é muito importante. (Isso nos prepara) Para fazer melhor no campo, na partida”, completou Fàbregas, exaltando Kovac ao mesmo tempo em que sugere que este trabalho tático faltava a Jardim.

Leonardo Jardim está desempregado desde a sua demissão em dezembro do ano passado, e certamente a recomendação reversa deixada por Fàbregas publicamente não o ajudará exatamente a encontrar um emprego logo.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo