Europa

Como seria um jogo de futebol dirigido por Tarantino? E por Wes Anderson? A BBC imaginou e o resultado ficou sensacional

O programa A View From The Terrace criou melhores momentos inspirados nos dois diretores, a partir de dois jogos da terceirona escocesa

Você não precisa saber de antemão que Quentin Tarantino e Wes Anderson trabalharam em certos filmes para perceber que são eles os diretores. Ambos os cineastas possuem linguagens singulares, que se reproduzem em diferentes de suas produções e se tornam bastante reconhecíveis por seus estilos únicos. Diante disso, a BBC Scotland resolveu fazer um exercício de imaginação dos mais interessantes: e se Wes Anderson resolvesse dirigir os melhores momentos de um jogo de futebol? Ou como ficaria então uma partida recontada por Tarantino? O resultado é sensacional.

As experiências aconteceram ainda antes da pandemia, em dois jogos da terceira divisão do Campeonato Escocês. O estilo de Wes Anderson foi reproduzido nas filmagens de Arbroath e Airdrieonians, no acanhado Gayfield Park. A simetria e os ângulos dos filmes do americano são emulados pela BBC, além da inspiração na própria trilha sonora e nos caracteres. O mesmo acontece com Tarantino, durante o Brechin City x Dumbarton em Glebe Park. Não há o final sanguinolento tão característico dos filmes do cineasta, mas a ação nos movimentos de câmera e o foco nos detalhes lembram bastante. Nos dois curtas da BBC Scotland, porém, os lances do jogo são secundários. O mais importante é captar a atmosfera, sobretudo das arquibancadas.

Os vídeos foram exibidos pelo programa “A View From The Terrace”, da BBC Scotland. Não são exatamente novos, mas vale ver – especialmente para quem é fã de “O Grande Hotel Budapeste”, “Pulp Fiction” ou outro filme dos dois cineastas. Curiosamente, o Arbroath conquistou o acesso naquela temporada, enquanto o Brechin City foi rebaixado.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo