Ligue 1

Após uma década dedicada ao Bayern, Boateng reiniciará sua trajetória com a camisa do Lyon

Jérôme Boateng ficou sem contrato com o Bayern de Munique e acertou com o Lyon logo depois do fechamento

Jérôme Boateng permaneceu livre o mercado de transferências inteiro. O Bayern de Munique decidiu não renovar o contrato do zagueiro e, diferentemente de David Alaba, ele não conseguiu emendar um novo acordo de imediato. Apesar do moral que tinha em outros tempos, o alemão não figura mais entre os melhores defensores do mundo. Da mesma maneira, as pedidas altas devem ter afastado outros interessados. No fim, diante de um cenário com possibilidades esgotadas, Boateng arranjou uma nova casa no dia seguinte ao fechamento. Vai se juntar ao Lyon, por dois anos de contrato, como liderança num momento de transição da equipe treinada por Peter Bosz.

Boateng nunca foi um zagueiro tão explosivo e, prestes a completar 33 anos, o declínio físico se torna mais evidente. O alemão teve uma sequência de lesões que custaram seu espaço no Bayern de Munique por anos e já não vivia sua melhor fase. Hansi Flick, entretanto, conseguiu recuperar o veterano. Ele teria participação importante na temporada da Tríplice Coroa e permanecia com moral junto ao comandante. Não à toa, a decisão da diretoria em não renovar com Boateng foi um dos principais motivos na ruptura com Flick, que levaram o treinador a deixar o clube. Restou a Boateng seguir os próximos passos de sua carreira longe do clube onde atravessou seu ápice.

Não dá para saber quanto tempo Boateng ainda terá em alto nível. Porém, não se nega a qualidade do zagueiro, especialmente no trato com a bola e na leitura tática. A chegada ao Lyon tende a valorizar um pouco mais essa aptidão, num clube com vários jogadores de qualidade do meio para frente. Talvez a maior dúvida sobre o encaixe resida na maneira de defender adotada por Peter Bosz, que talvez deixe o veterano mais exposto. Vai ser testado repetidamente nos contra-ataques, como acontecia no Bayern de Flick.

A Ligue 1, além do mais, reduz o nível de exigência sobre Boateng. Seria difícil imaginá-lo numa Premier League, diante da intensidade do jogo na Inglaterra – e ainda mais lembrando como o defensor não emplacou em sua efêmera passagem pelo Manchester City, após despontar com o Hamburgo. Na França, Boateng tende a ser mais exigido nos combates e nos aspectos físicos do jogo. Entretanto, dá para se manter como referência entre os zagueiros mais veteranos, a exemplo do recém-aposentado Hilton ou de José Fonte.

O Lyon talvez ofereça um canto do cisne a Boateng, com uma campanha marcante ou um bom desempenho nas copas europeias. Mas já indica ao zagueiro que seu período entre os melhores times do mundo passou. O alemão teve chance de fazer história com a seleção e com o Bayern de Munique, conquistando praticamente todos os títulos possíveis. Mas, diferentemente de Alaba, não poderá mostrar como seu talento em alto nível ia além do ambiente favorável na Baviera.

Boateng será o nome mais tarimbado de um elenco essencialmente jovem do Lyon, que vem encontrando dificuldades para se acertar neste início de temporada. É a grande pechincha num mercado que ainda garantiu Emerson Palmieri e Xherdan Shaqiri aos Gones. Resta saber quanta lenha o veterano ainda terá para queimar. O Lyon consegue um acerto que outros clubes de mais peso não quiseram arriscar, e que gera suas indagações pela forma física do jogador. Mas, se der certo, é para elevar as perspectivas da equipe.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo