Champions League

Um Sporting fatal implode o Dortmund na decisão do Alvalade, se classifica às oitavas e deflagra a decepção aurinegra

O Sporting se defendeu muito bem e puniu os erros do Dortmund nos contragolpes, voltando aos mata-matas da Champions após 13 anos

O Estádio José Alvalade recebeu um jogo de mata-mata nesta quarta-feira, mesmo ainda valendo pela fase de grupos da Champions League. Sporting e Borussia Dortmund decidiam, na penúltima rodada, quem se classificaria na segunda colocação do Grupo C. Por conta da vitória no Signal Iduna Park por 1 a 0, os aurinegros jogavam pelo empate para pelo menos se aproximar da vaga, enquanto o triunfo antecipava o serviço. Aos sportinguistas, a vitória por dois ou mais gols de diferença valia já a classificação, embora o resultado simples deixasse a equipe bem perto da vaga graças ao saldo geral. E o que se viu foi a implosão do BVB, numa das noites europeias mais desastrosas do clube. Mesmo com a posse de bola, os alemães foram inócuos. Perderam para um Sporting excepcional na defesa, e ao mesmo tempo cirúrgico no ataque. Pedro Gonçalves, o Pote, estava inspirado e marcou dois gols, mesmo perdendo um pênalti no fim. O estrago completo provocado pelos leoninos selou a eliminação do Dortmund, com a vaga nas oitavas carimbada por sonoros 3 a 1 no placar.

O Sporting vinha com força máxima no Estádio José Alvalade. O destaque ficava para o trio ofensivo no 3-4-3 de Rúben Amorim, formado por Pablo Sarabia, Pedro Gonçalves e Paulinho. No meio, João Palhinha e Matheus Nunes formavam a forte dupla central. Já o Dortmund seguia sem poder contar com Erling Braut Haaland, além de outros nomes importantes, como Thorgan Hazard e Youssoufa Moukoko. Para piorar, Mats Hummels cumpria suspensão pela injusta expulsão contra o Ajax. Reinier era a novidade na armação, com Marco Reus e Julian Brandt jogando mais abertos nas pontas. Donyell Malen surgia como homem de referência.

Os primeiros minutos de jogo começaram com o Borussia Dortmund se prontificando a sair para o ataque. Os aurinegros contavam com muita movimentação de seus homens de frente e mantinham a posse de bola, mas sem encontrar muitas brechas na marcação do Sporting. Mesmo que os alemães tentassem abrir o jogo nas pontas, a criação da equipe era mínima. E os sportinguistas, um tanto quanto passivos, aguardavam o momento certo para atacar. Ele aconteceu aos 30, com o primeiro gol dos anfitriões.

O lance nasceu a partir de um chutão de Sebastián Coates ao campo de ataque. Nico Schulz tentou dominar e furou. Com isso, Pedro Gonçalves invadiu a área sozinho e tocou por baixo de Gregor Kobel, para abrir o placar. O Sporting parecia ganhar confiança e Axel Witsel teria que bloquear Pablo Sarabia pouco depois. E sem que o Dortmund conseguisse transformar sua posse de bola em oportunidades, os leoninos ampliaram aos 39. Num passe afastado parcialmente por Manuel Akanji, a sobra ficou limpa para Pote, na entrada da área. O atacante bateu de primeira, com curva, e mandou fora do alcance de Kobel, num bonito tento.

O Dortmund ainda tentou responder de imediato, mas nem isso conseguiu em sua melhor chance no primeiro tempo. Brandt enfiou a bola e Malen conseguiu passar por Adán, mas, quando finalizou com a meta aberta, Gonçalo Inácio apareceu de maneira espetacular para afastar a bola quase em cima da linha de cabeça. Os aurinegros ainda tentaram um abafa na reta final, para diminuir o prejuízo rumo ao segundo tempo, sem sucesso.

O Dortmund voltou para o segundo tempo com Emre Can no lugar de Nico Schulz na lateral esquerda. A equipe, de fato, indicou maior agressividade. Conseguiu alguns escanteios e se postou no campo ofensivo, mas também deu espaço para o Sporting contragolpear. Quase o terceiro saiu aos três minutos, quando Pote serviu Sarabia, mas o espanhol escorregou e Kobel fez a defesa no mano a mano. E quando os aurinegros finalmente balançaram as redes, num gol contra, o lance acabou anulado por impedimento de Thomas Meunier no chute que resultou na jogada.

O Sporting ainda se mostrava mais perigoso nos contra-ataques, mesmo sem concluir bem. E a pressão do Dortmund arrefeceu aos poucos, até Marco Rose vir com três alterações de uma vez – com Steffen Tigges, Dan-Axel Zagadou e Mahmoud Dahoud. Nada que surtisse efeito num jogo letárgico dos aurinegros. Pior, os alemães logo começaram a se irritar, enquanto os leoninos se defendiam bem e gastavam o tempo. O ápice do destempero prejudicaria totalmente o BVB, aos 30 minutos, quando Emre Can iniciou uma confusão e recebeu o vermelho direto por se enroscar com Pedro Porro. Se a missão parecia duríssima, ficava impossível com dez.

O cenário horrível para o Borussia Dortmund se tornaria pior aos 41. Um pênalti foi cometido por Zagadou sobre Paulinho, com a marcação anotada graças ao VAR. Na cobrança, Kobel até chegou a impedir a tripleta de Pote, mas Pedro Porro estava atento no rebote e marcou o terceiro de cabeça. O jogo parecia resolvido na reta final e o BVB ainda tentou dar um mínimo sinal de vida. Brandt finalizou o perigo e o gol solitário saiu aos 48, num cruzamento da esquerda desviado no primeiro pau até Malen cutucar para dentro. Ainda que os aurinegros precisassem só de mais um gol para evitar a eliminação antecipada, contudo, o milagre não veio.

As críticas são compreensíveis a um trabalho que não engrena com Marco Rose, em decepção imensa nesta Champions. A defesa do Borussia Dortmund segue caótica, enquanto o ataque se mostra cada vez mais dependente de Haaland. A eliminação é bem compreensível, ainda mais com o renascimento dos sportinguistas após o mau início na competição. Os lisboetas foram fatais, como marca do ótimo trabalho de Rúben Amorim, e cumpriram sua missão num jogo com tamanha importância.

O Grupo C é liderado pelo Ajax, com 15 pontos e 100% de aproveitamento, confirmado na primeira colocação. Já o Sporting comemora a classificação com os nove pontos, pois a vantagem no confronto direto com o Dortmund confirma a vaga por antecipação. Os leoninos não avançavam aos mata-matas da Champions desde 2008/09. O Dortmund, na terceira posição com seis pontos, vai jogar a Liga Europa. Pelo menos não corre risco de ser alcançado pelo lanterna Besiktas, com um ponto.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo