Europa

Marcelo dará continuidade à sua carreira na Grécia, anunciado pelo Olympiacos

Marcelo levou um tempo para encontrar um novo destino após deixar o Real Madrid, mas atuará no Olympiacos e já foi inscrito na Liga Europa

O destino de Marcelo permaneceu como um dos maiores mistérios da janela de transferências. Depois do final de seu contrato com o Real Madrid, o lateral esquerdo estava livre para assinar com qualquer clube e muitas especulações surgiram, mas nada de concreto. A confirmação de sua nova casa aconteceu apenas nesta sexta-feira, data limite para a inscrição de jogadores na fase de grupos das copas europeias. O veterano defenderá o Olympiacos, que oficializou o negócio em suas redes sociais de maneira surpreendente. O brasileiro já consta na lista do clube para a Liga Europa, em contrato de um ano, prorrogável por mais um.

Até mesmo a aposentadoria de Marcelo não parecia descartada nestas últimas semanas. Segundo o noticiário, o astro tinha algumas demandas em relação ao seu destino, o que restringia as possibilidades. Durante um tempo, era provável que continuasse na Espanha por causa da sua família. Falou-se no Valladolid, presidido por Ronaldo. Fora do país, rumores sobre Lyon e Milan não se concretizaram. O lateral também levava em conta o nível esportivo, sem se sentir atraído por ofertas da MLS ou do Oriente Médio. Nem mesmo a volta para o Brasil se indicava nos planos. Com a falta de notícias, parecia mais provável que o defensor se dedicasse à carreira de empresário, na gestão do Azuriz e do Mafra. Isso até o Olympiacos surgir nesta sexta.

O Olympiacos é um dos clubes mais ricos fora das cinco grandes ligas europeias. O dono dos alvirrubros é Evangelos Marinakis, magnata grego que também despeja dinheiro no Nottingham Forest. O poderio financeiro certamente pesou nas negociações com Marcelo. Além disso, o brasileiro se junta a um clube tradicional e terá a oportunidade de seguir presente nas copas europeias. Aos 34 anos, ainda que tenha passado por seu auge físico, esbanja na técnica e terá a possibilidade de fazer a diferença em Pireu.

A história internacional de Marcelo certamente conta muito para o Olympiacos. O lateral disputou 102 partidas pela Champions League, com cinco títulos conquistados pelo Real Madrid. É o jogador mais vitorioso da história merengue e possui uma liderança inegável, além da qualidade técnica acima da média. Sua influência nos vestiários será enorme, considerando a bagagem de 546 partidas pelos madridistas. Será um trunfo contra Freiburg, Nantes e Qarabag na fase de grupos da Liga Europa.

Marcelo, de certa maneira, repete o caminho de outros veteranos brasileiros que deixaram saudades no Estádio Karaiskakis. Giovanni e Rivaldo são ídolos do Olympiacos, com grandes momentos pela equipe na primeira década deste século, quando chegaram já consagrados a Pireu. Enquanto isso, outros jogadores do país marcaram seus nomes – a exemplo de Zé Elias, Dudu Cearense, Diogo e Guilherme. Mais recentemente, houve a curta passagem de Rafinha, enquanto Tiquinho Soares começou a temporada com os alvirrubros antes de rumar ao Botafogo. Por sua estatura no futebol, Marcelo nem precisa ficar tanto tempo na Grécia para deixar sua história gravada.

O Olympiacos é atualmente dirigido por Carlos Corberán, espanhol de 39 anos que treinou o Huddersfield Town nas duas últimas temporadas. Teve também longas passagens como assistente, trabalhando ao lado de nomes como Marcelo Bielsa, Fabio Cannavaro e Juan Carlos Garrido. É um momento de transição para os alvirrubros, após quatro anos sob as ordens de Pedro Martins. O português se sagrou tricampeão grego, mas foi demitido em agosto, após a eliminação sofrida para o Maccabi Haifa nas preliminares da Champions League – com direito a uma goleada por 4 a 0 sofrida em Pireu.

Até por causa da eliminação, o Olympiacos intensificou suas movimentações no mercado de transferências e trouxe uma série de bons jogadores. O meia Pep Biel (Copenhague), o centroavante Aboubakar Kamara (Aris), o ponta Konrad de la Fuente (Olympique de Marseille) e o zagueiro Panagiotis Retsos (Verona) são algumas das principais aquisições, enquanto as conexões com o Forest renderam a chegada do ponta Philip Zinckernagel e do centroavante Hwang Ui-jo. Já o principal medalhão a desembarcar anteriormente foi Sime Vrsaljko, que havia deixado o Atlético de Madrid. Passa longe do peso de Marcelo.

O elenco do Olympiacos também conta com outras figurinhas carimbadas. Mathieu Valbuena é a principal referência técnica. Tomás Vaclík, Yann M’Vila e Youssef El Arabi são mais alguns nomes bem tarimbados, enquanto Kostas Manolas, Sokratis Papastathopoulos, Andreas Bouchalakis e Georgios Masouras são notáveis entre os gregos.

Buscar o tetracampeonato grego é visto como obrigação dentro do Olympiacos, pela diferença de investimento em relação aos concorrentes. Enquanto isso, os alvirrubros tentam provar sua capacidade nas competições europeias, depois de sucumbirem na Champions e de passarem aperto nas preliminares da Liga Europa. As duas classificações antes da fase de grupos vieram nos pênaltis, ambas com empates nos dois confrontos, e a desconfiança é natural. Marcelo tende a ser um diferencial, seja na lateral ou adaptado como ponta, mas principalmente pela influência que pode exercer nos corredores do clube. É um vitorioso por excelência.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo