Europa

Torcedores até acampam e, em apenas um dia, Celtic vende 41 mil carnês de temporada

O fanatismo da torcida do Celtic é mais do que conhecido. E, ainda que o desempenho do clube no cenário europeu não tenha sido animador nas últimas temporadas, os alviverdes deram uma enorme mostra de sua fidelidade nesta segunda. Empolgados diante das perspectivas para 2016/17, com a contratação do técnico Brendan Rodgers e a volta do rival Rangers à primeira divisão, milhares de torcedores acamparam ao redor da sede do clube, para comprar os carnês de temporada do Campeonato Escocês. Em menos de 24 horas, já foram vendidos mais de 41 mil, superando a marca da temporada passada.

A fila imensa começou a se formar na noite anterior e dobrou quarteirões. Ao todo, foram disponibilizados 52 mil carnês de temporada – dos 60 mil de capacidade nas arquibancadas do Celtic Park. Os Bhoys não superam os 50 mil carnês vendidos desde 2009/10. E, pelo visto neste primeiro dia, não terão muitos problemas para atingir o número.

Apesar da aposta alta em Brendan Rodgers, os torcedores já geraram dinheiro para bancar os £ 2,4 milhões que o treinador receberá ao longo da temporada. As expectativas são de que, somando também os ingressos avulsos e outros serviços, o Celtic ganhe £ 25 milhões com sua casa ao longo da temporada. Embora o trabalho no Liverpool tenha deixado a desejar, o novo comandante vem respaldado a uma transformação, até mesmo pelo passado no Swansea. Não à toa, o clube vem promovendo o negócio como a “Rodgers’ Revolution”.

Além disso, o impacto nas vendas já começa a apontar um efeito benéfico da volta do Rangers à primeira divisão. Todos ganham no Campeonato Escocês, pelo interesse que aumenta e pela competição que se aquece – até mesmo o Celtic. Afinal, a disputa não se dará apenas em campo, mas também nas mostras de paixão nas arquibancadas. Neste ponto, os alviverdes saem na frente.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo