Champions LeagueEuropa

Jackson Martínez precisou de cinco minutos para colocar água no chope do Shakhtar

Depois da estreia com empate diante do Athletic Bilbao, o Shakhtar esperava somar os três pontos que disputava com o Porto nesta segunda rodada, como mandante. E até o fim do jogo ia conseguindo isso, mas não contava com o fôlego final dos portugueses e principalmente de Jackson Martínez, que colocou todas as pretensões ucranianas por água abaixo. Aos 41 do segundo tempo, Luiz Adriano havia feito 2 a 0 para a equipe de Donetsk – que jogou em Lviv por segurança -, o que teoricamente “fechava o caixão”. Só esqueceram de avisar o atacante colombiano. Depois de passar 65 minutos assistindo ao jogo do banco, o goleador saiu da reserva para salvar a pele dos dragões.

VEJA TAMBÉM: Totti foi até a Inglaterra mostrar que a Roma não quer ser coadjuvante na Champions

Apenas três minutos depois do gol de Luiz Adriano, Rakitskiy desviou a bola com a mão dentro da área. Nesse caso a regra foi clara, e o Porto ganhou um pênalti. Com a frieza de quem ainda estava nos minutos iniciais de um jogo sem importância, Jackson Martínez ignorou a pressão que carregava sobre si e bateu com perfeição, na rede lateral do gol de Pyatov. Cinco minutos depois, no último lance da partida, Tello fez boa jogada individual pela esquerda e cruzou rasteiro para a área. Martínez, de novo, se antecipou ao marcador na primeira trave e completou para dar um pontinho fora de casa aos portugueses.

Nos pouco mais de 20 minutos que esteve em campo, Jackson Martínez finalizou três vezes. Duas entraram e uma parou em Pyatov.

Depois de passear com facilidade pelo Apoel em casa na estreia, com goleada por 6 a 0, o Porto esbarrou em seus próprios erros – como o pênalti desperdiçado no primeiro tempo – e quase acabou derrotado. A vitória dos cipriotas nesta segunda rodada, sobre o Athletic Bilbao, revela o equilíbrio do grupo e que o passeio dos dragões há duas semanas pode ter sido um ponto fora da curva. Agora o Porto vai para a terceira rodada como líder, com quatro pontos, mas vendo tudo embolado. Pelo menos sabe que pode contar com o faro de gols de Martínez para definir jogos tão equilibrados como os que devem vir por aí. Ele provou ser bem capaz de salvar a pele do time mesmo com o tempo bem contado.

Primeiro gol:

Gol de empate:

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador detectado

A Trivela é um site independente e que precisa das receitas dos anúncios. Considere nos apoiar em https://apoia.se/trivela para ser um dos financiadores e considere desligar o seu bloqueador. Agradecemos a compreensão.