Liga Europa

Frankfurt vence o corajoso West Ham novamente e volta a uma final europeia após 42 anos

Mesmo com um a menos antes dos 20 minutos, os ingleses tentaram até o fim, mas foram derrotados nos dois jogos pelos alemães

Após perder o jogo de ida, ter um jogador expulso antes dos 20 minutos e levar um gol ainda no primeiro tempo, o West Ham teve uma postura corajosa e brigou até o fim, mas não conseguiu evitar que o Eintracht Frankfurt chegasse à sua primeira final europeia desde que ganhou a Copa da Uefa em 1980. O gol de Rafael Santos Borré garantiu a vitória por 1 a 0 diante da sua apaixonada torcida, um dos destaques desta temporada da Liga Europa.

A derrota em Londres havia deixado o West Ham em situação complicada, precisando buscar o resultado em Frankfurt. A expulsão de Aaron Creswell piorou as coisas aos ingleses, e o gol de Borré, cerca de dez minutos depois, abaixou ainda mais o buraco. Ainda assim, os homens de David Moyes passaram todo o segundo tempo tentando encontrar uma maneira de voltar à disputa, enquanto os alemães administravam a vantagem numérica e no placar.

No fim, a final é um grande prêmio ao Frankfurt, que vem fazendo barulho nas copas, com diferentes técnicos e jogadores, há alguns anos. Fez final de Copa da Alemanha em 2017, foi campeão no ano seguinte, contra o Bayern de Munique, e ficou próximo de chegar à decisão da Liga Europa em 2019, mas acabou derrotado pelo Chelsea nos pênaltis.

O vice-campeão europeu de 1960 e campeão da Copa da Uefa em 1980 fez apenas duas mudanças em relação ao time que venceu no Estádio Olímpico semana passada. Evan Ndicka entrou no lugar de Almamy Touré na defesa e Jens Petter Hauge formou o ataque com Daichi Kamada e Santos Borré no lugar de Jesper Lindstrom. No West Ham, Vladimir Coufal voltou à lateral direita, como a única mudança de Moyes.

O Frankfurt recebeu uma má notícia no começo da partida, quando Martin Hinteregger sentiu dores na coxa. O zagueirão tentou continuar, mas teve que ser substituído por Touré antes dos dez minutos. O West Ham, porém, recebeu uma notícia ainda pior. Aos 17 minutos, Hauge foi lançado nas costas da defesa e sofreu falta de Cresswell quase na linha da grande área. O árbitro Jesus Gil Manzano inicialmente mostrou cartão amarelo, mas mudou para o vermelho após checar o assistente de vídeo.

Os donos da casa não demoraram nada para aproveitar a superioridade numérica. Aos 26 minutos, avançaram a bola com facilidade pela direita até Ansgar Knauff cruzar à boca do gol, onde Borré apareceu batendo de primeira para abrir o placar. O West Ham teria recebido uma injeção de energia, aos 43 minutos, se Ndicka não tivesse cortado em cima da linha uma bola que bateu em Zouma após uma cobrança de falta de Jarrod Bowen que atravessou a área.

Mesmo com menos posse de bola, o West Ham tomou mais iniciativa no segundo tempo e tentou tudo que poderia. Craig Dawson teve uma cabeçada de frente, sem problema para Kevin Trapp, que precisou calcular bem o tempo da bola para depois interceptar o cruzamento de Antonio que chegaria a Soucek ou Bowen. Aos 35 minutos, o goleiro alemão fez boa defesa em um chute de fora da área de Declan Rice que buscava o cantinho.

O Frankfurt atacava esporadicamente, e levou mais perigo em uma batida de Gonçalo Paciência, aos 38 minutos. Muito esforçado, praticamente carregando o ataque do West Ham sozinho, Antonio finalmente teve uma chance limpa, cinco minutos depois, ao receber um lançamento em velocidade e matar bonito no peito. A bola escapou um pouco, porém, e ele conseguiu apenas finalizar com o biquinho da chuteira, sem muita força.

Foi praticamente a última chance de o West Ham ter alguma esperança nesta semifinal, ao fim de uma excelente campanha em que chegou até a eliminar o poderoso (pelo menos na Liga Europa) Sevilla. O Frankfurt avançou à final no Ramón Sánchez Pizjuán em 18 de abril, quando medirá forças com o Rangers pelo segundo título mais importante das competições europeias.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo