Copa do MundoFrançaLiga das Nações

Azedou: Mbappé se recusa a participar de sessão de fotos na seleção francesa por divergência de direitos de imagem

Grande estrela da França, Mbappé não concorda com a forma como a Federação Francesa usa imagem dos jogadores, mas pedido de mudança não foi atendido

A situação dentro da seleção francesa a poucos meses da Copa do Mundo está azedo. O atacante Kylian Mbappé, principal jogador e grande estrela do time, se recusou a participar de uma sessão de fotos da seleção francesa, a ser realizada nesta terça, por discordar do atual acordo de direitos de imagem dos jogadores. A Federação Francesa informou que não mudaria o acordo, conforme tinha sido pedido por Mbappé, e assim ele mais uma vez se recusa a participar de algo oficial da FFF em protesto.

O comunicado divulgado pela FFF nesta segunda-feira dizia que “nada irá mudar entre agora e a Copa do Mundo” em relação aos direitos de imagem. Foi esse o ponto que fez Mbappé reagir. No comunicado divulgado pela sua equipe, ele ainda ressalta que isso nada tem a ver com a participação em campo. “Obviamente, isso não coloca em questão o seu comprometimento e determinação em contribuir para o sucesso coletivo da seleção nacional nos eventos importantes que virão”, diz o comunicado do jogador.

O aviso que o jogador não participará veio em um comunicado da equipe do jogador à agência de notícias AFP. “Kylian Mbappé e seus representantes lamentam profundamente que não foi possível entrar em acordo à vista da Copa do Mundo”, diz o comunicado.

O que acontece nesta data Fifa não é uma novidade. Em março, Mbappé já tinha entrado em conflito com a FFF por não concordar com o acordo de direitos de imagem. Na ocasião, houve uma discussão e ele se recusou a participar de eventos para os patrocinadores da seleção francesa.

Em maio, quando anunciou a sua renovação de contrato com o PSG, Mbappé foi perguntado sobre o assunto. “O engraçado é que antes deste acontecimento em março, acho que ninguém escreveu um artigo, nem mesmo breve, sobre direitos de imagem. Essa coisa tinha que acontecer para ter um monte de coisas: ele não quer fazer isso, ele disse aquilo, ele não quer aquilo…”, comentou o jogador na época.

“Houve um mal-entendido na seleção, mas nós vamos resolver isso porque está chegando uma competição, não vamos criar problemas à toa, temos um país pelo qual vencer. Mas o futebol mudou e acho que é justo que os jogadores tenham poder de decisão de falar em seu nome, de escolher com qual marca estará associado”, afirmou ainda Mbappé.

“Não estou pedindo muito, tenho direito de gerir minha carreira como achar adequado, com os valores que quero defender. Não quero revolucionar o futebol, não vou ter sucesso nisso, não é meu objetivo, não é a minha luta”, continuou o atacante.

Segundo o L’Equipe, uma das divergências em relação ao acordo de direitos de imagem é que alguns jogadores têm sido usado mais e mais, com outros mais escondidos. Ele quer poder escolher com quais marcas quer estar associado e o acordo atual prevê que os jogadores devem cumprir compromissos comerciais com os patrocinadores da seleção francesa, independentemente da sua vontade.

Esse clima de insurreição na seleção francesa não é uma novidade. Em 2010, tivemos até uma greve dos jogadores por não concordarem com o tratamento de um colega de equipe. Desta vez, a FFF terá até a Copa do Mundo para resolver o que fazer para amenizar esse clima bastante ruim que se cria e, claro, afeta as relações comerciais da entidade que dirige a seleção francesa.

A França vai a campo na quinta-feira para enfrentar a Áustria, no Stade de France, em Saint-Denis, região metropolitana de Paris. No domingo, os franceses enfrentam a Dinamarca em Copenhague, ambos jogos pela Liga das Nações.

Foto de Felipe Lobo

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!). Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009, onde ficou até 2023.
Botão Voltar ao topo