Conference LeagueEuropaLiga Europa

Liga Europa e Conference definem os classificados às fases de grupos, com clubes tradicionais e também boas surpresas

A Liga Europa contará com equipes mais tradicionais, enquanto a Conference contará com as estreias de Gibraltar, Armênia e Estônia nas competições da Uefa

Liga Europa e Conference League terminaram de definir os 32 classificados para a fase de grupos de ambas as competições nesta quinta-feira. Com a nova divisão feita pela Uefa, a Liga Europa se consolida como um torneio recheado de clubes tradicionais sem espaço na Champions. Já a Conference, ainda que reúna algumas camisas pesadas, será bem mais povoada por azarões. Gibraltar, Armênia e Estônia colocaram pela primeira vez representantes na etapa principal dos torneios europeus, graças à nova competição. Lincoln Red Imps, Alashkert e Flora Tallinn são os pioneiros.

A rodada da última fase preliminar da Liga Europa não traria grandes surpresas. Clubes como Rangers, Celtic, Galatasaray, Fenerbahçe, Rapid Viena, Estrela Vermelha e Olympiacos se classificaram. Os dez times que passaram nesta quinta se juntarão a outras dez equipes que já tinham se garantido automaticamente na fase de grupos (vindas dos países de melhor ranking na Uefa) e também aos 12 times que caíram na reta final das preliminares da Champions League, mas acabaram repescados. Vale lembrar que os dez eliminados nesta última etapa da Liga Europa, como prêmio de consolação, irão para os grupos da Conference.

Já a Conference contou com 22 jogos de vida ou morte nesta quinta. Quem passasse nos confrontos se garantia na fase de grupos e quem caísse encerrava sua participação continental na temporada. A Rota dos Campeões valeu vaga aos representantes de ligas menores, como Gibraltar e Estônia. Já na Rota da Liga, os representantes das grandes ligas seguem vivos, com destaque à virada que o Tottenham precisou buscar no duelo com o Paços de Ferreira.

Abaixo, um resumão das duas competições, com todos os classificados:

Liga Europa

A Liga Europa não teria grandes surpresas em relação aos jogos de ida, embora nem todos os favoritos tenham se classificado com tranquilidade. Um exemplo disso é o Rangers, que havia sofrido para derrotar o Alashkert em Ibrox por 1 a 0 e passou no fio da navalha durante a visita à Armênia. Os Teddy Bears fizeram o básico e avançaram com o empate por 0 a 0, mesmo com os adversários jogando com 10 homens desde o fim do primeiro tempo, após uma expulsão. Será a quarta participação consecutiva dos escoceses na fase de grupos da Liga Europa. Já a Armênia estreará na fase de grupos das copas europeias, com o Alashkert na Conference.

O Galatasaray passou pelo Randers, mas precisou buscar a virada em Istambul. Depois do empate por 1 a 1 na Dinamarca, os Leões venceram por 2 a 1 na Turquia. Já o Celtic aproveitou o resultado construído na ida contra o AZ. Os Bhoys ganharam por 2 a 0 em Glasgow e se valeram do placar agregado, depois da derrota por 2 a 1 em Alkmaar, de virada.

Um dos confrontos mais apertados reuniu Legia Varsóvia e Slavia Praga. Os poloneses tinham voltado com um bom resultado de Praga, com o empate por 2 a 2 na ida. E o Legia cumpriu seu dever de casa, ao vencer por 2 a 1 em Varsóvia. Uma expulsão logo aos três minutos atrapalhou o Slavia, mas ainda assim os poloneses tiveram que arrancar a virada, com dois gols de Mahir Emreli. E o único duelo da Liga Europa que não terminou no tempo normal teve a classificação do Royal Antuérpia. Após a derrota por 4 a 2 contra o Omonia no Chipre, os belgas deram o troco por 2 a 0 em casa. Sem mais o gol qualificado nas competições da Uefa, o duelo seguiu para prorrogação e pênaltis, com vitória dos anfitriões por 3 a 2 na marca da cal.

Vida mais fácil teve o Estrela Vermelha. Depois dos 4 a 0 sobre o Cluj em Belgrado, os sérvios também ganharam na Romênia, por 2 a 1. O Fenerbahçe tinha feito 1 a 0 sobre o HJK Helsinque em Istambul e ganhou por margem mais tranquila na Finlândia, por 5 a 2. Já o Rapid Viena encaminhou sua vida com os 3 a 0 sobre o Zorya Luhansk na Áustria e ganhou também na Ucrânia, por 3 a 2. O Olympiacos não conseguiu duas vitórias, mas, depois dos 3 a 0 na Grécia, o empate por 2 a 2 com o Slovan Bratislava na Eslováquia bastou. Por fim, o Sturm Graz venceu as duas contra o Mura da Eslovênia, aplicando 2 a 0 na Áustria nesta quinta.

Alashkert-ARM 0x0 Rangers-ESC
HJK Helsinque-FIN 2×5 Fenerbahçe-TUR
Zorya-UCR 2×3 Rapid Viena-AUT
Galatasaray-TUR 2×1 Randers-DIN
AZ-HOL 2×1 Celtic-ESC
Cluj-ROM 1×2 Estrela Vermelha-SER
Slovan Bratislava-ESQ 2×2 Olympiacos-GRE
Legia Varsóvia-POL 2×1 Slavia Praga-TCH
Sturm Graz-AUT 2×0 Mura-ESL
Royal Antuérpia-BEL 2×0 Omonia-CHP (3×2 nos pênaltis)

* Os classificados estão destacados em negrito. Os eliminados disputarão a Conference.

Já estavam garantidos automaticamente na fase de grupos da Liga Europa: Real Sociedad-ESP, Betis-ESP, Leicester-ING, West Ham-ING, Eintracht Frankfurt-ALE, Bayer Leverkusen-ALE, Napoli-ITA, Lazio-ITA, Lyon-FRA, Olympique de Marseille-FRA, Braga-POR, Lokomotiv Moscou-RUS

Repescados das preliminares da Champions: Brondby-DIN, Midtjylland-DIN, Monaco-FRA, Dinamo Zagreb-CRO, PSV-HOL, Sparta Praga-TCH, Ludogorets-BUL, Spartak Moscou-RUS, Ferencváros-HUN, Genk-BEL

Conference

Os holofotes nesta rodada da Conference se concentravam sobre o Tottenham. Os Spurs perderam para o Paços de Ferreira por 1 a 0 em Portugal e precisavam da reviravolta em Londres. A classificação veio com o triunfo por 3 a 0 dos anfitriões. Nuno Espírito Santo ainda repetiu vários titulares da ida, numa equipe cheia de nomes modestos, mas contou com o reforço essencial de Harry Kane no ataque. No “Dia do Fico”, o centroavante salvou sua equipe com dois gols.

Kane precisou de pouco mais de meia hora para virar a situação para o Tottenham. O artilheiro quase abriu o placar aos 17 segundos, mas não demorou tanto para realmente balançar as redes, aos nove minutos. Bryan Gil cruzou e o camisa 10 fuzilou com espaço. Aos 34, saiu o segundo, aproveitando um rebote. Já no segundo tempo, Giovani Lo Celso definiu a classificação aos 25, numa cobrança de falta. Vale ressaltar também que o banco de reservas estava mais recheado desta vez, com Kane dando lugar a Son Heung-min logo depois do terceiro.

A grande história da Conference League é o Lincoln Red Imps, de qualquer maneira. Gibraltar é o 52° colocado entre as 55 ligas que compõem o Ranking da Uefa, mas ainda assim vai colocar um clube pela primeira vez na fase decisiva de uma competição continental. Dono de seis dos últimos sete títulos nacionais, o Lincoln superou o Fola Esch na primeira fase da Champions e depois perdeu para o Cluj. Sucumbiu também para o Slovan Bratislava na Liga Europa, mas foi repescado para a Conference e fazia o jogo mais importante de sua história contra o Riga. Depois do empate por 1 a 1 na Letônia, a façanha aconteceu no Estádio Victoria, em Gibraltar. Durante os 90 minutos, o placar de 1 a 1 se repetiu. Já na prorrogação, Roy Chipolina e Kian Ronan foram os heróis que decretaram a vitória por 3 a 1 e a classificação à fase principal.

A outra surpresa da Rota dos Campeões foi o Flora Tallinn, da Estônia. A equipe eliminou o Shamrock Rovers, bem mais experimentado na fase de grupos dos torneios continentais. Os estonianos encaminharam a classificação em Tallinn, com a vitória por 4 a 2. Já em Dublin, os visitantes ratificaram a vaga com novo triunfo, agora por 1 a 0. Também será a primeira vez de um representante da Estônia na fase de grupos de uma competição da Uefa.

De resto, nada de surpresas na Rota dos Campeões da Conference. O Bodo/Glimt superou o Zalgiris Vilnius, com o triunfo por 1 a 0 na Noruega após o empate na Lituânia. O Maccabi Haifa, que tinha empatado no Azerbaijão, goleou o Neftchi Baku em Israel por 4 a 0. Já o Kairat Almaty venceu de novo o Fola Esch no Cazaquistão, emendando 7 a 2 no placar agregado. Vágner Love, que tinha marcado dois gols na ida, fez também mais um na volta por 3 a 1.

A Rota da Liga, por sua vez, guardou confrontos mais equilibrados. E alguns clubes tradicionais acabaram caindo cedo das copas europeias. Talvez a maior perda seja o Anderlecht, que tinham um duelo duríssimo contra o Vitesse. Os violetas sofreram no empate por 3 a 3 na Bélgica e perderam por 2 a 1 nos Países Baixos, com dois gols de Maximilian Wittek aos aurinegros. O Aberdeen se despediu com duas derrotas para o Qarabag, inclusive perdendo por 3 a 1 na Escócia. Outro escocês a cair fora foi o St. Johnstone, perdendo em casa para o LASK Linz por 2 a 0, após o empate fora. Já o Rennes encerrou a empreitada do Rosenborg, ganhando na Noruega por 3 a 1, após ter feito 2 a 0 na França.

Os representantes das cinco grandes ligas, aliás, confirmaram suas passagem para a Conference. Além de Tottenham e Rennes, também avançam Roma e Union Berlim – a Espanha, como teve o sétimo colocado Villarreal como campeão da Liga Europa, não contou com representantes nesta primeira edição. A Roma superou o Trabzonspor com uma segurança maior que a esperada. Tinha vencido por 2 a 1 na Turquia e anotou 3 a 0 no Olímpico. Bryan Cristante, Nicolò Zaniolo e Stephan El Shaarawy marcaram os gols. O Union Berlim tinha goleado o KuPS por 4 a 0 na Finlândia e passou com o empate por 0 a 0 na Alemanha. O destaque ficou para o belíssimo clima no Estádio Olímpico de Berlim, com a volta do clube às competições europeias após 20 anos.

A principal virada dessa fase da Conference foi vivida pelo CSKA Sofia. Os búlgaros tinham perdido por 2 a 0 na visita ao Viktoria Plzen e deram o troco pelo mesmo placar em Sofia. O jogo foi para a prorrogação e Jurgen Mattheij garantiu o triunfo por 3 a 0, que valeu a vaga, aos 14 do segundo tempo extra. O Partizan Belgrado também conseguiu a reviravolta contra o Santa Clara. Os sérvios perderam por 2 a 1 em Açores e ganharam por 2 a 0 em Belgrado. Os 3 a 0 do Gent na Bélgica evitaram a zebra do Raków Czestochowa, após o revés por 1 a 0 na Polônia. Já o PAOK construiu seu feito na Croácia: após o 1 a 1 em Salônica, despachou o Rijeka com os 2 a 0 fora de casa.

O Feyenoord tinha goleado o Elfsborg por 5 a 0 em Roterdã e tomou um susto na Suécia, com a derrota por 3 a 1, mas avançou da mesma maneira. Já o Basel correu mais riscos e, depois de ganhar do Hammarby por 3 a 1 na Suíça, perdeu por 2 a 0 na Suécia. O jogo teria um gol para cada lado na prorrogação, com Arthur Cabral evitando a eliminação dos suíços. E o brasileiro seria também herói nos pênaltis, convertendo a cobrança decisiva para o triunfo por 3 a 2.

A maior goleada foi registrada pelo Copenhague. Os dinamarqueses tinham vencido o Sivasspor na Turquia por 2 a 1 e resolveram enfiar 5 a 0 dentro de casa. Outro que sobrou foi o Jablonec, com a vitória por 3 a 0 sobre o Zilina na Eslováquia, complementando os 5 a 1 na República Tcheca. O Maccabi Tel Aviv foi mais econômico, mas venceu as duas contra o Shakhtar Karagandy e carimbou o passaporte. Quem não teve a mesma sorte foi o Hapoel Be’er Sheva, superado pelo Anorthosis Famagusta na visita ao Chipre após o empate em Israel.

Rota dos Campeões

Kairat Almaty-CAZ 3×1 Fola Esch-LUX
Bodo/Glimt-NOR 1×0 Zalgiris-LIT
Lincoln Red Imps-GIB 3×1 Riga-LET
Maccabi Haifa-ISR 4×0 Neftchi Baku-AZE
Shamrock Rovers-IRL 0x1 Flora Tallinn-EST

Rota da Liga

Zilina-ESQ 0x3 Jablonec-TCH
Anorthosis-CHP 3×1 Hapoel Be’er Sheva-ISR
Roma-ITA 3×0 Trabzonspor-TUR
CSKA Sofia-BUL 3×0 Viktoria Plzen-TCH
Elfsborg-SUE 3×1 Feyenoord-HOL
Copenhague-DIN 5×0 Sivasspor-TUR
Hammarby-SUE 3×1 Basel-SUI (2×3 nos pênaltis)
Rosenborg-NOR 1×3 Rennes-FRA
Vitesse-HOL 2×1 Anderlecht-BEL
Maccabi Tel Aviv-ISR 2×0 Shakhter Karagandy-CAZ
Gent-BEL 3×0 Rakow-POL
Rijeka-CRO 0x2 PAOK-GRE
St. Johnstone-ESC 0x2 LASK Linz-AUT
Union Berlim-ALE 0x0 KuPS-FIN
Aberdeen-ESC 1×3 Qarabag-AZE
Tottenham-ING 3×0 Paços de Ferreira-POR
Partizan Belgrado-SER 2×0 Santa Clara-POR

* Os classificados estão destacados em negrito.

Repescados da Liga Europa: Alashkert-ARM, HJK Helsinque-FIN, Zorya-UCR, Randers-DIN, AZ-HOL, Cluj-ROM, Slovan Bratislava-ESQ, Slavia Praga-TCH, Mura-ESL, Omonia-CHP

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo