Europa

City, enfim, passa às oitavas, mas ainda tem o que provar

Foi um passeio na Inglaterra. Sergio Agüero, inspirado, e Álvaro Negredo, afiado, comandaram a goleada por 5 a 2 do Manchester City contra o CSKA Moscou. O clube inglês, pela terceira vez seguida na Liga dos Campeões, finalmente conseguiu passar de fase, mas ainda tem algumas coisas a provar para definitivamente ser considerado um time de primeira linha.

Era impossível imaginar que Viktoria Plzen e CSKA Moscou conseguiriam desafiar os milhões de euros gastos por Manuel Pellegrini. A fragilidade do grupo contribuiu muito para a classificação do City às oitavas de final porque o clube inglês ainda não provou que consegue enfrentar os grandes e os gigantes de igual para igual.

Na temporada 2011/12, o time de Roberto Mancini chegou a ganhar do Bayern de Munique, mas perdeu do Napoli, na Itália, e caiu para a Liga Europa. Na edição seguinte, a campanha foi ainda pior. Nenhuma vitória em seis jogos e a lanterna do grupo que tinha Real Madrid e Borussia Dortmund. Ficou atrás até do Ajax.

O comando do time mudou, bons jogadores, como Negredo, foram contratados e a vaga veio, mas, no jogo grande, o City voltou a fraquejar. A contribuição de Joe Hart foi decisiva, mas o Bayern de Munique ganhou na Inglaterra, sem sustos. Para vida dos ingleses ser longa na Liga dos Campeões, isso também precisa mudar.

Bayern de Munique cumpre com a obrigação

Não foi o massacre da rodada passada, e o Bayern de Munique até demorou para garantir a vaga, mas também está classificado. Pep Guardiola deu tempo de jogo para alguns reservas, como Mario Götze, Daniel Van Buyten e Diego Contento. Mais uma vez, o centroavante Mario Mandzukic foi decisivo e marcou o gol da vitória.

Na Alemanha, o Bayern deu 35 chutes no gol dos tchecos. Desta vez, foram apenas 20 arremates. O curioso é que o Viktoria Plzen finalizou 11 vezes, mas acertou apenas uma. Com essa pontaria, fica difícil ameaçar o atual campeão europeu.

Lucas ganha chance e Ibrahimovic faz mais um
Ibrahimovic empatou para o PSG contra o Anderlecht (Foto: AP)
Ibrahimovic empatou para o PSG contra o Anderlecht (Foto: AP)

Com a lesão de Edinson Cavani, o brasileiro Lucas ganhou uma chance entre os titulares do Paris Saint Germain contra o Anderlecht na Liga dos Campeões e foi muito bem. O ex-jogador do São Paulo foi um dos jogadores que mais tocaram na bola. Deu oito dribles, chutou quatro vezes a gol e acertou 94% dos passes.

O mais importante do time, porém, ainda foi Zlatan Ibrahimovic. Pouco depois do gol de Demy de Zeeuw, o sueco saiu cara a cara com o goleiro Salvatore Sirigu, mas errou o chute. Deu sorte, porque a bola bateu na trave e voltou no seu pé.

O time de Laurent Blanc chegou a dez pontos, seis de vantagem para o terceiro colocado Benfica, que perdeu do Olympiakos. A classificação ainda não está garantida porque o primeiro critério de desempate é confronto direto, mas duvido que Ibrahimovic deixe que os portugueses vençam por quatro gols de diferença em Portugal.

Não mudou nada

Se a quarta rodada do Grupo A não tivesse acontecido, acho que ninguém teria percebido. Os dois jogos terminaram zero a zero e a situação ficou a mesma de antes, com um jogo a menos para os quatro times. Na Espanha, o Manchester United desperdiçou um pênalti, perdeu dois gols incríveis contra a Real Sociedad e ainda teve Marouane Fellaini expulso. Lidera, com oito pontos. O Shakhtar Donetsk empatou com o Bayer Leverkusen, em casa, e tem dois pontos de desvantagem para o adversário e três para o líder. A diferença é que os ucranianos pegam os ingleses no Reino Unido e os alemães na Alemanha. Isso pode fazer a diferença.

 

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo