Champions League

Real Madrid de Benítez não convence, mas o PSG de Blanc também não

Real Madrid e Paris Saint-Germain já tinham feito um jogo bem sem graça há duas semanas, quando se enfrentaram em Paris. O 0 a 0 foi o placar, mas poderia ter sido a nota dos dois times. Nesta terça, em Madri, o jogo foi bem melhor, o resultado foi diferente, mas ainda assim, decepcionante. Isso porque o Real Madrid venceu, mas esteve longe de jogar bem e menos ainda de convencer.

LEIA TAMBÉM: Após 404 minutos sem marcar, United quebra jejum e conquista uma pequena folga na Champions

O PSG, por sua vez, não se intimidou por jogar na casa do adversário, mas falhou demais para marcar, o que resultou em uma derrota por 1 a 0 com um gol ridículo. O time de Laurent Blanc, mais uma vez, teve chance de vencer um time grande e não conseguiu. E deveria levar isso ao divã.

Jogar fora de casa não foi um problema para o Paris Saint-Germain. O time foi muito bem no Santiago Bernabéu, conseguiu criar boas chances e, com 25 minutos de jogo, já tinha chegado quatro vezes com perigo. O Real Madrid criava pouco, chegava pouco ao ataque com qualidade. Eram raras as jogadas trabalhadas pelo time merengue.

Era melhor no jogo quando sofreu o gol de Nacho, aos 35 minutos. Kroos chutou, a bola desvioue m Thiago Silva e o goleiro Trapp saiu do gol para evitar o escanteio. Só que ele calculou mal, Nacho ficou com a bola e tentou jogar para o meio. Acertou o gol.

O PSG pressionou, acertou a trave com Rabiot, mas continuava impreciso nas finalizações. Cavani, no final do primeiro tempo, perdeu uma chance clara depois de passe de Di María. O próprio meia argentino perdeu uma chance no início do segundo tempo. O time melhorou um pouco com a entrada de Lucas Vazquez. Mas a bola continuava mais com o PSG, assim como os visitantes também chutavam mais. Cavani, em um jogo fraco, não conseguiu dar sequência nas jogadas.

É muito difícil falar em merecimento no futebol, porque o esporte não é só ter boas ideias, é preciso saber aproveitar oportunidades. O time francês precisa de mais do que isso. Mais do que ir até a casa do adversário e não se intimidar. É preciso marcar gols, vencer. O time chegou perto, é verdade, com bolas na trave, de Rabiot e Di María. Ibrahimovic, mais uma vez, não conseguiu ser decisivo como se espera dele em um jogo deste tamanho. Cavani, outra das estrelas supermilionárias do time, também decepcionou. Di Maria foi o melhor do time, mais participativo, tentou, mas o Paris foi ineficiente.

A vitória do Real Madrid classifica o time nas oitavas de final, com 10 pontos. O Paris Saint-Germain, apesar dessa derrota, deve se classificar também, mas agora possivelmente será segundo colocado e viverá um drama parecido com o das últimas temporadas, correndo risco de enfrentar um time forte já nas oitavas de final.

Muito mais importante que isso, porém, é saber se impor, saber vencer jogos que estão ao seu alcance. Na fase de grupos, os times jogam com muito menos intensidade e é claro que será diferente quando a vaga estiver em jogo.

Ao Real Madrid, a questão para reflexão é que o time joga muito menos do que poderia, parece ter muito menos recursos de jogo do que tinha na temporada passada. A situação continua tranquila, tanto no Campeonato Espanhol quanto na Champions League. Só que o futebol ainda está aquém e será preciso jogar mais para quem quiser sonhar com todos os títulos na temporada, como Cristiano Ronaldo já disse que quer. Ele mesmo esteve bem abaixo do seu próprio nível nos dois jogos com o PSG. Vitória é sempre bom, mas é preciso saber que há muito a ser feito para chegar ao nível mais alto.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo