Champions League

O Sevilla deu sinais de melhora, mas o empate na Alemanha encaminha a classificação do Dortmund

O Sevilla teve mais segurança defensiva e alguns bons momentos na partida, mas nada suficiente para a vitória

O Borussia Dortmund veio de uma semana desgastante. Depois de golear o Sevilla no Ramón Sánchez-Pizjuán, em duelo não tão fácil quanto o resultado faz parecer, o BVB arrancou no último suspiro o empate no clássico contra o Bayern. Assim, a queda de desempenho nesta terça-feira de Champions League não surpreendeu. Também nem preocupou, já que o empate por 1 a 1 no reencontro com o Sevilla deixou a classificação mais próxima aos aurinegros. Treinados agora por Jorge Sampaoli, após a demissão de Julen Lopetegui, os andaluzes deram sinais positivos especialmente por evitarem as repetidas falhas na defesa. No entanto, pareceu um time sem tantas ambições na reta final de jogo dentro do Signal Iduna Park. Talvez já agrade a ideia de buscar a Liga Europa, quando só um milagre salvará a vaga na Champions.

O Borussia Dortmund mudou cinco nomes em relação ao empate com o Bayern de Munique. Gregor Kobel estava de volta ao gol, enquanto Tom Rothe fazia sua estreia como titular na Champions pela lateral esquerda. Já na frente, Karim Adeyemi e Anthony Modeste eram recompensados pela importância no Klassiker. Melhor do time nas jornadas recentes, Jude Bellingham estava mantido na cabeça de área, ao lado de Salih Özcan. Já o Sevilla tinha sua principal mudança com Jorge Sampaoli no banco, em sua reestreia na Champions. O argentino poupou muitas peças contra o Athletic Bilbao, mas foram menos trocas em relação à goleada para o BVB na semana passada – apenas quatro. Marcão e Tanguy Nianzou eram adições importantes na zaga. Marcos Acuña substituía Alex Telles na ala esquerda. Já na frente, Erik Lamela acompanhava Suso e Youssef En-Nesyri.

O Sevilla conseguiu encaixar melhor o seu jogo de início. Tinha mais velocidade nas jogadas e passou a incomodar dentro da área. Um grande susto aconteceu aos 12, num passe de Jesús Navas para Ivan Rakitic chegar rasgando, mas o chute saiu centímetros acima do travessão. Os andaluzes, além do mais, transmitiam um pouco mais de capacidade nos combates com Marcão na zaga. O Dortmund sequer conseguia finalizar. E a partida se tornou mais favorável para os visitantes aos 18, com o primeiro gol. Ivan Rakitic cobrou uma falta pelo lado esquerdo e Tanguy Nianzou subiu sem muito incômodo para definir de cabeça.

O Borussia Dortmund saiu mais para o jogo depois de tomar o gol. Contava com a participação de Malen, Brandt e Adeyemi, que garantiu a primeira boa chegada, mas Bono se antecipou a Anthony Modeste. Também houve a reclamação de um pênalti não marcado sobre Jude Bellingham. O ritmo dos aurinegros aumentava, com trocas de passes mais rápidas, que testavam melhor a defesa do Sevilla. O empate aconteceu aos 35, num lance pela direita. Thomas Meunier cruzou e Bellingham apareceu no meio do pagode para finalizar com desvio em Nianzou. O tento animou o BVB, que poderia ter virado pouco depois, num tiro de Bellingham por cima.

O Sevilla retomou a partida com mais atitude no segundo tempo. Nada que durasse tanto tempo, já que o Borussia Dortmund conteve o ímpeto e voltou a sair mais. As mudanças começaram aos 15 minutos. Isco e Adnan Januzaj eram novidades nos andaluzes, enquanto Youssoufa Moukoko entrou na vaga de Modeste pelo lado alemão. Quase o tento dos rojiblancos veio nesta sequência. Januzaj desperdiçou uma chance livre, quando estava impedido. Já aos 22, Kobel fez a diferença com uma senhora defesa para ampliar a área do corpo e boquear o desvio de Lamela após escanteio.

As duas equipes voltaram a renovar suas energias na reta final, com o Dortmund no comando das ações. A equipe não criava tanto, exceção feita a algumas bolas cruzadas, e parecia confortável com o empate. Também não se notava no Sevilla uma pressa para a situação desesperadora na tabela. O último quarto do relógio careceu de grandes emoções, com os sevillistas ainda precisando lidar com mais uma lesão de Marcão, substituído nos acréscimos. A esta altura, a eliminação parece bem próxima.

O Borussia Dortmund chega aos sete pontos no Grupo G, três a menos que o líder Manchester City. De qualquer maneira, a vantagem sobre o Sevilla é de cinco pontos, com o confronto direto favorável aos alemães. Dependerão somente de um empate nas duas últimas rodadas. Com dois pontos, os sevillistas parecem conformados em disputar a Liga Europa que tanto amam. Mesmo assim precisam tomar cuidado, já que o Copenhague chegou também aos dois pontos nessa rodada e só está atrás por um gol no saldo.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo