Champions LeagueLigue 1

Bruno Guimarães lamenta fim antecipado da Ligue 1, mas ainda tem sonhos nesta temporada: “Podemos ganhar a Champions”

A impressão de que o encerramento antecipado da Ligue 1 de 2019/20 foi precipitado é quase unânime no mundo do futebol, e Bruno Guimarães, brasileiro que defende o Lyon há pouco mais de cinco meses, reforçou o coro em uma entrevista ao L’Équipe, na prévia do confronto pela Champions League contra a Juventus, nesta sexta-feira (5).

[foo_related_posts]

O meio-campista destacou que restavam dez rodadas a serem disputadas, que o Lyon vinha em uma crescente e que poderia ter terminado em uma colocação muito melhor que o sétimo lugar, que deverá significar a ausência da equipe de uma competição continental pela primeira vez desde a temporada 1996/97.

“Não entendi (a decisão), porque todas as grandes ligas europeias retornaram, exceto na França. Restavam dez partidas, era bastante coisa, e nós poderíamos ter terminado em um lugar bem melhor”, analisou.

Bruno Guimarães apontou ainda que a escolha pelo fim antecipado prejudica os clubes franceses em sua disputa da Liga dos Campeões. Diferentemente de seus concorrentes, o clube não teve uma série de partidas oficiais para se preparar para a reta final do torneio, que retoma nesta sexta-feira – a Juventus, a efeito de comparação, teve 12 jogos só na Serie A desde o reinício da competição. O brasileiro apontou ainda as perdas financeiras decorrentes da decisão.

“A decisão foi precipitada, todos pensam que foi uma decisão ruim, não apenas para nós ou para o Paris, em relação à Liga dos Campeões, mas para todas as equipes, que poderiam ter perdido muito menos dinheiro. Depois da final da Copa da Liga, falei disso com o Neymar. Assim como eu, ele não entendeu.”

Bruno Guimarães então destaca que, agora, não resta outra opção se não trabalhar duro para retornar à Champions League. E por que não sonhar com uma conquista inédita ainda nesta temporada, que seria histórica e de quebra garantiria o clube na próxima edição?

“Foi um golpe muito duro, para todos nós, jogadores, torcedores, o presidente (Jean-Michel Aulas). Mas tenho certeza de que podemos ganhar a Liga dos Campeões.”

Questionado se a falta de uma vitrine como a Champions League poderia favorecer a saída das principais estrelas do time, como Depay, Aouar e Dembélé, Guimarães reconhece que isso pode ser um problema, mas garante não pensar muito no assunto. Seu foco é só um: “Penso apenas na Liga dos Campeões, em fazer história, sendo um dos primeiros jogadores a ganhar a Liga dos Campeões com o Lyon. Hoje, só penso nisso”.

O desafio contra a Juventus será duro, mas está longe de ser uma missão impossível. Na final da Copa da Liga, na última sexta-feira (31), único jogo oficial do Lyon desde a parada devido à pandemia do Coronavírus, a equipe demonstrou que pode ser um adversário à altura dos gigantes, dificultando a vida do PSG e perdendo apenas nos pênaltis. É com este exemplo que o brasileiro crê na possibilidade de sucesso na Champions e também na próxima temporada do futebol francês.

“A final da Copa da Liga não foi difícil apenas para nós, foi também para eles. Podemos fazer uma temporada (em 2020/21) muito boa.”

Outro ponto positivo para os lyonnais é poder contar novamente com seu principal jogador ofensivo, Memphis Depay, que, antes de sua lesão em dezembro, havia marcado cinco gols em cinco jogos na competição continental.

“(A volta de Depay muda) Muitas coisas. É um jogador que o adversário não gosta de enfrentar, ele dá medo no adversário. E, aqui no Lyon, ele é muito respeitado, é nosso capitão, um jogador muito importante. Poder contar com um jogador como ele é muito bom”, comemorou Bruno.

O Lyon venceu a Juventus no confronto de ida das oitavas de final da Champions League por 1 a 0, em casa, ainda em março. O confronto de volta acontece nesta sexta-feira (7), às 16h (horário de Brasília), e você pode conferir em nossa programação de TV em qual canal acompanhar o duelo.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo