Champions League

United tirou o melhor de um encaixe que lhe é favorável e goleou o RB Leipzig: 5 a 0

Sendo um dos maiores e mais ricos clubes do mundo, é raro que o Manchester United entre em um jogo em posição real de inferioridade, ou como a zebra, mas, quando recebe permissão para atuar como se fosse assim, sem precisar se impor, podendo esperar os contra-ataques, é letal. Ainda mais letal quando os seus homens de frente estão inspirados. Ainda mais letal quando o adversário simplesmente desencana do jogo quando leva dois gols em cinco minutos. Com uma tripleta de Marcus Rashford, os Red Devils dizimaram o RB Leipzig por 5 a 0.

Desde que Ole Gunnar Solskjaer assumiu o comando, ele busca um time que corra bastante, ataque com velocidade e objetividade. Se há ainda dificuldade para furar defesas fechadas, tem feito isso com qualidade contra adversários que, com linha defensiva alta e um sistema agressivo de pressão, dão campo para eles correrem. Como faz o RB Leipzig de Julian Nagelsmann.

Como todo embate entre estratégias diferentes, o xis da questão é quem executa melhor a sua. O placar elástico pode dar a entender que o Manchester United o fez cinco vezes melhor que o RB Leipzig, mas não foi bem assim. Até os 29 minutos do segundo tempo, os Red Devils eram melhores, mas travavam uma partida relativamente equilibrada. Encaixaram dois contra-golpes perfeitos, fizeram 3 a 0 e depois aproveitaram os espaços que o Leipzig desistiu de lhes negar.

Fred foi um dos destaques. Solskjaer abriu mão de um tridente ofensivo para tê-lo ao lado de Matic, Pogba e Van de Beek. O brasileiro foi responsável pela primeira ação perigosa da partida, um chute da entrada da área que desviou em Angeliño e exigiu defesa de Péter Gulácsi, e depois foi essencial para a jogada do primeiro gol. Roubou a bola na altura do meio-campo e deixou com Pogba, que avançou pela esquerda e soltou na medida para Mason Greenwood aparecer nas costas de Upamecano. Chute rasteiro de canhota, e 1 a 0 para o United.

O Leipzig respondeu com uma Nkunku batendo pela direita da grande área para defesa de De Gea, mas, embora tivesse mais posse de bola e dominasse as ações, os alemães tiveram dificuldades para furar a enfim bem postada defesa do Manchester United. Por volta da metade do segundo tempo, Solskjaer colocou Rashford na vaga de Greenwood e Bruno Fernandes no lugar de Van de Beek. Precisou aguardar apenas alguns minutos para ver os resultados.

Ele estava de costas, sabe? Mas um milésimo de segundo antes de receber o passe, ainda no campo defesa, Bruno Fernandes deu uma rápida olhadinha para ver onde estava Rashford. Há meses atuando ao seu lado, sabia também que o garoto sairia em disparada. Então, nem precisou pensar: emendou um passe rasteiro que cortou a pressão do Leipzig e lançou Rashford. Completamente livre, o membro do Império Britânico invadiu a área e tocou na saída de Gulácsi. Estava tão livre que parecia impedido, mas o assistente de vídeo notou que ele havia partido do campo de defesa.

Três minutos depois, Fred roubou outra bola, agora de Sabitzer na intermediária ofensiva. Rashford recolheu, passou por Upamecano – com alto potencial, mas em dia bem ruim – e bateu cruzado para ampliar para 3 a 0. E aí virou uma questão de quantos gols o United queria fazer. Rashford chegou a enfileirar quatro dentro da área antes de ver seu chute de canhota bloqueado. Anthony Martial, livre, ficou bem irritado. Mas teve chance de fazer o seu quando foi derrubado, também por Sabitzer, ao invadir a área entre os zagueiros do Leipzig. Cobrou bem o pênalti.

Rashford abriu mão de anotar a sua tripleta ao conceder o pênalti a Martial, mas foi recompensado, nos acréscimos. O companheiro acelerou pela esquerda – dá até para sentir os jogadores do Leipzig pensando “mas, cara, o jogo já acabou, por que você ainda tá correndo?” – e passou para Rashford dominar na marca do pênalti e emendar um forte chute no canto de Gulácsi para fechar a goleada.

O resultado é excepcional ao Manchester United, que passou dos dois adversários mais difíceis do grupo somando seis pontos e agora terá dois jogos contra o Istambul Basaksehir para selar a vaga nas oitavas de final. O Leipzig, empatado em três pontos com o Paris Saint-Germain, terá praticamente um mata-mata em ida e volta contra os franceses.

.

.

Foto de Bruno Bonsanti

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.
Botão Voltar ao topo