Europa

Guia do Campeonato Suíço

O Campeonato Suíço 2011/12 se inicia envolto em grande expectativa. Um dos motivos é que depois de oito temporadas de domínio da dupla Basel e Zürich, surge um time com investimento forte e promessa de acabar com essa hegemonia: o Young Boys. Sem levantar o troféu há 25 anos, o clube amarelo e preto contratou o técnico Christian Gross, maior vencedor da história recente da Super League.

Apesar disso, o Basel, atual bicampeão, segue como principal favorito. Além de manter suas estrelas (como Alex Frei, Marco Streller, Granit Xhaka e a grande revelação Xherdan Shaqiri), o clube da Basileia foi ao mercado internacional e também se reforçou. Por sua vez, o Zürich, envolvido em dívidas e quase sem contratação alguma, é uma incógnita – embora tenha a tradição e o peso da camisa a seu favor.

A temporada também promete em termos de estrutura. Thun e Luzern acabam de inaugurar suas novas arenas, mostrando que, apesar de pequenos, estão com a saúde financeira em dia.

Por outro lado, vale a pena ficar de olho no que acontecerá ao Neuchâtel Xamax, vendido a um milionário russo que não diz de onde vem sua renda e que anda fazendo loucuras como trocar de técnico quatro vezes em três meses e promover a maior contratação da história da Super League: 1,7 milhão de euros pelo meia espanhol Víctor Sánchez.

Confira abaixo as fichas e possibilidades de todos os times da Super League, que é disputada em pontos corridos, com quatro turnos, e tem previsão de encerramento para maio (com parada entre dezembro e fevereiro).

Vagas europeias

Campeão: 2ª pré-eliminatória da Liga dos Campeões
Vice-campeão: 3ª pré-eliminatória da Liga Europa
3º colocado: 2ª pré-eliminatória da Liga Europa
Penúltimo: playoff do rebaixamento contra vice da segunda divisão
Último colocado: rebaixado

Legenda das transferências

Definitiva (Posição, time)
Empréstimo* (Posição, time)
Retorno de empréstimo# (Posição, time)

 

Basel

Nome: Fusball Club Basel 1893
Fundação: 15/nov/1893
Site oficial: www.fcb.ch
Estádio: St. Jakob Park (38.512 torcedores)
Técnico: Thorsten Fink
Colocação em 2010/11: campeão
Competição europeia: Liga dos Campeões (fase de grupos)
Destaque: Xherdan Shaqiri (M)
Fique de olho: Granit Xhaka (M)
Quem chegou: Kay Voser (D, Grasshopper), Park Joo Ho (D, Júbilo Iwata), Radoslav Kovác (D, West Ham), Fabian Frei# (M, St. Gallen), Marcel Herzog (G, MSV Duisburg), Pak Kwang-Ryong (A, Wil 1900), Pascal Schürpf# (M, Lugano).
Quem saiu: Behrang Safari (D, Anderlecht), Beg Ferati (D, Freiburg), Franco Costanzo (G, Olympiakos), Matthias Baron (A, Vaduz), Janick Kamber (D, Lausanne),
Objetivo na temporada: título

O Basel é o time a ser batido na Super League. Atual bicampeão e dono do troféu seis vezes nas últimas dez temporadas, a equipe da Basileia tenta defender sua hegemonia e ainda sonha com uma boa participação na fase de grupos da Liga dos Campeões.

Com as maiores estrelas do futebol suíço à sua disposição – entre elas a grande revelação Xherdan Shaqiri –, o técnico alemão Thorsten Fink sabe que tem nas mãos o melhor elenco do país. Nomes consagrados como Alex Frei e Marco Streller estão no grupo.

Os RotBlau também foram ao mercado. Entre as contratações, destaque para o zagueiro Radoslav Kovác, ex-West Ham. Tcheco, ele faz parte dos 40% de jogadores estrangeiros no elenco do Basel.

 

Grasshopper

Nome: Grasshopper Club Zürich
Fundação: 01/set/1886
Site oficial: www.gcz.ch
Estádio: Letzigrund (30.000 torcedores)
Técnico: Ciriaco Sforza
Colocação em 2010/11:
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Innocent Emeghara (A)
Fique de olho: Daniël de Ridder (A)
Quem chegou: Iacopo La Rocca (D, Bellinzona), Davide Taini (G, Wil 1900), João Paiva (A, Luzern), Orhan Mustafi (A, Arminia Bielefeld), Michael Lang (D, St. Gallen), Frank Feltscher (M, Bellinzona), Bruno Bertucci (D, Bragantino), Daniël de Ridder (A, Wigan), Denis Simijonovic* (M, Winterthur).
Quem saiu: Kay Voser (D, Basel), Vero Salatic (M, Omonia), Steven Lang* (M, Lausanne), Davor Landeka (M, HNK Rijeka), Swen König (G, Bellinzona), Alessandro Riedle (A, Bellinzona), Charyl Chappuis (D, Locarno), Dusan Cvetinovic (D, Vaduz), Milan Gajic# (M, Zürich), Enzo Ruiz (D, Bellinzona), Mirco Graf (A, Chiasso), Denis Simani* (D, Brühl), Raphael Spiegel (G, Wil 1900).
Objetivo na temporada: meio da tabela

A sétima colocação obtida na temporada 2010/11 está longe das tradições do Grasshopper, o maior vencedor do Campeonato Suíço, com 27 títulos. Mas a crise financeira que o clube atravessa e a falta de fortes investimentos em contratações levam a crer que os gafanhotos amargarão mais um ano sem conquistas – a última delas ocorreu em 2002/03.

O técnico Ciriaco Sforza, no comando do GC desde 2009, ainda assim acredita que seus comandados podem fazer bom papel. Para tanto, diz acreditar na força mental e na disciplina do grupo. Mas como somente esses fatores não são suficientes para ganhar um campeonato, Sforza terá de se desdobrar para levar o time, pelo menos, à classificação para a Liga Europa. Entre seus desafios está achar o substituto ideal para o volante Vero Salatic, que depois de oito anos e 130 jogos deixou o clube para atuar pelo Omonia, do Chipre.

 

Lausanne

Nome: Football Club Lausanne-Sport
Fundação: 1896
Site oficial: www.lausanne-sport.ch
Estádio: Stade Olympique de la Pontaise (15.850 torcedores)
Técnico: Martin Rueda
Colocação em 2010/11: campeão da segunda divisão
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Jocelyn Roux (A)
Fique de olho: Júnior Negão (A)
Quem chegou: Fabio Coltorti (G, Racing Santander), Marko Muslin (M, Wil 1900), Steven Lang* (M, Grasshopper), Frédéric Page (D, Neuchâtel Xamax), Janick Kamber (D, Basel), Mathieu Debonnaire (G, Stade Nyonnais), Nicolas Marin (M, Sion), Emil Lyng (A, Nordsjaelland), Júnior Negrão (A, Beerschot).
Quem saiu: Nicolas Gétaz (D, Stade Nyonnais), Abdul Carrupt (M, Stade Nyonnais), Rodrigo Tosi (M, Tractor Club), Silvio (A, Union Berlin), Martin Steuble (M, Wohlen),
Benoite Bryand (D, Stade Nyonnais).
Objetivo na temporada: fugir do rebaixamento

O Lausanne já teve seus dias de glória no futebol suíço. Mas faz tempo. O clube fundado por adolescentes numa tarde do outono de 1896 (não há registro da data) venceu o Campeonato Suíço sete vezes, a última delas em 1964/65. Na temporada passada, foi campeão da segunda divisão e conquistou o retorno para a Super League.

Com orçamento bem menor que os dos rivais, escapar do rebaixamento é prioridade no clube, que manteve o técnico Martin Rueda, grande responsável pelo acesso.
Mas como o sucesso também tem seu preço, o atacante Silvio, artilheiro da segunda divisão na temporada passada, foi embora. Em compensação, Rueda ganhou o reforço de Júnior Negão, outro atacante brasileiro.

 

Luzern

Nome: Fusball Club Luzern-Innerschweiz AG
Fundação: 12/ago/1901
Site oficial: www.fcl.ch
Estádio: Swisspoarena (17.500 torcedores)
Técnico: Murat Yakin
Colocação em 2010/11:
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Hakan Yakin (A)
Fique de olho: Jérôme Thiesson (D)
Quem chegou: Hochtrasser (M, Padova), Adrian Winter (M, St. Gallen), Jérôme Thiesson (D, Bellinzona), Sally Sarr (D, Wil 1900), Jahmir Hyka (M, Tirana).
Quem saiu: Christophe Lambert (D, Bellinzona), João Paiva (A, Grasshopper), Dusan Veskovac (D, Young Boys), Elsad Zverotic (D, Young Boys), Thomas Prager (M, Rapid Viena).
Objetivo na temporada: meio da tabela

Se não tem expectativas de terminar o campeonato entre os primeiros colocados, o torcedor do Luzern, por outro lado, possui motivos para comemorar desde as primeiras rodadas. O clube acaba de inaugurar seu novo estádio, a Swisspoarena, com capacidade para 17.500 pessoas.

A abertura da nova casa coincidiu com a chegada do milionário egípcio Samih Sawiris, que comprou 12,5% das ações do clube. Com ele, veio o novo treinador, Murat Yakin, que na temporada passada classificou o Thun para a Liga Europa.

Dentro de campo, porém, poucas novidades. A manutenção do artilheiro Hakan Yakin e a contratação do zagueiro francês Jérôme Thiesson são as maiores esperanças da torcida, que viu o clube ser campeão suíço apenas uma vez, na temporada 1988/89.

 

Neuchâtel Xamax

Nome: Neuchâtel Xamax Football Club
Fundação: 1970
Site oficial: www.xamax.ch
Estádio: Stade de la Maladière (12.000 torcedores)
Técnico: Joaquín Caparrós
Colocação em 2010/11:
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Víctor Sánchez (M)
Fique de olho: David Navarro (D)
Quem chegou: Logan Bailly* (G, Borussia Mönchengladbach), Mike Gomes (D, Yverdon), Max Veloso (M, Biel), Víctor Sánchez (M, Getafe), David Navarro (D, Valencia), Vincent Bikana (D, sem clube), Carlão* (A, Kashima Antlers), Edgar Benítez (A, Pachuca), Irakli Chirikashvili (M, Sioni).
Quem saiu: Raphaël Nuzzolo (M, Young Boys), Freddy Mveng (M, Young Boys), Frédéric Page (D, Lausanne), Agonit Sallaj* (D, Biel), Shkelzen Gashi (M, Aarau), Gerard Gohou (A, Denizlispor), Fausto (A, Leixões), Federico Almerares (A, Belgrano).
Objetivo na temporada: fuga do rebaixamento

O Neuchâtel Xamax, que por muito pouco não foi rebaixado no campeonato passado, começou a atual temporada envolvido num turbilhão de crises. O clube foi vendido a um magnata russo de origem chechena, Bulat Chagaev, que não revela o valor de sua fortuna e nem a origem dela.

Mal chegou a Neuchâtel, Chagaev começou a causar polêmica. Uma delas foi a contratação do meia espanhol Víctor Sánchez por 1,7 milhão de euros, o maior valor já pago na Super League. Outra foi a liberação gratuita do capitão do time, o também meia Raphael Nuzzolo, para o Young Boys.

Não bastasse isso, o novo dono do Xamax ainda mostrou ser bem impaciente. Entre maio e julho, quatro treinadores passaram pelo clube. Quem também sentiu a mão pesada de Chagaev foi o goleiro brasileiro Galatto (aquele mesmo que defendia o Grêmio na Batalha dos Aflitos). Recém-contratado, ele foi demitido após tomar três gols na estreia.

 

Servette

Nome: Servette Football Club Genève 1890
Fundação: 20/mar/1890
Site oficial: www.servettefc.ch
Estádio: Stade de Genève (30.084 torcedores)
Técnico: João Alves
Colocação em 2010/11: vice-campeão da segunda divisão
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Eudi (A)
Fique de olho: Carlos Saleiro (A)
Quem chegou: Ishmael Yartey* (M, Beira-Mar), Barroca (G, Tourizense), Issaglia Diallo (D, Locarno), Abdoulaye Fall (M, La Vitréenne), Carlos Saleiro (A, Sporting).
Quem saiu: Saná (M, Valladolid), Thierry Moutinho* (M, Badajoz), Filipe Poceiro (A, Carouge), Artrit Ajdini (M, Carouge).
Objetivo na temporada: meio da tabela

Segundo maior vencedor da história do Campeonato Suíço, com 17 títulos, o Servette está de volta à primeira divisão e quer usar a tradição como aliada para manter-se entre os principais clubes do país e, em médio prazo, voltar a figurar entre os grandes (o último título aconteceu em 1998/99).

Os Grenats mantiveram o técnico português João Alves e o atacante brasileiro Eudi, principais nomes da campanha do acesso. A língua portuguesa, aliás, será bastante falada em Genebra durante a temporada: são dois brasileiros e dois portugueses no elenco, além de vários portugueses na comissão técnica.

Dentre os lusitanos, destaque para o atacante Carlos Saleiro, contratado junto ao Sporting e esperança de gols para a torcida grená, que sonha em ver o time, pelo menos, sem correr risco de rebaixamento.

 

Sion

Nome: Football Club de Sion
Fundação: 1909
Site oficial: www.fc-sion.ch
Estádio: Stade de Tourbillon (10.187 torcedores)
Técnico: Laurent Roussey
Colocação em 2010/11:
Competição europeia: Liga Europa (playoff)
Destaque: Obradovic (M)
Fique de olho: Giovanni Sio (A)
Quem chegou: Mario Mutsch (M, Metz), Pascal Feindouno (M, Monaco), Stefan Glarner (M, Thun), José Gonçalves (D, St. Gallen), Guilherme Afonso (A, Lugano),
Gabri (M, Umm-Salal), Mohamed Traoré (M, Club Africain).
Quem saiu: Loïc Chatton (A, Lugano), Nicolas Marin (M, Lausanne), Domínguez (M, Samsunspor).
Objetivo na temporada: meio da tabela

Sabe aquele time que antes do campeonato começar não é apontado como favorito, mas que se fizer grande campanha ninguém ficará surpreso? É o caso do Sion. Atual campeão da Copa da Suíça e quarto colocado na última Super League, o time trabalha sem chamar a atenção dos críticos, mas nem por isso deve ser considerado como carta fora do baralho.

Com mais contratações do que dispensas, o clube manteve a base da temporada passada e se reforçou bem. A maior parte do elenco é estrangeira: são 67% de jogadores vindos de outros países, entre eles alguns sem tradição alguma no futebol, como Luxemburgo, República da Guiné, Mali e Laos.

No comando da legião estrangeira está o francês Laurent Roussey, no cargo desde fevereiro deste ano. Se é pouco provável que chegue ao título, o Sion certamente dará trabalho aos grandes. Vale a pena ficar de olho.

 

Thun

Nome: Fusballclub Thun 1898
Fundação: 01/mai/1898
Site oficial: www.fcthun.ch
Estádio: Arena Thun (10.000 torcedores)
Técnico: Bernard Challandes
Colocação em 2010/11:
Competição europeia: Liga Europa (2ª pré-eliminatória)
Destaque: Christian Schneuwly (M)
Fique de olho: Mauro Lustrinelli (A)
Quem chegou: Mauro Lustrinelli (A, Bellinzona), Christian Schneuwly (M, Young Boys).
Quem saiu: Timm Klose (D, Nürnberg), Markus Neumayr (M, Bellinzona), Stefan Glarner (M, Sion), Nick Proschwitz (A, Paderborn 07).
Objetivo na temporada: meio da tabela

As maiores novidades do Thun para a temporada não estão dentro do gramado. Uma delas é o técnico Bernard Challandes, que assinou contrato de um ano e chega com a credencial de ter salvo o Neuchâtel Xamax do rebaixamento no último campeonato. A outra é o próprio estádio: a Arena Thun, com capacidade para 10 mil espectadores e inaugurada às vésperas do início da Super League.

Se pode se orgulhar de ter uma casa moderna – inclusive anexa a um centro comercial –, o torcedor do Thun, porém, sabe que dentro de campo as coisas não devem ser muito diferentes da temporada passada. O elenco ganhou apenas dois reforços e uma nova classificação para a Liga Europa já será vista como importante conquista.

 

Young Boys

Nome: Berner Sport Club Young Boys
Fundação: 14/mar/1898
Site oficial: www.bscyb.ch
Estádio: Stade de Suisse (31.783 torcedores)
Técnico: Christian Gross
Colocação em 2010/11:
Competição europeia: Liga Europa (3ª pré-eliminatória)
Destaque: Henri Bienvenu (A)
Fique de olho: Ben Khalifa (A)
Quem chegou: Raphaël Nuzzolo (M, Neuchâtel Xamax), Dusan Veskovac (D, Luzern), Elsad Zverotic (D, Luzern), Freddy Mveng (M, Neuchâtel Xamax), Michael Silberbauer (M, Utrecht), Ben Khalifa* (A, Nürnberg), Jan Lecjaks (M, Anderlecht).
Quem saiu: Senad Lulic (M, Lazio), Thierry Doubaï (M, Udinese), Christian Schneuwly (M, Thun), Adriano De Pierro* (D, Stade Nyonnais), Hrvoje Bukovski* (G, Kriens), Sven Zimmermann* (D, Kriens).
Objetivo na temporada: título

Ao contratar o técnico Christian Gross, o Young Boys mandou o recado aos rivais: quer ser campeão e vai fazer de tudo para isso. Gross é o maior vencedor do campeonato suíço na história recente: foram quatro títulos com o Basel e dois com o Grasshopper.
A obsessão pelo troféu pode ser explicada pelo jejum do YB, que já dura 25 anos. Proporcionalmente ao tempo sem títulos nacionais deve ser a pressão da torcida amarela e preta, ao mesmo tempo ansiosa e esperançosa pela conquista.

Além do novo treinador, a diretoria investiu na contratação por empréstimo do atacante Ben Khalifa, da seleção sub-21 da Suíça, e manteve o atacante camaronês Henri Bienvenu, artilheiro da equipe na temporada passada.

 

Zürich

Nome: Fusballclub Zürich
Fundação: 01/ago/1896
Site oficial: www.fcz.ch
Estádio: Letzigrund (30.000 torcedores)
Técnico: Urs Fischer
Colocação em 2010/11:
Competição europeia: Liga dos Campeões (3ª pré-eliminatória)
Destaque: Alexandre Alphonse (A)
Fique de olho: Admir Mehmedi (A)
Quem chegou: Milan Gajic# (M, Grasshopper),
Quem saiu: René Borkovic* (G, Bellinzona), Ali Nafkha* (M, Étoile du Sahel), Tito Tarchini (M, Chiasso), Remo Staubli (M, Aarau), André Gonçalves (D, Aarau), George Ivanishvili (M, Bellinzona),.
Objetivo na temporada: título

A temporada promete ser dura para o Zürich, 12 vezes campeão suíço e que dividiu com o Basel a hegemonia de títulos nos últimos oito anos. Envolvido numa dívida estimada em 7,6 milhões de euros, o clube praticamente fechou os cofres e não investiu em contratações para a temporada atual.

Segundo o diretor esportivo Fredy Bickel, o elenco ainda não está fechado e novos nomes poderão chegar até o final de agosto. Mas é certo que o FCZ não terá vida fácil em 2011/12, ainda que sua tradição e as boas campanhas das temporadas recentes o credenciem como postulante ao título.

O alento do técnico Urs Fischer, que parte para sua segunda temporada no comando do Zürich, é a manutenção da dupla Alexandre Alphonse e Admir Mehmedi, os artilheiros da equipe no último campeonato.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo