Champions League

Schmeichel operou mais um milagre no final para salvar o Leicester na Champions

Quatro jogos, nenhum gol sofrido. Ao lado do Sevilla, o Leicester conta com a melhor defesa da Liga dos Campeões. E deve todos os agradecimentos a Kasper Schmeichel. Outra vez, o goleiro realizou uma defesa fantástica para segurar o resultado nos últimos instantes. O duelo contra Andreas Cornelius se repetiu, assim como havia acontecido no Estádio King Power, há duas semanas. Mas a cabeçada perigosíssima, no canto, parou nas mãos milagrosas do camisa 1. Em sua cidade natal, o dinamarquês garantiu o empate por 0 a 0 diante do Copenhague, que praticamente valeu a classificação das Raposas às oitavas de final.

O jogo no Estádio Parken não foi dos mais brilhantes tecnicamente. Os dois times pareciam impotentes no ataque. O Copenhague conseguia ser um pouco mais perigoso, mas só porque a linha de zaga do Leicester tentava a todo instante entregar o jogo. Do outro lado, os homens de frente das Raposas mal conseguiam aparecer. Com a bola insistindo em passar longe do arco nos arremates, dava a impressão que os goleiros não trabalhariam. Até Schmeichel se agigantar, aos 45 do segundo tempo.

Cornelius conseguiu cabecear a bola mesmo saltando entre Morgan e Huth. Porém, se os zagueiros vivem péssimo momento, o goleiro vai compensando. Com a ponta dos dedos, Schmeichel desviou. Não foi uma defesa tão difícil quanto a anterior contra o Copenhague, mas valeu tanto quanto. Um lance que, aliás, lembra o seu pai, pela explosão e pelo ótimo tempo de reação sob as traves. Ao lado de Riyad Mahrez, o dinamarquês vem sendo o melhor jogador do Leicester nesta Liga dos Campeões.

Com 10 pontos, o time de Claudio Ranieri se aproxima bastante das oitavas de final. São três pontos de vantagem sobre o Porto e cinco sobre o Copenhague. Além disso, as Raposas ainda recebem o Club Brugge, saco de pancadas do grupo, no Estádio King Power. Se a situação na Premier League não anda tão boa, o sonho resiste na Champions, e com boas chances de pegar um sorteio mais tranquilo nas oitavas.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo