Ligue 1

A virada incrível que calou três torcidas, uma noite na liderança e uma Ligue 1 completamente indefinida

Confira os destaques da 34ª rodada da Ligue 1 Uber Eats

*Conteúdo oficial da Ligue 1

Na última rodada, o Lille sofreu para arrancar um empate diante do Montpellier, mesmo jogando em casa. O resultado permitiu que Paris Saint-Germain, Monaco e Lyon reduzissem suas diferenças de pontos para o líder.

Na ocasião, certamente os mais céticos exclamaram: “o Lille entregou o campeonato!”.

Na 34ª rodada, o cenário do caos estava escrito. Após as vitórias do PSG e Monaco sobre Metz e Angers, o que já empurrava o Lille para a terceira colocação desta edição da Ligue 1 Uber Eats, o jogo de fechamento da rodada era um confronto direto contra o Lyon. Para piorar, fora de casa.

E como nada é tão ruim que não possa piorar, o time da casa abriu 2 a 0 aos 35 minutos do primeiro tempo com direito a uma falha do goleiro – um dos destaques em todo campeonato – e gol contra do seu zagueiro.

Nesse momento, os céticos já não exclamavam. Eles tinham certeza absoluta e bradavam: “fim de campeonato para o Lille!”.

Eis que… “Ah! O futebol! Como é incrível”, responderam os amantes.

Quem dormiu na liderança de sábado para domingo não foi o Lille, mas, sim, o PSG. Após a boa vitória por 3 a 1 sobre o Metz, com dois gols de Mbappé, que chegou ao seu 25º nessa temporada e Mauro Icardi, o time da capital chegou aos 72 pontos e sua 23ª vitória em 34 jogos.

Escalado em um 4-3-3, o PSG não encontrou problemas para superar o Metz.

Com Neymar escalado pela esquerda, Sarabia pela direita e Mbappé como centroavante, o PSG abriu o placar logo de cara: aos quatro minutos de jogo. Vale destacar o lançamento que Herrera deu para Mbappé na jogada.

Com a vantagem no placar, o time de Mauricio Pochettino controlou o jogo, mas não transformou a vantagem em gols. Com isso, acabou punido no primeiro minuto do segundo tempo: Centonze, melhor jogador do Metz na partida até então, empatou após falha de marcação do zagueiro Kurzawa.

O gol mexeu com o PSG e, aos 14 minutos, Mbappé novamente marcou. Ele aproveitou uma saída de bola errada e chutou com força. Antes de entrar, a bola ainda bateu na defesa, o que mudou a trajetória da bola e a fez terminar no fundo da rede.

Melhor, mais incisivo e com o adversário controlado, o PSG até teve chances de marcar, mas por pouco a bola não entrou em duas outras oportunidades. Destaca-se aqui um chutaço de Herrera que, por infelicidade do jogador, viu a bola encontrar a trave.

Já no finalzinho, Icardi, em cobrança de pênalti, marcou pela segunda partida consecutiva e deu números finais ao confronto: 3 a 1.

A vitória levou o PSG a flertar com a liderança por pouco mais de 24 horas, mas…

No caso do Monaco, a permanência na frente do Lille durou bem menos tempo.

A vitória magra por 1 a 0 sobre o Angers, fora de casa, com gol de Ben Yedder, levou o Monaco ao segundo lugar de forma momentânea.

O resultado, inclusive, marcou a sexta partida seguida sem sofrer gols na Ligue 1.

Em campo, o Monaco sentiu falta de seus jogadores que atuam pelo lado de campo e pouco criou na primeira etapa. Ao todo, foram duas finalizações que o goleiro do Angers não teve problema para defender.

No segundo tempo, com um visível problema de atacar pelos lados do campo, o técnico Niko Kovac improvisou e sacou Aguilar, lateral-direito que estava improvisado como meia pelo lado direito.

Em seu lugar, Niko pôs Benoît Badiashile, um zagueiro.

O que dava a impressão de ser uma modificação defensiva tornou-se a variação do esquema, passando o time para um 3-5-2 e deixando o Monaco muito mais ofensivo.

Através de seus laterais Caio Henrique, pela esquerda, e Sidibé, pela direita, o Monaco ganhou dois alas e, com os dois jogadores com mais cacoetes ofensivos, o Monaco cresceu na partida.

Com uma postura excessivamente defensiva do adversário, o Monaco controlou o jogo por inteiro. Tanto é verdade que o Angers não deu um chute no gol sequer durante os 90 minutos.

Quando a partida parecia caminhar para um empate sem gols, o volante Fofana recuperou a bola na saída da defesa do Angers e deu lindo passe para Ben Yedder. Ele, numa cavadinha maravilhosa, não perdoou: 1 a 0 Monaco.

Com o resultado, o Monaco chega aos 71 pontos e segue vivíssimo na luta pelo título restando quatro partidas para o fim da Ligue 1 Uber Eats 2020/2021.

O último jogo da rodada não era somente uma partida que decidiria os futuros de Lyon e Lille nessa edição e que, com isso, movimentava a atenção dos torcedores das duas equipes.

O confronto certamente fez com que muitos torcedores do PSG e do Monaco sintonizassem a partida para torcer pelo segundo tropeço consecutivo do Lille.

E deu a impressão que aconteceria.

Aos 35 minutos da primeira etapa, o placar já estava 2 a 0 para o Lyon em uma partida na qual o Lille parecia que não teria forças para virar – ou até mesmo empatar.

Slimani abriu o placar aos 20 minutos e o zagueiro José Fonte, aos 35, contra, fez não somente a vantagem do Lyon ampliar como, cada vez mais, a chance de título se esvair entre os dedos de suas mãos.

E quando algo surpreendente acontece é o que torna o futebol essa paixão mundial.

Jogadores do Lille cabisbaixos após sofrerem o segundo gol do Lyon no 1º tempo – Crédito: (Ligue 1 – FEP)

No final da primeira etapa, o turco Yilmaz achou um gol em cobrança de falta perfeita, mas a transformação que o Lille teria que apresentar no segundo tempo teria que ser enorme para que o desfecho trouxesse a equipe não somente de volta ao jogo, mas, também, à disputa de um campeonato após 33 rodadas nas quais ele foi o time que mais liderou a competição em números de rodadas.

E a transformação veio.

Com uma linha alta de marcação, pressionando a saída de bola do Lyon, além de uma vontade enorme de seus comandados, Christophe Galtier, do banco de reservas, viu sua equipe fazer o improvável mesmo após uma chance clara de Memphis Depay no início da segunda etapa.

E não teve nada que afetaria os jogadores do Lille. Nem mesmo o baque psicológico de o árbitro não assinalar pênalti em lance que a bola bateu na mão do zagueiro Marcelo dentro da área.

Se o árbitro não deu, Lucas Paquetá resolveu fazer justiça. Em um lance bizarro na saída de bola, pressionado pela marcação alta, ele tocou para trás e deu de bandeja para Yilmaz. O autor do primeiro gol avançou na área e na saída de Lopes, rolou pro lado para David marcar o gol do empate: 2 a 2.

Responsável pelo gol do Lille, Paquetá foi substituído e carregou o peso da falha nas costas – Ligue 1 / FEP

Em busca do ataque, Galtier foi pro tudo ou nada, porque que o empate deixaria o Lille na terceira colocação. Ele tirou Ikoné e Renato Sanches, que voltou bem à equipe, e colocou Luiz Araújo e Xeka em seus lugares.

E após perder duas chances e de tanto pressionar pela virada, fato inimaginável no primeiro tempo pela passividade apresentada em campo, ela chegou.

Numa transição rápida entre turcos, Yazici lançou Yilmaz. Mesmo com 35 anos de idade, o atacante turco disparou rumo ao gol como um jovem. Ninguém o parou e, cara a cara com Lopes, ele tocou por cima na saída do goleiro e deu números finais a partida.

Um gol que não calou somente os céticos e os torcedores do Lyon, mas, também boa parte de Paris e, certamente, o Principado de Mônaco.

Se campeões, essa partida certamente entrará para a história do Lille.

Já pelo lado do time de Rudi Garcia, uma situação delicada vide que a derrota faz com que o Lyon permanecesse com 67 pontos, seis atrás do Lille e quatro atrás do Monaco, terceiro colocado, posição que garante a última vaga para a Champions League 2021/2022.

Na próxima rodada teremos Monaco x Lyon, mas se olharemos o cenário recente, os céticos dirão: “Ah, o Monaco é favorito!”. Mas, depois desse resultado do Lille, sugerimos assistir a partida e deixar os jogadores resolverem dentro de campo.

Se a briga no topo da tabela está acirradíssima, o Nantes resolveu dar um suspiro de esperança nessa rodada ao derrotar, de virada, o Estrasburgo por 2 a 1 fora de casa. Ludovic Ajorque abriu o placar aos 43 minutos do primeiro tempo, mas Castelletto, aos 53 e Blas, aos 76, viraram.

A vitória leva o Nantes a 18ª colocação e que tira o time da zona do rebaixamento direto e leva para a zona da repescagem.

.

Restando quatro jogos, o Nantes precisa tirar quatro pontos de vantagem do Lorient que, por sua vez, emplacou uma goleada em cima do Bordeaux por 4 a 1 com três gols de Terem Moffi.

Chamam à atenção as cinco derrotas consecutivas do Bordeaux e, talvez, diante desse retrospecto, o Nantes possa brigar com o Bordeaux vide que os dois times se enfrentam ainda na 36ª rodada com o Nantes jogando em casa.

Por fim, o Dijon, com a goleada sofrida por 5 a 1 pro Rennes, está matematicamente rebaixado para a Ligue 2 BKT.

Kylian Mbappé disparou na artilharia.

Ele marcou mais dois gols e abriu vantagem de sete para Memphis Depay e Wissam Ben Yedder.

Já Ben Yedder marcou mais um e alcançou Depay, que passou em branco, como Volland e Boulaye Dia.

Como consequência, Dia, que já não marca há três jogos, foi ultrapassado por Terem Moffi após o hat trick contra o Bordeaux.

Mas o nome da rodada é um artilheiro que não está entre os cinco maiores goleadores desta edição.

Seu nome é Burak Yilmaz.

Dois gols e uma assistência. Yilmaz é o nome da rodada e, talvez, da temporada do Lille – Crédito: Ligue 1 / FEP

Turco, de 35 anos, Yilmaz foi o nome do jogo que pode ter definido o campeonato.

Yilmaz se movimentou de forma constante e além de dois gols e uma assistência para David, ele deu quatro passes decisivos.

Yilmaz é o jogador mais decisivo do Lille na temporada. Ao todo, foram 12 gols marcados e cinco assistências em 24 jogos.

E, como esperado, Christophe Galtier elogiou seu centroavante.

Outro destaque da rodada se chama Fabien Centonze, do Metz.

O ala-direito conseguiu ir do céu ao inferno em 13 minutos.

Foi ele quem empatou o jogo no primeiro minuto do segundo tempo e deu esperança de que Metz teria melhor sorte na partida.

Mas um passe errado 13 minutos depois se tornou um presente para o adversário.

Pressionado, Centonze entregou a paçoca. Mbappé não perdoou e marcou o seu segundo no jogo.

Mbappé ainda seria protagonista do jogo ao chamar atenção por ter sido substituído no final da partida por causa de uma lesão na coxa direita.

Mauricio Pochettino falou sobre a situação do atacante:

Lesões são sempre preocupantes.

Entretanto, foi a lesão de Stevan Jovetic, aos 18 minutos do primeiro tempo, que permitiu a entrada de Ben Yedder na partida.

Autor do gol único da partida contra o Angers, Ben Yedder converteu o único chute que deu no alvo.

Ao todo, Wissam foi quem mais fez gols no campeonato saindo do banco de reservas – cinco ao total.

A vitória do PSG sobre o Metz teve o toque da dupla Herrera-Mbappé novamente.

Protagonistas no primeiro gol do PSG contra o Saint-Étienne na rodada passada, a dupla voltou a aparecer.

Centroavante na formação de Pochettino, Kylian não ficou parado dentro da área e colocou a sua velocidade à disposição do time.

Com boa visão de jogo, Herrera aproveitou as qualidades de Mbappé e lançou seu companheiro em profundidade. Mbappé, em velocidade, bateu os cinco defensores do Metz antes de balançar a rede.

Por outro lado, os problemas defensivos do PSG voltaram a aparecer.

Ao trabalhar a bola de um lado para o outro, o Metz encontrou o espaço necessário.

O ala-direito Fabien Centonze (18) iniciou a jogada no seu campo de defesa e apareceu na área do PSG para concluir como um centroavante.

Outro detalhe interessante de Metz 1 x 3 PSG foi notar Neymar e Marco Verratti confundindo seus marcadores ao trocarem suas posições com frequência entre o centro e o lado esquerdo do campo.

O italiano venceu 21 disputas de bola pelo chão e foi responsável por 14 dos 28 desarmes que o PSG realizou no jogo inteiro.

Já o Monaco teve dificuldades para quebrar o ferrolho (5-3-2) armado pelo Angers.

Ao abrir mão da posse de bola, o Angers permitiu ao Monaco alcançar quase 60% da posse de bola, mas um domínio ineficaz em termos de criação de jogadas.

Tanto que apenas três das 10 finalizações foram no gol de Paul Bernardoni.

Em duas delas, defesas importantes. Na terceira, Ben Yedder levou a melhor.

O volante Youssouf Fofana recuperou a bola no centro do campo e, ao perceber a linha alta do Angers, Fofana (22) deu passe em profundidade para Ben Yedder (9) no espaço que os zagueiros adversários cederam.

Ben Yedder conduziu e, cara-a-cara com Bernardoni, mostrou toda a sua classe com uma cavadinha.

Já no principal jogo da rodada, um turbilhão de emoções.

Com uma pressão forte, o Lyon, de Rudi Garcia, desarmou mais vezes (5×1) e finalizou mais que o Lille (3×2) até os 35 minutos quando o time vencia por 2 a 0.

Foi Caqueret quem liderou a pressão do seu time dentro do campo do adversário. Ele venceu oito disputas de bola pelo chão – melhor performance da partida.

Caqueret ainda foi figura importante para dar o passe para Slimani abrir o placar aos 20 minutos do primeiro tempo.

A boa partida de Caqueret contrastava com uma apatia do Lille, mas o gol de falta no final da primeira etapa foi o combustível que Christophe Galtier precisava para motivar seu time em busca da reação na segunda etapa.

E a reação veio.

Com 74% de posse de bola e três finalizações até os 15 minutos da etapa final, o Lille comandou a partida aproveitando as mudanças táticas promovidas por Galtier e, de quebra, o cansaço de Caqueret, que vinha dominando o meio de campo.

Para piorar a situação do Lyon, amassado em seu próprio campo pela marcação alta do Lille, Paquetá errou uma bola boba na saída da área. O erro grosseiro culminou diretamente no gol de empate da partida, feito pelo canadense Jonathan David.

Com brios e com a vontade de vencer e manter sua liderança – até então perdida -, o Lille continuou melhor e finalizou mais vezes entre os 16 e os 39 minutos do segundo tempo. Foram sete finalizações do Lille contra apenas duas do Lyon.

E, aos 40 minutos, chegou a recompensa por acreditar até mesmo quando tudo parecia impossível.

Com a ajuda de Yusuf Yazici, meia turco que entrou no lugar de David cinco minutos antes, escorou o chutão para frente de José Fonte e deixou o compatriota Yilmaz livre, com um campo aberto em sua frente.

Seria necessário apenas que o atacante, de 35 anos, tivesse velocidade para chegar ao gol de Lopes.

E foi o que aconteceu. “O resto é história!”

Após dois jogos de suspensão, Neymar voltou e oscilou entre o lado esquerdo e o centro do campo na partida contra o Metz.

Sua participação foi aquém do que se espera de um Neymar, mas o atacante brasileiro chutou quatro vezes para fora, acertou três dribles e deu cinco passes que antecederam uma finalização – o recorde do jogo.

Diversos brasileiros estiveram em campo em Lyon 2 x 3 Lille, mas, sem dúvidas, Lucas Paquetá foi a presença mais significativa da partida.

O meia brasileiro cometeu um erro grosseiro aos 15 minutos do segundo tempo. Seu passe errado gerou o gol de empate do Lille.

O erro acabou por gerar, quatro minutos depois, sua substituição.

Outro nome que apareceu na partida foi Thiago Mendes.

Titular do início ao fim, Thiago quase marcou um belo gol aos 22 minutos do segundo tempo em um balaço que obrigou Mike Maignan a trabalhar.

Thiago Mendes quase desempatou a partida, mas Maignan salvou o Lille – Crédito: Damien LG – OL

Já Caio Henrique foi mais um que enfrentou dificuldades contra o Angers.

Sem acertar nenhum dos seis lançamentos, Caio também errou o único cruzamento e o único drible que tentou.

Tal como Caio Henrique, que foi um jogador que não começou sua carreira como ala-esquerdo, Luis Henrique, que tem desempenhado essa função pelo Marseille, também não teve grande destaque na 34ª rodada.

O ponta revelado pelo Botafogo jogou os 15 miuntos finais da vitória de 3 a 1 sobre o Reims e deu um passe que antecedeu uma finalização nesse período em campo.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo