Liga Europa

Aubameyang desperdiça melhores chances, e Arsenal e Benfica ficam apenas no empate

Em uma decisão um tanto quanto incomum e que revela a importância que Mikel Arteta parece estar dando para a Liga Europa, o Arsenal foi para o confronto com o Benfica, em partida de ida pelos 16 avos de final da competição europeia, com o mesmo time que havia batido o Leeds por 4 a 2 na rodada passada da Premier League. Apesar da declaração de intenção, o time não conseguiu repetir o alto nível do fim de semana e teve que se contentar em buscar um empate por 1 a 1, em uma partida em que as duas equipes se sentiram fora de casa no Estádio Olímpico de Roma.

Arteta armou seu time em um 4-2-3-1, com Cedric improvisado na lateral esquerda, um meio de campo formado por Ceballos e Xhaka, Odegaard em posição avançada, atrás de Aubameyang, e Smith Rowe e Bukayo Saka pelas pontas. O Benfica foi em um 3-5-2, com Lucas Veríssimo fazendo sua estreia na defesa, enquanto Everton Cebolinha e Pedrinho ficaram no banco.

A ineficácia do Arsenal no ataque ficou bastante marcada pelas chances desperdiçadas por Pierre-Emerick Aubameyang. Se no fim de semana, contra o Leeds, o gabonês enfim mostrou seu melhor futebol nesta temporada, marcando um hat-trick, nesta quinta-feira (18) o atacante esteve muito mais próximo das diversas partidas ruins que colecionou desde a sua renovação de contrato. Na principal oportunidade da primeira etapa, aos 19 minutos, Ceballos lançou Bellerín, que cruzou para o camisa 14. Livre, Auba conseguiu mandar para fora, à direita do gol.

No segundo tempo, Saka havia acabado de criar uma boa oportunidade, com chute rasteiro à esquerda do gol de Helton Leite, quando o Benfica respondeu com precisão. Aos oito minutos da etapa final, Diogo Gonçalves tentou um cruzamento da direita, e Smith Rowe, dentro da área, interceptou com o braço. O pênalti foi marcado, e Pizzi converteu para fazer 1 a 0.

A reação do Arsenal foi quase imediata. Aos 12 minutos, Odegaard, que teve uma boa atuação individual, pegou sobra de uma bola rebatida pela defesa, tocou na esquerda para Cedric, que cruzou para Saka completar para a rede e empatar.

Em bonita jogada individual aos 17 minutos, Rafa Silva recebeu em posição central na intermediária, virou em direção ao gol, driblou Gabriel e bateu de trivela, com um bonito efeito, forçando Leno a se jogar para espalmar e fazer boa defesa. O Arsenal respondeu no minuto seguinte em mais uma boa bola metida por Odegaard, desta vez para Aubameyang. O gabonês chutou rasteiro, cruzado, e viu a bola passar raspando a trave direita.

Jorge Jesus colocou Everton Cebolinha em campo aos 19 minutos do segundo tempo, no lugar de Pizzi, e o brasileiro seria o responsável pela última grande chance dos Encarnados no jogo. Aos 28, recebeu passe na esquerda, trouxe para dentro e bateu colocado, com muito perigo, buscando o ângulo superior oposto, e a bola por pouco não entrou.

Aubameyang teve ainda uma chance de se redimir por sua noite pouco inspirada ao ser lançado cara a cara com Helton Leite. Porém, com espaço e tempo de sobras, esperou a chegada de Lucas Veríssimo para tentar um último drible e acabou desarmado pelo brasileiro, que foi bem em sua estreia.

Arteta tentou agitar os minutos finais com as entradas de Pépé e Martinelli e, já nos acréscimos, colocando Willian em campo, mas as oportunidades de gol já haviam se esgotado para os dois lados.

Depois de um jogo relativamente parelho como este, Benfica e Arsenal deixam para a volta um confronto bastante aberto. Mais uma vez, o duelo será em campo “neutro”, por assim dizer, com o Estádio Karaiskakis, em Atenas, recebendo o jogo de volta.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo