Liga Europa

O Granada não evitou a derrota, mas arrancou a heroica classificação na visita ao Napoli

O Granada segue firme na primeira participação continental de sua história. Os andaluzes se classificaram às oitavas de final da Liga Europa, ao eliminarem o Napoli, um adversário com peso muito maior além das fronteiras. A vitória por 2 a 0 no jogo de ida dentro da Espanha seria determinante aos rojiblancos, dando tranquilidade na visita à Itália. E por mais que os napolitanos tenham pressionado no Estádio Diego Armando Maradona, o triunfo por 2 a 1 acabou se tornando insuficiente nesta quinta. O gol fora ajudou demais o Granada, que também teve enorme empenho defensivo para evitar que a diferença se ampliasse, sobretudo pela noite inspirada do goleiro Rui Silva.

Assim como no primeiro jogo, o Napoli precisou lidar com uma série de desfalques importantes. Ao menos, Kalidou Koulibaly estava de volta. O Granada, por sua vez, também precisaria gerir a ausência de Darwin Machís. E se os celestes necessitavam de um gol rápido, ele veio com Piotr Zielinski. O polonês anotou uma pintura aos três minutos: partiu em velocidade, cortou a marcação e bateu no cantinho da meta de Rui Silva.

Neste momento, tão importante quanto buscar o segundo gol ao Napoli, era manter sua meta invicta. Entretanto, a resposta do Granada não demorou. Os andaluzes tiveram um gol anulado por impedimento, até que o empate saísse aos 25. Dimitri Foulquier cruzou da direita e Ángel Montoro subiu sozinho para cabecear. A partir de então, os napolitanos passaram a precisar de mais três gols. Pressionaram na reta final do primeiro tempo, mas Lorenzo Insigne acertou uma cobrança de falta no travessão e Giovanni Di Lorenzo teve outro gol anulado por impedimento.

Além da pressão, o Granada precisou lidar com as lesões no fim do primeiro tempo, com as saídas de Maxime Gonalons e Carlos Neva. O Napoli passou a jogar ainda mais no campo adversário e, depois de Rui Silva negar o tento a Eljif Elmas no mano a mano, o abafa garantiria o segundo gol aos 14. Insigne deu a enfiada e Fabián Ruiz entrou na área livre, tocando na saída de Rui Silva. Pouco depois, seria a vez de Dries Mertens entrar. Entretanto, os andaluzes conseguiram resistir na defesa. A pontaria dos italianos também não estava tão calibrada e, quando Tiemoué Bakayoko balançou as redes, cometeu falta no lance e o tento acabou anulado.

O Granada teria um certo respiro no fim, com a boa participação de Kenedy. Entretanto, a tarefa principal era mesmo proteger seu gol, e Rui Silva apareceu bem para evitar o terceiro. O goleiro faria excelentes defesas na reta final da partida, incluindo um milagre nos acréscimos. Faouzi Ghoulam cabeceou à queima-roupa e o lusitano salvou com um tapa. Apesar da insistência dos celestes, os rojiblancos não deixaram de lutar e acabaram celebrando a classificação.

A campanha na Liga Europa premia o trabalho fantástico realizado pelo treinador Diego Martínez. O Granada já tinha excedido as expectativas quando conquistou a vaga à Liga Europa na temporada passada, logo depois de retornar à elite. A caminhada no torneio continental, de qualquer forma, reforça a competitividade dos andaluzes. Já o Napoli atravessa uma crise séria e vê Gennaro Gattuso balançar no cargo. São apenas duas vitórias nas últimas sete partidas. A desta quinta, sem servir para muito.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo