Europa

Turnê mundial de clubes, outra loucura de Rupert Murdoch

Imagine só se você tivesse em mãos um conglomerado de meios de comunicação, um dinheiro quase interminável para gastar e tivesse ideias quase sempre megalomaníacas em busca de mais dinheiro. Afinal, você é ganancioso e ganhar alguns trocados já não lhe serve mais. Você quer milhões, bilhões, trilhões em uma tacada só.

Nessa vontade, você ignoraria qualquer organização ou entidade que tivesse determinações ou interesses conflitantes com os seus. Por que acatar aos outros quando você pode tentar controlá-los, não é mesmo?

Magnata da imprensa internacional e dono do conglomerado Fox, além do New York Post e operadoras de TV paga, Rupert Murdoch gera mais um rebuliço ao sugerir uma nova liga internacional entre clubes, em sua maioria europeus e detentores de marcas fortes no planeta.

E ele teve mais uma epifania esta semana. De acordo com o Guardian, Murdoch teria sugerido a criação de uma liga itinerante (nos moldes da Fórmula 1, com etapas em vários países diferentes) com 16 clubes, durando cerca de dez edições e ocupando as datas que geralmente são utilizadas para amistosos. Pelo menos dois ou três equipes das principais ligas europeias seriam convidadas para participar. Algumas cidades já teriam recebido propostas de executivos ligados a Murdoch, numa tentativa de sondar quanto seria gasto para que elas sejam sede de partidas deste novo campeonato.

Qualquer adição ao calendário oficial será descartada pela Uefa

Num passado não muito distante, a Uefa (que já era presidida por Michel Platini) fez acordo com as federações internacionais de clubes para que elas não disputem competições oficiais sem a chancela da entidade até 2018. O motivo é óbvio: Platini (e qualquer outra pessoa que entenda minimamente como o esporte funciona) defende que mais adições de datas ao calendário esportivo seriam danosas aos times e especialmente aos jogadores.

Ainda que alguns dirigentes e clubes enxerguem a proposta como interessante, especialmente pelos valores que estarão envolvidos, devem encarar forte resistência da Uefa, que claramente não será consultada por Murdoch e seus executivos. A tentativa não passa de uma reinvenção parcial do futebol por um viés comercial.

Enquanto isso, a Fox perdeu os direitos de transmissão da Premier League nos Estados Unidos para a NBC. Ainda segundo o Guardian, o conglomerado de Rupert já fez algo parecido nos anos 1990, só que no rúgbi australiano, criando uma liga nova que contemplava as transmissões da Fox no país da Oceania.

A diferença é que o futebol é muito mais consolidado mundialmente do que o rúgbi. E a sua exploração exagerada apenas por fins financeiros não pode ser levada a sério. É melhor você arrumar outro brinquedinho ou mina de ouro, Murdoch. No videogame dá pra criar qualquer campeonato, com qualquer time e jogando em qualquer estádio. Além disso, deve sair mais barato e dar menos problema. Assim, apenas uma sugestão.

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é zagueiro ocasional, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes
Botão Voltar ao topo