Europa

Todo mundo quer contratar Guus Hiddink

Guus Hiddink só assiste à Copa do Mundo de 2014 de casa se quiser. Pelo menos quatro seleções, uma já classificada e duas com chances de repescagem, querem contratar o holandês, um dos técnicos mais importantes das últimas duas décadas.

A aposta mais segura de Hiddink, que saiu do Anzhi no meio do ano e decidiu tirar seis meses de férias, é a Austrália. Mesmo com vaga garantida no Mundial do Brasil, a federação australiana demitiu Holger Osieck após o time sofrer duas goleadas por 6 a 0, para França e Brasil. Seria um território conhecido para o técnico, que levou os Socceroos às oitavas de final em 2006, melhor campanha da história da seleção.

O agente de Hiddink, Cees van Nieuwenhuizen, confirmou à emissora de televisão ABC que o seu cliente recebeu várias propostas de seleções, mas só vai tomar uma decisão no fim do mês, provavelmente para acompanhar o desenrolar da última rodada das Eliminatórias Europeias, na próxima terça-feira.

Isso porque uma das equipes interessadas na experiência do holandês é a Dinamarca, terceira colocada do Grupo B com os mesmos 13 pontos da Bulgária. Na última rodada, enfrenta Malta, em casa, de olho em uma vaga na repescagem. Outra é a Hungria, quarta no Grupo D, com remotas chances de passar Romênia e Turquia e conseguir um lugar nos playoffs. A Polônia, também de olho, já está eliminada.

Hiddink foi pentacampeão holandês com o PSV, treinou o Real Madrid e ganhou uma Copa da Inglaterra com o Chelsea. Por seleções, levou a Holanda, em 1998, e a Coreia do Sul, quatro anos depois, às semifinais, além de conseguir a melhor campanha da história da Austrália. Também comandou a Rússia e a Turquia. Parece uma aposta segura para qualquer um que o contrate.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo