Europa

Jogador perde pênalti com cavadinha e dá início ao caos no Juventus de Bucareste

Uma pergunta profunda: qual o pior dia da sua carreira? George Calintaru talvez tenha passado por situações piores que a do último sábado. Mas eu não acredito. O seu time, o Juventus de Bucareste, perdia para o vizinho Steua, por 2 a 1. Aos 50 minutos do segundo tempo, Calintaru teve a oportunidade de empatar cobrando pênalti. Mas bateu com aquela cavadinha ridícula que o goleiro adversário consegue até encaixar.

LEIA MAIS: Acima de tudo, Hagi é um apaixonado, e aplica esse sentimento pleno no projeto com o Viitorul

Em seguida, foi empurrado por um companheiro de equipe, que certamente não ficou feliz com a opção de cobrança de Calintaru; em frustração, socou uma parede dos vestiários e acabou indo parar no hospital; e o técnico Daniel Opriţa, talvez o mais esperto dessa história toda, pediu demissão. “É inútil continuar desta forma, arriscar minha saúde, minha família”, afirmou, segundo a imprensa romena, o ex-treinador do clube que acabou de chegar à primeira divisão da Romênia. “Eu fui para a batalha com uma chave de fenda para lutar com tanques”.

Em entrevista ao Libertatea, Calintaru explicou que a discussão com o companheiro Vali Barbulescu foi normal, “apenas algumas palavras mais duras”, e que não socou uma janela. “Foi uma parede. Cortei meu dedo, mas já fui costurado e estou bem”, disse. Questionado se estava se sentindo responsável pela saída do técnico, pediu desculpas. “Não posso fazer nada”, disse. Realmente, já fez o bastante.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo