Europa

Um resumão da fase de grupos do Europeu Sub-21, com seleções tradicionais classificadas e a decepção da Inglaterra

Segunda competição mais importante no calendário de seleções masculinas da Uefa, o Campeonato Europeu Sub-21 encerrou a fase de grupos nesta quarta-feira. A competição teve seu cronograma alterado por causa do adiamento da Euro 2020 e, por conta disso, os mata-matas se concentrarão no início de junho. Será uma oportunidade para ver diversos talentos até 23 anos (o limite de idade na fase final), assim como o confronto entre várias seleções tradicionais. A maior parte dos favoritos avançou.

A grande surpresa entre os eliminados é a Inglaterra, que tinha uma seleção forte o suficiente, mas perdeu seus dois primeiros jogos. Os Three Lions deixaram escapar a vaga aos 46 do segundo tempo nesta quarta, com a vitória por 2 a 1 sobre a Croácia se tornando insuficiente – e permitindo a festa dos croatas. Entre as camisas mais pesadas, passaram Alemanha, Holanda / Países Baixos, Espanha, Itália e França. De qualquer maneira, vale prestar atenção em Portugal e Dinamarca, que fizeram partidas muito consistentes e avançam com 100% de aproveitamento.

Nas quartas de final, jogam Holanda x França, Dinamarca x Alemanha, Espanha x Croácia e Portugal x Itália. Os duelos acontecem em 31 de maio. As semifinais estão marcadas para 3 de junho, enquanto a decisão será celebrada em 6 de junho, na cidade eslovena de Ljubljana. Abaixo, um resumão sobre os quatro grupos, com os destaques:

Grupo A

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore


Alemanha e Holanda / Países Baixos cumpriram o favoritismo na chave, mas sofreram ameaças da Romênia – sobretudo os neerlandeses. As três seleções terminaram o quadrangular com cinco pontos e a classificação só foi arrancada pela Oranje na última rodada, graças a uma goleada por 6 a 1 sobre a Hungria. Os magiares, aliás, acabaram como pior equipe e se despediram do torneio sem pontuar, mesmo sendo anfitriões.

Os cinco pontos dos três primeiros foram garantidos graças a vitórias sobre os húngaros e a empates entre si. Holanda / Países Baixos e Alemanha levaram a melhor porque fizeram mais saldo contra os lanternas. No papel, os neerlandeses parecem ter uma equipe mais madura para a fase final, mas os alemães acabaram fazendo uma campanha mais consistente, dependendo apenas do empate na rodada final. O duelo sem gols contra a Romênia, aliás, foi dos mais animados. Os germânicos perderam um pênalti e acertaram o travessão no fim, ainda que os romenos tenham pressionado pela vitória e também parado no poste.

Na Mannschaft, o ponta Ridle Baku e o atacante Lukas Nmecha foram decisivos por seus gols nesta fase, enquanto o zagueiro Amos Pieper também liderou o sistema defensivo. A Oranje contou com grande atuação do ponta Cody Gakpo no jogo da classificação, além de participações decisivas de Myron Boadu e Dani de Wit. Já entre os romenos (treinados por Adrian Mutu), ainda vale destacar o bom papel do meia Andrei Ciobanu.

Grupo B

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore


Deu a lógica, com as classificações de Espanha e Itália, mas com ressalvas. A Roja cumpriu seu papel com mais autoridade, reafirmando o sucesso na categoria sub-21, com duas vitórias e um empate. Já os italianos empataram nos dois primeiros jogos e só respiraram com a goleada por 4 a 0 na rodada final, em cima da República Tcheca. Os tchecos foram os que mais ameaçaram, mas um empate com a anfitriã Eslovênia brecou as suas intenções.

A Espanha conta com uma equipe baseada principalmente em clubes menores. Conquistou vitórias sobre Eslovênia e República Tcheca, além de ter deixado o triunfo sobre a Itália escapar com um jogador a mais. Já os italianos tiveram muitos problemas sobretudo com expulsões, recebendo cinco cartões vermelhos nas três partidas. Sandro Tonali decepcionou ao pisar num adversário no jogo contra os tchecos e pegar três duelos de suspensão. O desafogo só veio na rodada final contra os eslovenos, com goleada por 4 a 0, incluindo dois gols de Patrick Cutrone.

O meio-campista Gonzalo Villar esteve entre os melhores jogadores da Fúria nesta fase, com o lateral Juan Miranda, o meia Manu García e o atacante Dani Gómez também despontando. A Azzurra se pautou no papel de Luca Ranieri na zaga e de Davide Frattesi no meio, além de confiar nos gols de Cutrone. Apesar da lanterna, o goleiro Igor Vekic deixou a Eslovênia em alta, assim como a República Tcheca viu o destaque de Dominik Janosek no meio.

Grupo C

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore


Nesta chave saiu a melhor seleção da fase de grupos do Europeu Sub-21. E, bem, não foi a incensada França, mas sim a Dinamarca. Os dinamarqueses apresentaram um futebol bastante fluido e que agradou pelos belos gols. Somaram nove pontos, carimbando a classificação com sobras. Já os franceses passaram na segunda colocação, com seis pontos e uma ajuda dos escandinavos, que afastaram a ameaça dos russos na última rodada. A Islândia ficou em último.

A Dinamarca nadou de braçada no Grupo C, com uma estreia contundente logo contra a França, vencendo por 1 a 0. O time treinado pelo espanhol Albert Capellas continuou crescendo e, depois dos 2 a 0 sobre a Islândia, fechou sua participação com os 3 a 0 sobre a Rússia, num show de bola. Os Bleus se recuperaram do revés inicial ao baterem russos e islandeses. Já a Rússia foi de mais a menos. Apesar da goleada sobre a Islândia na estreia, não mostrou o mesmo potencial nos confrontos diretos.

A Dinamarca contou com os ótimos serviços do armador Jesper Lindström, que faz boa temporada pelo Brondby. O zagueiro Victor Nelsson foi outro a se valorizar, assim como o ponta Jacob Bruun Larsen e o volante Nikolas Nartey. A França teve Jules Koundé bem acompanhado por Benoît Badiashile na zaga. O capitão Mattéo Guendouzi teria papel importante na classificação, tal qual o centroavante Odsonne Édouard. Já entre as eliminadas, o russo Fedor Chalov fez uma estreia fenomenal, quando Sveinn Aron Gudjohnsen (o filho de Eidur) também anotou seu gol pela Islândia.

Grupo D

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore


A Inglaterra beirou um milagre, mas deixou a fase de grupos como a grande decepção. A chave era a mais difícil e os ingleses sofreram duas derrotas nas duas primeiras rodadas. Porém, quando os planetas pareciam se alinhar para garantir a classificação na rodada final, um gol sofrido nos acréscimos do segundo tempo salvou a Croácia. Assim, os croatas passaram no saldo de gols, igualados a ingleses e também a suíços na briga pela segunda vaga. Na liderança, Portugal sobrou e chegou aos nove pontos.

Portugal excedeu as expectativas ao vencer seus três jogos. Fez 1 a 0 na Croácia, 2 a 0 na Inglaterra e aumentou o saldo com os 3 a 0 contra a Suíça. Enquanto isso, os três concorrentes conseguiram uma vitória cada contra si. A Suíça bateu a Inglaterra por 1 a 0 na primeira rodada, mas perdeu para a Croácia por 3 a 2 na segunda. Com isso, os Three Lions precisavam vencer o último compromisso contra a Croácia e ainda tirar a diferença de saldo sobre os rivais. Iam conseguindo, com o triunfo parcial por dois gols de diferença, mas uma pintura de Domagoj Bradaric aos 46 do segundo tempo selou o placar em 2 a 1 e o avanço dos balcânicos mesmo com a derrota.

Francisco Trincão foi um nome importante no ataque de Portugal, assim como o Dany Mota no mesmo setor. O meio-campista Daniel Bragança e o zagueiro Diogo Queirós também se tornaram referências, enquanto Diogo Dalot e Thierry Correia foram escapes importantes nas laterais. A Croácia teve Domagoj Bradaric como herói, assim como o bom papel do meia Lovro Majer e do goleiro Dominik Kotarski. E se a Inglaterra via Curtis Jones quase pintando como salvador na rodada final, Dan Ndoye merece menção pela vitória da Suíça na estreia.

 

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo