Europa

Por voos mais altos

Nenhum clube turco gerou mais repercussão no último mês do que o Besiktas. Depois de ter levado para Istambul Guti e Ricardo Quaresma no início da temporada, mais três jogadores de renome foram contratados em janeiro. Simão Sabrosa, Hugo Almeida e Manuel Fernandes não só ampliam a comunidade lusófona no elenco dos Kara Kartallar, como também dão esperanças de dias melhores em campo.

Ao trio, ainda se junta o defensor checo Tomás Sivok, que volta recuperado de uma séria contusão no joelho, que o afastou dos gramados por cinco meses. Reforços e tanto para um time que, nos últimos seis meses, esteve longe do sucesso de outrora. Sempre brigando no topo da tabela, o Besiktas tem hoje ameaçada até mesmo a classificação para as competições europeias.

Ao longo do primeiro turno, pesou especialmente o menosprezo por alguns adversários em ascensão. Nenhuma das cinco derrotas nas primeiras 17 partidas foi contra rivais de Istambul. Ante o Fenerbahçe, empate por 1 a 1. Sobre o Galatasaray, vitória por 2 a 1, mesmo atuando fora de casa. Já diante da própria torcida, os alvinegros não foram páreos para Manisaspor e Istanbul BB.

Além disso, a equipe sentia falta de alguém que centralizasse a orientação em campo durante todo o campeonato. Guti até fez isso algumas vezes, mas alternou grandes atuações e jogos apagados. Longe do sucesso atingido em temporadas anteriores, Bobô foi a solução algumas vezes, todas elas contra adversários comprovadamente frágeis. Rodrigo Tabata, líder em assistências até então, não gozava de confiança dentro do grupo – tanto é que acabou emprestado ao Al Rayyan, do Catar.

Já a lista dos que decepcionaram foi extensa. Começa encabeçada justamente por Ricardo Quaresma, que, a despeito dos 7,3 milhões de euros investidos no seu futebol, arrebentou em uma ou outra partida. Muito pouco comparado ao seu potencial na equipe. O mesmo vale para Nihat e Mert Nobre, mais antigos no grupo. Outros como Filip Holosko, Fatih Tekke e Michael Fink, de tão mal, até arrumaram as malas.

A inclusão dos recém-contratados deu novo gás ao elenco na volta da pausa de inverno. Logo na reestréia do Campeonato Turco, uma goleada. Vitória por 5 a 1 para cima do Bucaspor. O adversário não era dos mais fortes, é verdade, mas a dimensão do resultado animou por si só. Mert Nobre e Guti marcaram por duas vezes. Dentre os novatos, Simão anotou o terceiro tento, este servido por Ricardo Quaresma, enquanto Hugo Almeida deu o passe para o quinto.

Em campo, Bernd Schuster armou um eficiente esquema 4-2-2-1-1, aproveitando muito bem as características de seus jogadores. Hugo Almeida, quase sempre fixo na área, recebia o apoio de Mert Nobre, que fazia o papel de segundo atacante. Pelos lados do campo, o alemão aproveitou a velocidade de Simão e Quaresma. Pelo meio, Guti e Mehmet Aurélio cobriam os espaços e avançavam um pouco mais quando necessário.

Pela Copa da Turquia, a mesma estratégia funcionou por duas vezes para assegurar a classificação. Primeiro contra o Manisaspor, de virada. Depois, a vítima foi o líder da Süper Lig, o Trabzonspor, em jogo que valia vaga direta nas quartas-de-final. Com gols de Quaresma e Almeida, o feito foi consumado diante da torcida, que se inflamou em Istambul.

A magia das três primeiras partidas do ano, no entanto, começou a desfazer já neste final de semana. Assim como no primeiro turno, o Besiktas caiu diante do Istanbul BB. Triunfo de 2 a 1 para os vizinhos, mesmo com todas as estrelas alvinegras em campo. O gol da vitória saiu aos 44 do segundo tempo, em um contra-ataque que pegou a zaga desguarnecida.

O sinal de alerta apontou algumas fragilidades no time, em especial na defesa. Duas posições estão em xeque. Cenk Gönen, de 22 anos, veio do Denizlispor em julho com a difícil missão de ocupar o lugar do veterano Rüstü no gol. Ainda sem a confiança necessária do público, o goleiro falhou feio no primeiro gol do Istanbul BB, soltando um cruzamento nos pés do atacante adversário. Já a lateral-direita, sem um dono até o momento, também preocupa.

Bernd Schuster, além disso, terá que planejar a produção coletiva de sua equipe. A qualidade individual de seus jogadores é inegável e provavelmente resolverá algumas partidas a favor dos Kara Kartallar. Entretanto, para engrenar com atuações consistentes, o técnico alemão precisará encaixar cada uma de suas peças em prol de um jogo em conjunto. Por enquanto, as experiências no returno mostram um resultado satisfatório.

Para o restante da temporada, o principal objetivo é a Copa da Turquia, que vale uma vaga nas competições europeias. Apenas com o Galatasaray pelo caminho, a expectativa é de tranqüilidade rumo à decisão. Já na Liga Europa, os alvinegros devem se empenhar, mais sem criar grandes expectativas pelo título. O adversário na próxima fase é o Dynamo Kiev. E enquanto os Kara Kartallar não engatam uma sequência de vitórias, a Süper Lig fica em segundo plano. Atualmente o clube está 12 pontos atrás do líder e a 10 pontos da segunda vaga para a Liga dos Campeões. Com a distância acentuada, a competição deve servir mais como parâmetro para o acerto do time. Preparação eficiente para voltar a vencê-la na próxima temporada. Ou, quem sabe com uma reviravolta, ainda nessa.

Cortinas fechadas

O encerramento da janela de transferências do inverno europeu não foi dos mais prodigiosos aos clubes de Grécia e Turquia, que se movimentaram pouco. Em terras turcas, o Galatasaray foi o único a botar a mão no bolso nos últimos dias. Pagou 5 milhões de euros no romeno Bogdan Stancu e outros 3,75 milhões por Yekta Kurtulus. Ex-jogador de Steaua Bucaresti, Stancu, que é atacante, chega credenciado pela artilharia no campeonato de seu país. Já o meia Kurtulus fez sólido campanha pelo Kasimpasa na primeira metade da Süper Lig, além de ter estreado pela seleção nacional em novembro.

Nas outras equipes, o nome de maior destaque é o do angolano Manucho, que foi contratado em definitivo pelo Manisaspor. E a segunda divisão local terá uma estrela internacional em suas fileiras: depois de ninguém querer se arriscar, o Rizespor arrematou o empréstimo da eterna promessa Freddy Adu. Aos 21 anos, o norte-americano vai para o sétimo clube de sua carreira.

Do outro lado do Mar Egeu, o lamento ficou por conta do Aris. Ainda com esperanças na Liga Europa, após classificação histórica na fase de grupos, o time cedeu ninguém menos que o seu principal jogador. Javito, que já está acertado com o Olympiacos para a próxima temporada, vai por empréstimo ao Deportivo La Coruña até julho.

Como dito na coluna da semana passada, a coisa anda preta para os lados do Monte Olimpo. Só o AEK se mexeu com eficiência nos últimos dias e, mesmo assim, trouxe um jogador sem custos. David Mateos, cria da base do Real Madrid, ficará em Atenas até o fim da temporada.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo