Liga Europa

Com brilho de López e golaço de Ibañez, Roma conseguiu uma virada improvável contra o Ajax

O goleiro da Roma fez oito defesas, incluindo um pênalti, na vitória italiana em Amsterdã

A Roma estava em apuros. Perdia por 1 a 0, estava perdida na saída de bola e havia dado ao Ajax a chance de ouro de ampliar o marcador em um pênalti. Mas a cobrança de Dusan Tadic foi defendida por Pau López, o grande herói dos italianos, e com uma falha do terceiro goleiro dos holandeses e um golaço de Ibañez, a Roma conseguiu vencer por 2 a 1, em Amsterdã, no jogo de ida das quartas de final da Liga Europa.

Como conseguiu é outra história. Foi uma mistura de sorte com oito defesas de Pau López, incluindo um pênalti, e um erro feio de Kjell Scherpen, 21 anos, apenas em seu terceiro jogo como profissional. O Ajax estava sem André Onana, goleiro titular que foi suspenso pela Uefa por ter dado positivo a uma substância proibida em um exame antidoping, e também sem o experiente Maarten Stekelenburg, machucado.

Ele precisou trabalhar duas vezes no primeiro tempo, para defender uma bomba de longe de Cristante e uma tentativa de Dzeko, ambas criadas por Leonardo Spinazzola, que sentiu dores na coxa e precisou ser substituído por Riccardo Calafiori, aos 29 minutos. E na primeira chance de verdade, o Ajax abriu o placar.

Foi um presentaço da defesa da Roma. Começou com um passe para trás muito curto de Diawara. Klaassen recolheu, e Gianluca Mancini abriu mão de pressioná-lo. Apenas recuou em direção à própria área, dando espaço e tempo para o meia holandês fazer o que quisesse. Ele tabelou com Tadic e mandou para as redes. Logo em seguida, López fez uma grande defesa cara a cara com Antony.

A Roma teve mais problemas com a sua saída de bola na segunda etapa. López entregou um passe para Antony. Para sua sorte, Tadic não conseguiu aproveitar na sequência da jogada. A pressão do Ajax voltou a funcionar para roubar a bola no campo de ataque e, dessa vez, gerou um pênalti cometido por Ibañez em cima de Tadic na entrada da área.

Tadic, porém, bateu no meio, e López foi iluminado o suficiente para esperar a batida antes de se movimentar. Defendeu sem grandes problemas. Quatro minutos depois, Pellegrini bateu falta no canto esquerdo. Scherpen estava na bola, chegou a fazer contato com ela, mas a deixou passar entre os seus braços. Um frangaço.

López bloqueou uma finalização de calcanhar de Antony e outra de primeira, no ar, após lindo passe de Tadic, e o empate já estava ganhando contornos heroicos quando Pellegrini cobrou um escanteio, aos 42 minutos do segundo tempo. Klaassen afastou, mas Ibañez matou no peito e encheu o pé para fechar a vitória da Roma, última representante italiana em competições europeias, no jogo de ida das quartas de final.

.

.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo