Decidida a fazer seu jogo de sempre, sem levar em consideração o adversário, a Real Sociedad concedeu muito espaço ao Manchester United e acabou punida por sua coragem ingênua. Na ida do confronto de 16 avos de final da Liga Europa, realizada em Turim devido a restrições de viagem na Espanha, os Red Devils venceram tranquilamente os bascos por 4 a 0 e largaram com uma vantagem significativa para alcançar as oitavas de final.

Enquanto a foi com força total para o confronto, o escalou uma equipe mista, mas tendo como novidades nomes que têm atuado constantemente na temporada, como Bailly, Alex Telles e Dan James. Com titulares como , Rashford, Maguire e Fred na equipe, isso deveria ser o suficiente para buscar um resultado positivo que levantasse o clube depois de tropeços recentes na Premier League – e foi o que aconteceu.

A essa altura, já não é segredo nenhum que este time de Solskjaer vive seus melhores momentos quando enfrenta adversários que deixam espaços atrás de sua linha de zagueiros. Com jogadores de bom passe como Fred e Bruno Fernandes e velocistas como Rashford, Greenwood e James, atuar muito avançado contra os Red Devils é um convite ao perigo, e a Real Sociedad fez isso do início ao fim.

O jogo começou eletrizante, com duas chances para os bascos e uma para os ingleses em menos de três minutos. O time de Imanol Alguacil foi o primeiro a assustar, com um chute colocado de Januzaj passando a centímetros do gol de Henderson. O United respondeu imediatamente com um lançamento para Rashford, que, na cara do goleiro Remiro, perdeu a oportunidade de ouro chutando em cima do adversário. Na sequência, a Real Sociedad de novo assustou, desta vez com Isak, que recebeu de Januzaj e, livre, parou em boa defesa de Henderson.

O início fulminante e equilibrado logo foi dando espaço a um duelo dominado pelo Manchester United, que anulava as investidas da Real Sociedad e tirava proveito dos espaços para tentar machucar o adversário no contra-ataque ou em bolas longas. Aos 18 minutos, Alex Telles lançou Bruno Fernandes, o United teve um duelo de dois contra dois, e o português passou para o centro da área. Livre, Rashford conseguiu perder a chance, chutando para boa defesa de Remiro.

O primeiro gol do jogo chegou aos 27 minutos. Remiro, que até então fazia boa partida, falhou ao tentar afastar uma bola lançada por Rashford para Bruno Fernandes. O goleiro se enroscou com os dois zagueiros, Le Normand e Zubeldia, e o português apenas pegou a sobra para empurrar para o gol vazio.

Já no segundo tempo, aos 12 minutos, Rashford deu um passe diagonal rasteiro para James, com Bruno Fernandes fazendo o corta-luz no meio do caminho, o galês tentou o domínio, a bola escapou um pouco de seu alcance, mas o português estava ligado para pegar de primeira, cruzado, e fazer 2 a 0.

Em outra jogada de transição rápida, aos 19 da segunda etapa, o United tomou a bola ainda em seu campo de defesa e, de longa distância, Fred acertou um bonito passe para a corrida de Rashford. O atacante avançou até a área e bateu cruzado, na saída de Remiro, para ampliar.

Imanol Alguacil até mexeu em algumas peças, tentando ao menos diminuir a desvantagem para a partida de volta, mas as entradas de jogadores como Portu e Barrenetxea não foram suficientes para resolver o problema coletivo. O United, por sua vez, aproveitou o placar confortável para dar ao promissor Amad Diallo, recém-contratado da Atalanta, a sua estreia no clube, entrando no lugar de Greenwood já aos 38 minutos da etapa final.

O jogo, que parecia definido, reservou ainda mais um gol ao United. Aos 45 minutos do segundo tempo, Bailly lançou uma bola longa a pela direita, e o ponta avançou em velocidade com ela até a área, batendo cruzado para vencer Remiro e decretar o 4 a 0.

A atuação inspirada deve dar um impulso ao Manchester United para os próximos compromissos, embora não sirva exatamente de grande indício do que vem pela frente, já que raramente o time de Solskjaer encontra equipes que o enfrentem de forma tão aberta e vulnerável.