Ligue 1

Após longo processo de divórcio, Saint-Étienne rescinde contrato com Ruffier, ícone do clube

Sem jogar desde 16 de fevereiro de 2020, Stéphane Ruffier enfim teve seu contrato rescindido com o Saint-Étienne, segundo comunicado publicado pelos Verts nesta segunda-feira (4). O goleiro vinha em litígio com o clube há quase 11 meses, quando foi barrado pelo treinador Claude Puel.

Em um período de aparente turbulência interna no clube, Ruffier foi afastado pelo técnico antes de um jogo com o Reims, em 23 de fevereiro de 2020. Empresário do jogador, Patrick Glanz foi à imprensa, apontando que a escolha não era apenas esportiva. Em maio, após o fim do primeiro confinamento na França e na volta aos treinos coletivos, Puel teria telefonado para Ruffier para avisá-lo que não o goleiro não seria titular na temporada seguinte, a última de seu contrato.

Dando sequência à ruptura, o Saint-Étienne demitiu Fabrice Grange, preparador de goleiros específico de Ruffier e que estava nos Verts há oito anos. Em julho deste ano, a situação pareceu chegar a seu ponto de não-retorno. Um funcionário do clube foi pessoalmente até Ruffier entregar uma espécie de aviso prévio de demissão por justa causa, procedimento inicial de suspensão na França que não implica diretamente no corte do funcionário citando um atraso para um treinamento, algo incomum para o arqueiro, tradicionalmente um dos primeiros a se apresentar para as atividades.

Em novembro, por ter deixado prematuramente uma sessão de treino individual, Ruffier foi mais uma vez punido com a suspensão provisória. No mês seguinte, uma última tentativa de reconciliação entre clube e jogador, diante da LFP, organizadora das duas primeiras divisões da França, fracassou, e a instituição afirmou que em breve o clube tomaria sua decisão final.

Ela chega agora, com o rompimento do contrato que era válido até o fim da atual temporada. O desfecho põe fim a uma parceria marcante. Ruffier chegou ao Saint-Étienne em 2011 e, ao longo de quase nove anos, disputou 383 partidas pelo clube, tornando-se o goleiro com maior número de jogos pelos Verts, ultrapassando Ivan Curkovic, que havia sido uma referência no clube entre 1972 e 1981.

Aos 34 anos, Ruffier espera que a história que construiu na década passada lhe sirva de currículo bom o bastante para encontrar outro clube de primeira divisão.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador de anúncios? Aí é falta desleal =/

A Trivela é um site independente, que precisa das receitas dos anúncios. Desligue o seu bloqueador para podermos continuar oferecendo conteúdo de qualidade de graça e mantendo nossas receitas. Considere também nos apoiar pelo link "Apoie" no menu superior. Muito obrigado!