Champions League

[Vídeo] De Gerd Müller a Jô, o passado dos confrontos das quartas de final da Champions

Os quatro principais favoritos ao título da Champions League deram a sorte de não se cruzar nas quartas de final. O sorteio reservou um pouco mais dificuldades ao Barcelona, contra a carne de pescoço que é o Atlético de Madrid, seu algoz em 2014. Assim como ao PSG, em duelo equilibrado contra o Manchester City, que já garantirá ao vencedor a melhor campanha desde o enriquecimento. E Benfica e Bayern, se não fazem o jogo sob as maiores expectativas, sem dúvidas reúnem as camisas mais pesadas.

Abaixo, reunimos os antecedentes entre os adversários por copas europeias. A exceção fica para Real Madrid e Wolfsburg, que acontecerá pela primeira vez. Confira:

DEBATE: Essas são as quartas de final da Liga dos Campeões

Bayern de Munique x Benfica
6 jogos, 4 vitórias do Bayern e 2 empates

O retrospecto no confronto é amplamente favorável aos alemães. Afinal, além da invencibilidade, eles anotaram 15 gols e tomaram apenas quatro nos encontros com os encarnados. A maior goleada aconteceu justamente no momento mais emblemático para as duas equipes, nas quartas de final da Copa dos Campeões de 1975/76. Então bicampeão, o Bayern encarou um Benfica em transformação, mas que permanecia hegemônico em Portugal – com seis títulos nacionais entre 1971 e 1977. No entanto, após o 0 a 0 em Lisboa, os bávaros não tiveram piedade em Munique: enfiaram 5 a 1, com direito a dois tentos de Gerd Müller. Depois disso, o Bayern ainda se impôs nas oitavas da Champions de 1981/82, com direito a três gols de Dieter Hoeness nos 4 a 1 em Munique, e nas oitavas da Copa da Uefa de 1995/96. Nesta última ocasião, Jürgen Klinsmann balançou as redes seis vezes: fez quatro em Michel Preud-homme durante a vitória por 4 a 1 em casa e mais dois nos 3 a 1 de Lisboa. Acabou campeão e artilheiro do torneio.

Barcelona x Atlético de Madrid
2 jogos, 1 vitória do Atleti e 1 empate

A memória sobre o passado do clássico em competições europeias permanece fresca. A única vez que Barça e Atleti se cruzaram foi na Champions de 2013/14, com doces lembranças para os colchoneros. O time de Simeone atravessava o seu ápice, batendo os blaugranas no torneio continental e também no Campeonato Espanhol. Se os catalães viviam uma entressafra com Tata Martino, os madrilenos não quiseram nem saber: arrancaram o empate por 1 a 1 no Camp Nou, com Diego abrindo o placar a partir de um golaço e Neymar buscando a igualdade. Já no Vicente Calderón, Koke decidiu aos cinco minutos, para a entrega do Atlético prevalecer diante da posse de bola improdutiva dos rivais.


Paris Saint-Germain x Manchester City
1 jogo e 1 empate

Os novos ricos se enfrentaram não faz tanto tempo assim, em 2008/09. Um jogo simbólico justamente por representar o antecedente à ascensão regada com as fortunas. Não à toa, aconteceu pela Copa da Uefa. Em uma época na qual a fase de grupos do torneio só contava com um duelo entre os times, o PSG visitou Manchester. Fizeram um pouco empolgante empate por 0 a 0, que valeu a classificação de ambos para os mata-mata – ainda que não tenham ido além das quartas de final, com os franceses caindo diante do Dynamo Kiev e os ingleses sucumbindo ao Hamburgo. O Manchester City, com o início dos investimentos do xeique Mansour, já contava com Hart, Zabaleta e Kompany. Mas também Jô, Elano e Vasell. O PSG, por sua vez, ainda era um importante clube da França sem cofres tão cheios. Era comandado por veteranos de renome, entre eles Makélélé, Giuly e Kezman.

Bônus

Já que a Liga Europa também contará com um jogaço entre Borussia Dortmund e Liverpool, também vale resgatar uma memória. Em 2001/02, as duas equipes se enfrentaram pela primeira fase de grupos da Champions. Depois do empate por 0 a 0 no Westfalenstadion, os Reds venceram por 2 a 0 em Anfield, com gols de Smicer e Stephen Wright. O resultado na última rodada relegou os aurinegros à Copa da Uefa, da qual foram vice-campeões naquela edição. Owen, Gerrard, Carragher e Heskey estavam entre os destaques dos ingleses, enquanto os alemães contavam com Rosicky, Koller, Lehmann e Metzelder. Infelizmente, não há vídeos disponíveis sobre aqueles confrontos.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo