Europa

Croácia honrou as lágrimas e o sacrifício de Srna dedicando-lhe os gols

Darijo Srna chorou. Alinhado com os companheiros, não segurou as lágrimas ao ouvir o hino croata antes de jogar contra a República Tcheca, pela segunda rodada da fase de grupos da Eurocopa. Foi a reação natural ao se lembrar de onde estava menos de uma semana atrás. No domingo, enterrou o pai, e ele só esteve em campo em Saint-Étienne para realizar o último desejo do senhor Srna.

LEIA MAIS: Só a Croácia quis jogar, mas vitória escapou contra a República Tcheca em um pênalti estúpido

“Todos sabem qual foi o último desejo do meu pai”, contou o capitão croata antes do jogo. “Era que eu voltasse para jogar pela seleção. Ele investiu tudo que tinha na vida na minha carreira. Eu não estaria aqui se não fosse por ele”.

 

Durante o jogo, os seus companheiros honraram as lágrimas e o sacrifício que Srna fez para estar em campo, abrindo 2 a 0 em menos de uma hora contra a República Tcheca. Todos abraçaram-no nos dois gols, mas o segundo, de Rakitic, foi especialmente dedicado a ele. O jogador do Barcelona olhou para a torcida apontando para Srna e pedindo aplausos. Uma maneira singela de homenageá-lo.

 

A República Tcheca conseguiu reagir e empatou em 2 a 2. Os sinalizadores também desviaram as atenções da partida, que, no entanto, Srna nunca esquecerá. “Foi o jogo mais difícil da minha carreira. Lutamos bem. Parabéns aos meus companheiros”, encerrou.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo