Liga Europa

A Atalanta merece aplausos, mas é o Dortmund que avança heroicamente na Liga Europa

A Atalanta deixa a Liga Europa de cabeça erguida. Protagonizou uma campanha estupenda no chamado “grupo da morte”, terminando na liderança da chave, à frente de Lyon e Everton. O sorteio não foi nada bondoso com os nerazzurri, colocando em seu caminho um dos adversários mais difíceis, o Borussia Dortmund. E nem por isso o time de Gian Piero Gasperini se entregou. Foram duas partidas intensas contra os aurinegros, com muito empenho dos italianos. No entanto, os gols anotados durante os minutos finais pesaram aos alemães. Depois da vitória cardíaca por 3 a 2 no Signal Iduna Park, o Dortmund buscou o empate por 1 a 1 no Estádio Mapei. Sobrevive aos duelos fortíssimos com a Dea e avança às oitavas de final, naquela que deve ser a sua prioridade nos próximos meses.

Apostando as suas fichas na Liga Europa, a Atalanta contou com o apoio caloroso de sua torcida na Reggio Emilia – onde mandou seus jogos na competição continental, pelo empecilho da Uefa ao Atleti Azzurri d’Italia. E não demorou a tomar conta da partida. Mais agressiva durante os primeiros minutos, a Dea abriu o placar aos 11, a partir de uma cobrança de escanteio. Roman Bürki não achou o cruzamento e, após desvio de Mattia Caldara, Rafael Tolói apareceu dentro da área para completar. A vantagem era merecida, por aquilo que os nerazzurri produziam, especialmente pela movimentação de Josip Ilicic e Papu Gómez na frente. Mas logo os visitantes responderiam.

Depois dos 20 minutos, o Dortmund passou a controlar a posse de bola. Tentava se impor no campo de ataque, mas esbarrava nas sólidas linhas de marcação da Atalanta. O time não conseguia ser tão contundente, limitado a arriscar de média distância – e na chance que mais assustou, Etrit Berisha defendeu o arremate de André Schürrle. Quando os aurinegros conseguiam invadir a área, invariavelmente eram travados pelos nerazzurri, muito atentos na marcação. Já do outro lado, na melhor chegada dos anfitriões, Bryan Cristante errou o alvo por muito pouco, em cabeçada sozinho. Ainda houve um lance de perigo anulado por impedimento a cada equipe. A decisão ficaria reservada ao segundo tempo.

Na volta do intervalo, a Atalanta parecia disposta a resolver o jogo. Retomou a posse e começou arriscar bastante contra a meta de Roman Bürki. Faltou um pouco de precisão neste esboço de pressão, sem fazer o goleiro adversário trabalhar. Diante do cenário, Peter Stöger mexeu em sua equipe. Marcel Schmelzer já tinha entrado em campo desde o início da segunda etapa, substituindo Jeremy Toljan, enquanto Marco Reus veio no lugar de Christian Pulisic aos 15 minutos. Dois personagens centrais na classificação dos aurinegros, especialmente o camisa 11, que melhorou bastante a organização ofensiva dos alemães.

O jogo pegou fogo de vez após os 25. A Atalanta teve duas chances claras de ampliar. Primeiro, Ilicic partiu no mano a mano contra Ömer Toprak e finalizou com muito perigo para fora. Na sequência, uma tentativa de resposta com Reus, tirando tinta da trave. Já a melhor oportunidade dos italianos aconteceu aos 34, em contragolpe. Papu Gómez era o principal responsável por puxar os ataques da Dea. O argentino recebeu passe da direita e estava sozinho dentro da área, pronto para decidir. Porém, Bürki saiu nos pés do capitão, fechando o ângulo e se redimindo da falha no primeiro tempo.

Etrit Berisha, por sua vez, experimentaria o mesmo sentimento em ordem invertida. Dois minutos depois, operou o seu milagre. André Schürrle bateu de primeira, mas o goleiro demonstrou um excelente tempo de reação, espalmando de maneira espetacular. Aos 38, porém, um erro seu custaria a eliminação da Atalanta. Reus avançou e cruzou rasteiro para Alexander Isak. O goleiro se antecipou e ia ficando com a bola, mas ela deslizou no gramado molhado e respingou em sua perna, sobrando limpa para Marcel Schmelzer fuzilar. O gol de ouro ao Dortmund. Nos minutos finais, Gasperini colocou seu time para frente, mas faltaram forças à Dea para retomar a dianteira no placar. Os nerazzurri desempenharam seu papel com valentia, mas isso não foi suficiente para a passagem às oitavas.

Depois da campanha decepcionante na fase de grupos da Liga dos Campeões, sem uma vitória sequer, o Borussia Dortmund encontra um alento. Precisa de um pouco mais de regularidade para se garantir no G-4 da Bundesliga, enquanto vê o título continental como uma possibilidade real. Dos times classificados nestes 16-avos de final, foi justamente o que superou o conjunto de jogos mais duro. A Atalanta agora espera não ficar tanto tempo longe das competições europeias. Em oitavo na Serie A, seria um acréscimo bem vindo à Liga Europa 2018/19, por tudo o que a equipe vem fazendo com Gasperini.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo