Europa

Dinheiro público

O Rapid Viena é o time mais popular da Áustria e o maior campeão nacional, mas não tem estádio próprio. Joga no Gerhard Hanappi, que é municipal, mas está arrendado ao clube até o ano de 2039.

Inaugurado em 1977, o “Santo Hanappi”, como é conhecido pelos torcedores do Rapid, vem apresentando sinais de desgastes pelos seus 34 anos e precisa de uma boa reforma. Pelo menos é o que alega a Prefeitura de Viena, que resolveu investir 17,7 milhões de dólares na reforma do estádio, o segundo em capacidade na cidade – com seus 17.500 lugares perde somente para o Ernst Happel (também municipal), onde cabem 50.800 pessoas.

A obra já tem data para acontecer. E vai demorar. Será somente após o término da temporada 2012/13 do Campeonato Austríaco. Como a previsão para a conclusão dos trabalhos é de aproximadamente um ano, a Religião Verde se prepara para atuar em 2013/14 longe de casa – provavelmente no Happel, onde já manda os dérbis contra o Áustria Viena.

Avaliar a necessidade ou não da reforma no Hanappi, sem conhecê-lo de perto, seria leviano. Mas é necessário registrar – e estranhar: nenhuma notícia publicada nos principais órgãos de imprensa da Áustria sobre o assunto trouxe à tona a discussão sobre a importância da obra. Algo bem diferente do que ocorre no Brasil, com a intensa cobrança que os governantes recebem por colocarem dinheiro público, seja em espécie ou em forma de isenção de impostos, na construção ou reformas de estádios país afora.

E é justamente nesse ponto que mora a intrigante questão. Por mais que o Hanappi seja um estádio municipal, ele “está” particular, já que, como arrendatário, o Rapid Viena pode utilizá-lo da maneira que bem entender. Por que, então, é a Prefeitura, e não o próprio clube, quem vai bancar a reforma? Difícil imaginar uma resposta, ainda mais sabendo que o principal beneficiado com as melhorias será o time e sua torcida.

A única voz contrária que se levantou foi a do conselheiro distrital Wolfgang Krisch. Ainda assim, sua bronca não está na gastança de verba pública com um estádio praticamente particular, mas sim na falta de informações sobre como a obra afetará a vizinhança do Hanappi. Em seu site particular, Krisch afirmou que teme pelo sofrimento dos moradores de Hütteldorf (distrito de Viena onde está localizado o estádio).

Basicamente, as obras vão transformar o Hanappi num centro de treinamento. Vários campos de futebol serão construídos no entorno do estádio, possibilitando que os times de todas as categorias da Religião Verde treinem por ali, inclusive as escolinhas. Isso, aliás, torna-se outro álibi dos favoráveis à reforma, já que atende uma exigência da Bundesliga.

Os € 17,7 milhões públicos também serão gastos nas melhorias do sistema de aquecimento do gramado e de espaços como escritórios, setor de imprensa, camarotes e estacionamento. Há também a possibilidade, ainda não confirmada, da ampliação do estádio para até 25 mil lugares.

Vale ressaltar que o outro time importante da capital austríaca, o Áustria Viena, também foi ajudado pelo poder público alguns anos atrás para reformar a sua Generali-Arena.

Como se vê, lá como cá os governantes gostam de fazer média com os torcedores ajudando os clubes com dinheiro público. Mas como lá, diferentemente de cá, necessidades básicas como educação, segurança, saúde e transporte público funcionam, quase ninguém chia com seus impostos indo parar em estádios.

CURTAS

ÁUSTRIA

– O atacante brasileiro Alan ainda se recupera de uma cirurgia para recompor  o ligamento cruzado do joelho direito e ficará de fora de todo o restante da temporada, informou o técnico do Red Bull Salzburg, Ricardo Moniz. O clube procura um substituto para o jogador.

– O técnico Franco Foda permanecerá no comando do Sturm Graz até o término da temporada. Ele havia declarado que sairia do clube no final do ano passado, mas disse que foi interpretado mal e que cumprirá seu contrato até o fim – mas não o renovará.

SUÍÇA

– O tratamento recebido por Admir Mehmedi no Dynamo Kiev chamou a atenção da imprensa suíça. Houve até quem fizesse matéria destacando que, na Ucrânia, o jogador tem à disposição motorista particular e casa com “cozinha espaçosa, sala de estar com TV de tela plana e uma elegante Jacuzzi no banheiro”.

– Está marcado para esta semana o julgamento do Neuchâtel Xamax, que ao que tudo indica deve ser declarado falido e perderá o direito de disputar o Campeonato Suíço. É bem provável, portanto, que a Super League entre em 2012 com apenas nove times.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo