Europa

Polêmicas e tribunais são comuns para o Sion

O Sion é, nos últimos tempos, o clube suíço que mais dá trabalho a advogados e aparece no noticiário internacional sobre os bastidores do futebol no país (o Neuchâtel Xamax, abordado pela coluna há três semanas, restringe suas polêmicas ao âmbito interno). O último caso envolvendo o clube ganhou destaque na mídia mundial por ter do outro lado ninguém menos que a Uefa e uma das mais importantes competições do mundo, a Liga Europa. Classificado para a fase de grupos após bater o Celtic nos playoffs, o time suíço foi punido pela entidade máxima do futebol europeu e ficou sem a vaga.

A punição, vale lembrar, ocorreu porque o clube utilizou jogadores irregulares nas partidas contra os escoceses. O Sion estava proibido de fazer contratações, por causa do aliciamento, em 2008, do goleiro egípcio Essam el-Hadary. Ele acertou contrato com os suíços sem permissão do seu então clube, o Al-Ahly.

Pois bem. Este seria somente mais um caso de irregularidade-cometida-e-punida-pela-Uefa se o Sion não tivesse como dono/presidente um homem chamado Christian Constantin. Polêmico, o empresário que ganha a vida com sua empresa de arquitetura, resolveu meter a boca no mundo, apelar para todas as cortes possíveis (até fora do âmbito da Justiça Desportiva) e declarar guerra contra Michel Platini, o presidente da Uefa.

Esta não é a primeira – e pelo histórico, provavelmente também não será a última – vez que Constantin e o Sion se envolvem em notícias que vão além do ocorrido dentro das quatro linhas.

Em 2002, o clube estava praticamente falido e não teve sua licença renovada para disputar a Super League, a primeira divisão do Campeonato Suíço (vale o registro: lá, diferentemente daqui, todos os clubes precisam provar a cada temporada que têm condições de disputar a divisão em que estão inseridos).

Na temporada seguinte, ficou em quinto lugar na segunda divisão, mas continuou com problemas financeiros. Foi justamente quando Constantin adquiriu o clube.

Na época, a Justiça Desportiva local condenou o Sion ao rebaixamento para a terceira divisão. Mas o novo dono não aceitou a punição, recorreu e acabou conseguindo com que o time jogasse a Segundona em 2003/04. Com um detalhe: o campeonato já estava em andamento quando foi dada a sentença, o que obrigou o time a fazer muitos jogos em poucos dias, para compensar o atraso na tabela.

Em 2005/06, o clube teve uma temporada excelente, a melhor de todas sob o comando de Constantin. Foi vice-campeão da Challenge League (retornando à divisão de elite) e tornou-se a primeira equipe da Segunda Divisão a conquistar o título da Copa da Suíça.

Christian Constantin também é famoso na Suíça por criticar abertamente árbitros e dirigentes da Federação, especialmente quando seu time não consegue os resultados. Internamente, também cria suas polêmicas: em oito anos de gestão, já empregou 25 treinadores e, por duas vezes, ele mesmo assumiu o comando técnico da equipe.

Agora, é mais embaixo

O imbróglio envolvendo o Sion agora, porém, é bem mais cascudo. Afinal, do outro lado da mesa estão advogados da segunda entidade mais importante do futebol mundial. Além de seu peso, a Uefa tem argumentos bem razoáveis para querer punir o Sion e ainda conta com o apoio formalmente declarado das 53 confederações nacionais que formam seu quadro – inclusive a da Suíça.

Talvez seja por isso que Constantin esteja utilizando a estratégia de criticar a tudo e a todos abertamente. Com declarações sempre fortes e polêmicas (como quando disse que Platini poderá ser preso se não recolocar o Sion na Liga Europa), ele evidentemente ganha espaço na mídia e acredita que sensibilizará algum dos tantos tribunais em que o caso foi parar.

O problema está longe de ter uma resolução definitiva. Nesta semana, as duas partes vão se encontrar pelo menos duas vezes: na terça, num tribunal comum do cantão de Vaud, na Suíça (que deu ganho de causa ao Sion em primeira instância e agora julgará o recurso da Uefa) e, na quarta, na Corte Arbitral do Esporte (CAS), que já deu todas as pistas de que ficará do lado da Uefa.

O curioso nessa história toda é observar que o pivô de tanta confusão não foi assim tão importante para o Sion. Essam el-Hadary (que em 2008 chegou até a fugir do Egito para tentar fechar o contrato com os suíços), defendeu o clube em apenas uma temporada – ganhou o título da Copa da Suíça e foi oitavo colocado no campeonato nacional.

Já no ano seguinte, o goleiro manifestou publicamente seu arrependimento pelo ocorrido. Ele foi multado e suspenso e nunca mais atuou pelo seu antigo clube, embora tenha seguido como titular da seleção egípcia. Atualmente joga no Al Merreikh, do Sudão.

O que vai acontecer agora, ninguém sabe – embora o mais provável é que a punição ao Sion seja mantida pela CAS, independente da decisão da Justiça Comum. A única certeza, mesmo, é a de que Christian Constantin atacou de novo e escreveu mais um capítulo de sua polêmica e curiosa biografia.

CURTAS

Áustria

– O Admira é realmente a grande sensação da Bundesliga austríaca. No domingo, recebeu o líder e até então invicto Red Bull Salzburg e venceu por 2 a 1, com dois gols de Philipp Hosiner.

– Com o resultado, o Almirantado fecha o primeiro dos quatro turnos com a mesma pontuação do Red Bull (18 pontos) e só ocupa o segundo lugar por ter saldo de gols inferior ao dos touros vermelhos.

– Nos demais jogos da nova rodada, os resultados foram os seguintes: Wacker Innsbruck 0 x 3 Rapid Viena, Wiener Neustadt 2 x 2 Ried, Áustria Viena 2 x 1 Sturm Graz e Kapfenberg 1 x 0 Mattersburg.

– Na Erste Liga, Altach e St. Andrä dividem a ponta, ambos com 26 pontos ganhos. Na última rodada, o Altach bateu o Lask Linz em casa por 2 a 0 e o St. Andrä empatou fora com Blau-Weiss Linz por 2 a 2.

– Foram sorteados no domingo os jogos das oitavas de final da Copa da Áustria, que serão realizados nos dias 25 e 26 de outubro. Dois deles serão entre equipes da primeira divisão: Rapid Viena x Ried e Sturm Graz x Admira.

– Seguem fortes as especulações sobre quem substituirá Didi Constantini no cargo de técnico da Áustria. Na semana passada, o presidente da Federação Austríaca, Leo Windtner, se reuniu com Franco Foda, técnico do Sturm Graz.

– Foda vem sendo apontado como o principal nome, mas desconversa sempre que é perguntado a respeito. Ele chegou até a irritar-se com a imprensa, que descobriu o encontro, até então secreto, dele com Windter.

Suíça

– Com a vitória fora de casa na rodada do meio da semana (2 a 0 sobre o Servette), o Luzern fechou o primeiro de quatro turnos na liderança da Super League.

– Neste final de semana, o campeonato teve a abertura do segundo turno e o líder voltou a vencer, desta vez jogando em casa: 2 a 0 no Sion. Com sete vitórias e três derrotas, o Luzern é o único invicto da competição e tem seis pontos de vantagem sobre o Young Boys, segundo colocado.

– Os demais resultados da 10.ª rodada foram os seguintes: Thun 1 x 1 Basel, Zürich 1 x 2 Young Boys, Grasshopper 0 x 1 Neuchâtel Xamax e Lausanne 0 x 0 Servette.

– Na Challenge League, o líder St. Gallen recebe o Kriens hoje e pode ampliar para quatro pontos sua vantagem para o Bellinzona.

– O Basel anunciou na semana passada a renovação do contrato do atacante camaronês Jacques Zoua por mais duas temporadas. Ele marcou dois gols na temporada até agora.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo