Europa

Duas lindas assistências de Saka ajudaram o Arsenal a resgatar a classificação – e até a temporada

O Arsenal fez o que o Arsenal tantas vezes faz – e deveria realmente tentar parar de fazer: tornou o jogo de volta contra o Benfica mais difícil do que ele de fato estava. Ficou muito próximo de ser eliminado, o que seria um baque duro à sua temporada, mas outra assistência de qualidade Bukayo Saka e outro gol de Aubameyang resgataram a classificação a minutos do fim da vitória por 3 a 2, em Atenas.

O momento na Premier League é de poucas vitórias. Apenas uma e três derrotas nas últimas quatro rodadas, após uma breve arrancada. Isso significa que a vaga na Champions League por meio do Campeonato Inglês ficou mais distante. A diferença atual é de 11 pontos para o quarto lugar. Não há mais copa inglesa para tentar um trofeuzinho.

A Liga Europa parece o último refúgio contra uma temporada perdida, e a eliminação para o Olympiacos na prorrogação na temporada passada surgiu como um fantasma quando o Benfica fez 2 a 1 no segundo tempo, obrigando os ingleses a fazerem dois gols para não serem eliminados – o empate daria a vantagem aos Encarnados nos gols fora de casa, o que é meio maluco pensando que o jogo foi na Grécia.

O primeiro tempo não indicava que seria necessária tanta emoção. Não é que o Arsenal fez um jogo perfeito, mas havia aberto o placar e sofrera muito pouco na defesa. Fez 1 a 0 no primeiro lindo passe de Saka para Aubameyang. O jovem inglês recebeu pela direita, abriu espaço e soltou lançamento rasteiro que cortou as linhas de defesa e meio-campo do Benfica. Bastou ao craque do Arsenal tocar por cima do goleiro Helton Leite.

O próprio Saka teve uma boa oportunidade, ativado por Ceballos, mas Helton fez uma grande defesa. O jogador do Arsenal parecia impedido. No outro lado, o Benfica não fazia nada. Seferovic apareceu em uma boa situação pela esquerda, livre e dentro da área, mas chutou muito mal, e Vertonghen teve uma cabeçada por cima do travessão.

No entanto, aos 43 minutos, Ceballos fez falta em cima de Weigl na entrada da área, e Diogo Gonçalves cobrou com perfeição para mandar o jogo empatado ao intervalo. Aubameyang marcou outra vez encobrindo Helton Leite no começo do segundo tempo, agora em passe de Odegaard, mas o gol foi anulado por impedimento.

E então, Ceballos falhou feio. Tentou recuar o chutão de Helton Leite para Bernd Leno da altura do meio-campo, não pegou bem na bola – e mesmo se tivesse pegado, que jogada arriscada, ein Ceballos – e Rafa Silva interceptou. Tirou o goleiro do Arsenal com um toque e entrou com bola e tudo.

Com apenas meia hora pela frente, o Arsenal precisava marcar duas vezes. E é um atestado forte do momento fraco do Benfica o fato de não ter sido tão difícil assim. Tierney recebeu de Willian dentro da área, limpou Everton sem problemas, e bateu cruzado para empatar. Darwin Núñez até ameaçou matar o jogo com uma batida rasteira de fora da área, bem próxima da trave.

Mas quem estava com o pé afiado era Saka. Recebeu pela ponta direita, levou ao pé esquerdo e cruzou rasteiro para a segunda trave, onde Aubameyang apareceu para cabecear na boca do gol e colocar o Arsenal à frente.

O Benfica conseguiu dar um susto danado aos 48 minutos do segundo tempo, com uma cabeçada de Rafa Silva no pé da trave, mas a jogada também estava em posição de impedimento. Para a sorte da temporada do Arsenal.

.

.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo