Liga Europa

Cavani resolveu a parada nos minutos iniciais, e o United passou pelo Granada com tranquilidade

O uruguaio marcou aos seis minutos e deixou um confronto decidido ainda mais decidido

Como na Espanha, o jogo de volta em Old Trafford reservou pouco mistério aos espectadores. O Manchester United nem precisou brilhar para despachar o Granada e avançar às semifinais da Liga Europa com a vitória em casa por 2 a 0 nesta quinta-feira, um belo gol de Edinson Cavani, após ter ganhado a ida, semana passada, por 2 a 0.

Apesar da boa vantagem, Ole Gunnar Solskjaer colocou em campo um time bem forte, com Victor Lindelöf e Aaron Wan-Bissaka na defesa, Paul Pogba, Bruno Fernandes e Edinson Cavani entre o meio e o ataque. Uma decisão compreensível. Melhor não dar sopa ao azar na única chance de título real que resta aos Red Devils, bem encaminhados para serem os vice-campeões da Premier League.

E sem nenhum compromisso com a nossa diversão, o United deixou um confronto decidido ainda mais decidido logo aos seis minutos, quando Pogba desviou o cruzamento de Alex Telles e Cavani emendou de primeira no canto do goleiro Rui Silva. Sem muita urgência para ampliar, os anfitriões pareciam satisfeitos com três gols de vantagem, e o Granada tentava fazer alguma coisa, dentro dos seus recursos. Até teve um par de chances em jogada de bola parada, mas o gol de Pogba seria mesmo a única finalização certa do primeiro tempo.

Solskjaer voltou com Van de Beek no lugar de Pogba, que havia levado cartão amarelo aos 17 minutos. De novo: melhor não dar sopa ao azar. Bruno Fernandes desfilou com dois cruzamentos perfeitos para cabeçadas de Greenwood, sem força e de fácil defesa a Rui Silva, e Cavani, para fora.

Com menos chances do que se esperava nesta temporada, após ter sido um dos principais reforços do United, Van de Beek tentou deixar a sua marca com um chute rasteiro de fora da área, que passou perto da trave. A jogada começou em um lindo desarme de Wan Bissaka e teve uma arrancada de Mason Greenwood.

A partida ganhou ares de pelada nos minutos finais. De Gea precisou fazer duas defesas, (uma delas muito boa) um pouco tarde demais para o Granada realmente ameaçar, e o United ampliou para 2 a 0 com um gol contra de Jesús Vallejo, que tentou desviar o cruzamento de Alex Telles – conseguiu, mas para o lado errado.

As duas partidas tiveram mais ou menos o mesmo cenário. O United dominou a maior parte das ações, mas teve o seu habitual problema para criar um volume alto de jogo ofensivo, embora também não tenha sido realmente pressionado em nenhum momento dos 180 minutos.

A defesa fez um bom trabalho contra as investidas do Granada, mais baseadas em esforço que em em qualidade técnica, e as individualidades acabaram desobrigando o United a precisar de muito mais do que isso. Marcus Rashford marcou um bonito gol no primeiro tempo na Espanha, Bruno Fernandes converteu um pênalti bobo dos espanhóis nos minutos finais daquela partida e, em Old Trafford, Cavani aproveitou a primeira chance que apareceu.

E, então, uma reviravolta ficou difícil demais, até para todo o esforço do Granada, que foi sétimo colocado na temporada em que subiu à primeira divisão da Espanha e seguiu conseguindo resultados acima das suas capacidades financeiras com uma campanha muito honrosa na Liga Europa, na qual eliminou o Napoli antes de bater com a cabeça no teto das quartas de final.

.

.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo