Liga Europa

A Roma até se classificou, mas numa atuação modorrenta no empate com o Servette

A Roma fez mais uma partida abaixo de seu potencial e, mesmo garantida nos mata-matas da Liga Europa, corre o risco de não ficar na primeira colocação.

A Roma se garantiu por antecipação nos mata-matas da Liga Europa, mas essa é uma notícia positiva muito pequena para a decepção ao redor da Loba nesta quinta-feira. O time de José Mourinho fez de novo uma atuação abaixo da crítica na visita à Suíça. O talento de Romelu Lukaku até permitiu o gol, mas os giallorossi acumularam erros e cochilos. O Servette atuou de maneira bem mais interessada pelo resultado e fez por merecer o empate por 1 a 1. Os romanistas estarão na próxima fase da Liga Europa, mas correm o risco de disputar os 16-avos de final, atrás do Slavia Praga na chave. Já os suíços pelo menos jogarão a Conference.

A Roma podia não contar com o time completo, mas tinha várias figurinhas carimbadas. José Mourinho escalou Paulo Dybala e Romelu Lukaku no ataque de seu 3-5-2. O meio reunia Houssem Aouar, Edoardo Bove e Leandro Paredes. Já na zaga, Bryan Cristante atuava como líbero e usava a braçadeira. No Servette, o capitão é o goleiro Jeremy Frick. O ataque tinha a combinação entre Chris Bedia e Dereck Kutesa, enquanto Timothé Cognat era a referência no meio-campo do técnico René Weiler.

Lukaku marca, mas foi só

O Servette começou a partida muito bem. Adiantava as linhas de marcação, empurrava a Roma para trás e botava pressão. As primeiras chances eram todas dos suíços, em chutes de fora da área, mas com dificuldades para superar o goleiro Mile Svilar. Faltava acertar um pouco mais a pontaria. A Roma se estabilizou apenas a partir dos 15 minutos, quando começou a ficar mais com a bola. Mas não que respondesse nas chances, com Stephan El Shaarawy tentando aparecer um pouco mais.

A Roma, no entanto, tinha talento para fazer a diferença a seu favor. Foi o que aconteceu aos 21 minutos, com o primeiro gol. Romelu Lukaku foi extremamente inteligente no posicionamento, ao passar incógnito às costas da marcação. Recebeu o passe bem infiltrado por Diego Llorente, num lindo toque mudando a direção da jogada, e mandou um tapa de primeira, longe do goleiro Jeremy Frick. O centroavante chegava ao décimo gol pela Loba na temporada. Lukaku ainda deu outro susto na sequência, numa batida por cima. Depois, furou um lance limpo na área, que fez falta.

Porém, o gol levou a Roma a se acomodar novamente. O Servette cresceu na reta final do primeiro tempo, quando passou a pressionar e a testar o goleiro Svilar. O substituto de Rui Patrício realizou intervenções importantes. Parou uma batida rasteira de Bendegúz Bolla e desviou com a ponta dos dedos um chute cruzado de Dereck Kutesa, que ia em direção ao ângulo. Não era uma jornada tão simples aos romanistas, até pela falta de pegada do time.

Servette pune a Roma

O Servette voltou com a mesma vontade para o segundo tempo. E não demorou a arrancar um merecido empate, aos cinco minutos. Miroslav Stevanovic cruzou pela direita. Bryan Cristante furou a cabeçada e Chris Bedia pôde dominar sozinho no meio da área. Bateu por baixo de Svilar, que não tinha muito a fazer. O susto levou a Roma a sair novamente ao ataque, mas sem contundência. A primeira troca rolou aos 11 minutos, com Lorenzo Pellegrini no lugar de Houssem Aouar. Demorou para que o time encaixasse uma boa jogada, o que só ocorreu aos 18, numa bola espirrada que Dybala mandou por cima.

A partir dos 23 minutos, o Servette acionou seu banco e deu sangue novo ao setor ofensivo. O jogo pendia mais à Roma, mas os suíços ameaçaram num chute centralizado de Stevanovic. E a Loba seguia desperdiçando. Lukaku botou Dybala em boas condições aos 27, mas o argentino facilitou a defesa de Frick no mano a mano. Havia sensação de que o jogo estava aberto, mas sem que os times fossem tão capazes. Os giallorossi andavam sonolentos demais na imposição de seu ataque.

Andrea Belotti e Renato Sanches seriam outras novidades na Roma aos 37 minutos, sem que o errático Dybala ficasse para os minutos finais. A reta decisiva ainda era nebulosa, sem que nenhuma das equipes se provasse suficientemente competente. O Servette até se mostrou um pouco mais aceso, mas também precipitado e sem qualidade. O empate ficou.

A Roma fica na segunda posição do grupo, com 10 pontos. Acaba atrás do Slavia Praga, que chega aos 12 pontos com a virada por 3 a 2 sobre o Sheriff Tiraspol aos 50 do segundo tempo. A Loba se classifica, mas corre o risco de ter que disputar a fase extra da Liga Europa, nos 16-avos de final. Na última rodada, a equipe pega o eliminado Sheriff no Estádio Olímpico. Já o Servette se garante de antemão na Conference League. Com cinco pontos, os suíços não perdem mais o terceiro lugar e irão à outra competição, repescados.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo