Champions League

‘Hora de quebrar a sequência’: técnico do Dortmund desafia Real às vésperas da final

Técnico do Borussia Dortmund admite força e tradição do Real, mas se diz confiante em interromper reinado merengue

Está chegando a hora. Real Madrid e Borussia Dortmund medem forças neste sábado (1), a partir das 16h (horário de Brasília), no Estádio de Wembley, em jogo válido pela final da Champions League. Edin Terzić, técnico do time aurinegro, concedeu entrevista coletiva nesta terça-feira (28), e obviamente o tema central do papo com a imprensa não poderia ser outro.

‘Bombardeado’ de perguntas sobre a decisão, o comandante alemão esbanjou bom-humor e seriedade, e respondeu cada um dos questionamentos.

Terzić não escondeu a alegria com a oportunidade de disputar uma final de Champions pelo Borussia Dortmund, seu clube do coração. O jovem treinador, de 41 anos, celebrou a trajetória aurinegra até Wembley e garantiu que o grupo está fechado em prol de um só objetivo: levantar a taça mais cobiçada do futebol europeu.

— Esta sala nunca esteve tão cheia e sentimos que a final está chegando. Era exatamente o que queríamos, vivenciar isso no final da temporada. Queremos esse grande troféu e estamos focados no que nos espera no sábado. O treino mostrou que estamos em forma e entusiasmados. É isso que queremos mostrar no sábado em Wembley (…) Chegamos muito bem. Toda a equipe está disponível, e isso se dá graças ao trabalho de todos. Cuidamos de todos os detalhes porque sabemos que é no final da temporada que os jogadores têm que estar disponíveis. Estamos prontos, com o objetivo de vencer a final — disse Terzić.

Acreditar até o fim: este é o lema de Terzić

A última e única vez que o Borussia Dortmund se sagrou campeão da Champions League foi em 1997. Na temporada 2012/13, os Aurinegros retornaram à decisão, mas amargaram o vice-campeonato diante do Bayern de Munique. Para Terzić, chegou o momento do clube retomar o protagonismo e alcançar o topo do futebol europeu pela segunda vez.

— Precisamos acreditar que podemos alcançar grandes coisas. Temos que fazer de tudo para trazer o troféu de volta para Dortmund. Já faz muito tempo desde a última conquista.

O treinador confessou não ter preparado nenhum discurso motivacional, porém, assegurou que encontrará as palavras certas durante a preleção no vestiário de Wembley.

— Não preparei essas palavras. Podemos falar das nossas experiências como equipe, não sei. Sei que encontrarei as palavras certas antes do jogo. O mais importante não é a final da Champions League, mas sim os 60 jogos que disputamos antes para estarmos aqui.

Medo ou respeito ao Real Madrid?

Dono de 14 títulos de Champions, o Real Madrid é o grande bicho-papão da Europa. Terzić e seus comandados estão cientes disso. Respeitar a força e tradição do maior clube do mundo é o primeiro passo para superá-lo em uma final continental. Mais do que desafiar o rei da Europa, o Borussia quer fazer história em Wembley.

Pés no chão e humildade? Sim, claro. Mas, por que não acreditar? O Dortmund acredita e tentará derrubar o gigante madridista.

— O mais importante é que se quisermos vencer a Champions League temos de vencer os campeões. Agora enfrentaremos os campeões absolutos. Eles viveram esta experiência 14 vezes e venceram cinco vezes nos últimos dez anos. Mas o nosso objetivo é sempre dividir tudo num jogo (…) Oito finais de Champions League e nunca perderam. Porém, o que importa não é o que aconteceu nas oito finais anteriores. O que importa é apenas a próxima. É hora de quebrar essa sequência — pontuou Terzić, antes de concluir:

— Eles fazem as coisas extremamente bem. Completaram uma mudança geracional incrível sem perder qualidade. Estudamos muito o Real Madrid e estudamos muitas situações, mas o Real Madrid sempre vence. Eles só perderam duas vezes nesta temporada, contra o Atlético. Por isso temos que prestar atenção a muitos detalhes.

Como Borussia e Real Madrid se saíram na temporada?

Dortmund

  • Quinto colocado da Bundesliga, com 63 pontos conquistados — 18 vitórias, nove empates e sete derrotas;
  • Eliminado nas oitavas de final da Copa da Alemanha, para o Stuttgart;
  • Líder do Grupo F da Champions League, com 11 pontos. PSG, Milan e Newcastle, nesta ordem, completaram a configuração da chave;
  • Eliminou PSV (oitavas de final), Atlético de Madrid (quartas de final) e PSG (semifinal)

Real Madrid

  • Campeão de LaLiga com quatro rodadas de antecedência — 95 pontos ganhos — 29 vitórias, oito empates e uma derrota;
  • Eliminado nas oitavas de final da Copa do Rei, para o Atlético de Madrid;
  • Campeão da Supercopa da Espanha, com direito a goleada por 4 a 1 sobre o Barcelona na final;
  • Líder do Grupo C da Champions League, com 18 pontos e 100{62c8655f4c639e3fda489f5d8fe68d7c075824c49f0ccb35bdb79e0b9bb418db} de aproveitamento;
  • Eliminou RB Leipzig (oitavas de final), Manchester City (quartas de final) e Bayern de Munique (semifinal)
Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Jornalista pela UNESA, nascido e criado no Rio de Janeiro. Cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na Trivela, é redator e escreve sobre futebol brasileiro e internacional.
Botão Voltar ao topo