Ligue 1

Com déficit maior que o esperado, Marseille tem pouco tempo para evitar punição pelo Fair Play Financeiro

Depois de registrar perdas de € 78,5 milhões na temporada 2017/18, a estimativa era de que o Olympique de Marseille teria déficit de cerca de € 80 milhões na campanha 2018/19. Porém, os resultados oficiais acabam de ser divulgados, e as perdas da temporada passada atingiram na verdade € 91,5 milhões, conforme noticiado pelo L’Équipe. O sinal vermelho está ligado, e a equipe precisará apresentar déficit de no máximo € 30 milhões em 2019/20 para evitar ser punida pelo Fair Play Financeiro.

[foo_related_posts]

O salto nas despesas pode ser explicado em particular por duas contratações que muito custaram ao clube: Kevin Strootman, que chegou em 2018 e ainda está sob contrato, e Mario Balotelli, que brilhou na segunda metade da temporada passada, mas teve que deixar o clube porque o Marseille não tinha condições de pagar seu salário por mais uma temporada.

O OM, é bom apontar, não corre risco de ver sua dívida se acumular. A expectativa é de que, como tem sido feito nos últimos anos, desde que Frank McCourt comprou o clube em 2016, a dívida seja paga. Entretanto, o verdadeiro problema é a corrida contra o tempo para que as contas sejam balanceadas e o clube evite uma punição do mecanismo de controle fiscal da Uefa.

Normalmente, o Fair Play Financeiro compreende o período dos três últimos anos, mas o Marseille fez um acordo com a Uefa para apresentar perda de no máximo € 30 milhões para a temporada 2019/20. Além disso, o acordo prevê ainda zero perdas em 2020/21 e, por fim, “respeitar plenamente a exigência relativa ao equilíbrio financeiro dali até o período de acompanhamento de 2022/23”.

Mesmo no cenário mais positivo projetado pelo clube, de perda de € 60 milhões em 2019/20 sem contar a venda de jogadores, o OM precisaria arrecadar € 30 milhões com transferências até 30 de junho. O jornal L’Équipe estima que, levando em conta a tendência dos últimos anos, o valor a ser arrecadado precisaria ser mais do que o dobro disso: € 61 milhões.

De olho em gerar receitas, o clube contratou o inglês Paul Aldridge, com larga experiência administrativa no futebol da Inglaterra, para tentar encontrar bons compradores para alguns de seus jogadores. O mais cotado a sair ao fim da temporada é Morgan Sanson, meia de 25 anos com valor estimado em € 30 milhões.

Fazendo uma boa temporada com André Villas-Boas, na segunda colocação da Ligue 1 e em boa situação para voltar à Champions League depois de sete anos, é essencial ao OM manter um equilíbrio financeiro que lhe permita estar em posição de participar da competição europeia com alguma constância. O caminho para uma boa saúde financeira passa por isso.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo