ItáliaLiga Europa

Gasperini: “Não podemos sentir que conquistar a Liga Europa é uma obrigação: é uma oportunidade”

Mas, caso a Atalanta chegue às semifinais, o técnico afirmou que o título europeu se tornaria, sim, prioridade

A Atalanta está em um momento especial da sua história. Briga sempre na parte de cima da tabela do Campeonato Italiano, com três terceiros lugares consecutivos – o que também significa classificações à Champions League. Teve duas finais de Copa Itália, mas ainda falta um título para coroar de vez o trabalho de Gian Piero Gasperini. A Liga Europa pode ser uma oportunidade única, mas, de acordo com o técnico, tem que ser tratada dessa forma mesmo, e não como uma obrigação.

Até porque não é a melhor temporada da Atalanta. Não ganha há três jogos por todas as competições e conseguiu apenas três vitórias nas últimas 14 rodadas do Campeonato Italiano. Não por acaso caiu para oitavo lugar, a 11 pontos do quarto colocado, com um jogo a menos. São reais as chances de não se classificar para a próxima Champions – a menos que vença a Liga Europa. Para isso, terá primeiro que passar pelo RB Leipzig, com o qual empatou por 1 a 1 na Alemanha, nesta quinta-feira, em Bergamo.

“Não podemos sentir que é uma obrigação conquistar a Liga Europa. É uma oportunidade. Considerando de onde viemos, já ganhamos muito. Jogar uma partida como esta já é uma vitória. Claro, chegar às semifinais seria muito importante. É um objetivo que não foi alcançado por muitos italianos e esta copa não foi vencida por um dos nossos clubes há mais de 20 anos”, disse Gasperini.

A Itália dominou a Copa Uefa, antecessora da Liga Europa, nos anos noventa, mas seus últimos títulos vieram em 1998 e 1999, com Internazionale e Parma, respectivamente. A Inter, em 2020, foi a única finalista italiana desde então. “Dois anos atrás, ficamos a minutos de uma semifinal de Champions League. Foi nosso ápice na Europa até agora. Mas chegar às semifinais da Liga Europa ficaria marcado e seria lembrado”, acrescentou Gasperini.

Apesar das decepções desta temporada, Gasperini acredita que o torcedor da Atalanta não está triste, mesmo que “esteja claro que ir para a Champions League todos os anos não é possível”. Com sete rodadas pela frente na Serie A, classificar-se às competições europeias, mesmo que secundárias, na próxima temporada ainda é a prioridade. Mas isso pode mudar se a Atalanta ficar a três jogos de conquistar a Liga Europa.

“Se formos à semifinal, claramente a prioridade será a Liga Europa”, afirmou. “Cinquenta por cento de chance para nós, cinquenta por cento para eles, mas ter um estádio lotado pode ajudar nosso time. Não podemos dar campo para nenhum adversário, mesmo para os menos perigosos que o Leipzig. É difícil prever qual será a postura dos dois times. Acredito que cada um tentará vencer com suas próprias características. Mesmo os jogos da Champions League (de terça-feira) foram totalmente diferentes dos jogos pelas ligas”.

“Temos que jogar com qualidade, técnica, mas também defender bem. No jogo de ida, houve momentos favoráveis para os dois lados. Temos que usar os nossos, resistir bem quando o Leipzig tiver a iniciativa. E, em certo ponto, alguns jogos inevitavelmente se abrem, a menos que eles sejam destravados antes”, encerrou.

Rafael Toloi não estará de volta para o jogo desta quinta-feira. Remo Freuler e Djimsiti serão reavaliados, e Zapata está recuperado de problemas físicos.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo