Champions League

O primeiro gol de Weigl como profissional não poderia ser melhor: uma pintura decisiva ao Dortmund

A maturidade em campo nem parece indicar um jogador de apenas 21 anos. Pois Julian Weigl precisou de pouco tempo para se tornar o dono da meia-cancha do Borussia Dortmund. Nesta terça, entretanto, o novato extrapolou sua missão no gramado. Como de costume, trancou a cabeça de área e se encarregou da organização da equipe na saída de bola. Mas também decidiu. Foi dele o gol que garantiu o triunfo por 2 a 1 sobre o Sporting, dentro do Estádio José Alvalade, importantíssimo para as pretensões dos aurinegros na Champions. O primeiro tento de sua carreira, após 62 partidas pelo clube e (somando também seleção principal e Munique 1860) 128 no total.

O jogo em Lisboa até pareceu tranquilo ao Borussia Dortmund em um primeiro momento. Em uma jogadaça de Pierre-Emerick Aubameyang, os alemães precisaram de nove minutos para abrir o placar. O artilheiro partiu em velocidade, passou à frente da defesa e teve enorme calma na hora de definir, com belíssimo toque por cobertura na saída de Rui Patrício. Os aurinegros tinham a iniciativa e dominavam, mesmo fora de casa. Apenas depois de 30 minutos é que o Sporting acordou para o jogo.

A noite ficou intensa a partir de então. Bürki realizou uma grande intervenção para barrar o empate de Elias, enquanto os portugueses chegaram mesmo a balançar as redes, em lance que terminou anulado por falta discutível de Bas Dost. Do outro lado, porém, o Dortmund respondia com velocidade. Foram três lances perigosos em sequência, com destaque a uma defesaça de Rui Patrício, em chute de Aubameyang no contrapé. De qualquer maneira, os lisboetas cresciam. Até Weigl tranquilizar a situação, com uma pintura aos 43.

O volante já fazia o seu papel com excelência. Limpava os trilhos à frente da zaga, oferecendo muito combate. Enquanto isso, também beirava a perfeição na distribuição de jogo, terminando a noite como o jogador que mais efetuou passes. Até demonstrar uma aptidão que os aurinegros não conheciam para balançar as redes. O jovem roubou a bola de William Carvalho e deu um corte seco em Elias, antes de bater no canto, longe do alcance de Rui Patrício. Um lance fundamental no Alvalade.

Para o segundo tempo, o Sporting tomou a iniciativa. O Dortmund tentava esfriar o jogo, um pouco mais recuado, controlando a posse de bola, mas começou a sofrer nos ataques dos anfitriões. O gol sportinguista, de qualquer forma, saiu apenas em um erro. Bartra recuou a bola para Bürki e o árbitro anotou. Na cobrança da infração dentro da área, Bruno César encheu o pé para estufar as redes.

O Dortmund preferiu, então, renovar suas forças na defesa. Piszczek e Rode entraram nos lugares de Ginter e Bartra. Outro destaque aurinegro, Pulisic poderia ter feito o terceiro, em chutaço de fora da área que explodiu no travessão. De qualquer maneira, o gol parecia mesmo mais próximo dos leoninos, explorando os lados do campo e o jogo aéreo. Os alemães seguraram a vantagem até o fim.

A vitória em Lisboa é praticamente um certificado ao Dortmund para os mata-matas. Contra o adversário que mais poderia ameaçar a classificação, um triunfo imponente fora de casa, apesar dos percalços. Além disso, o time de Thomas Tuchel fecha a primeira metade da fase de grupos à frente do Real Madrid, graças ao saldo de gols. Ao que parece, a próxima missão será mesmo na visita ao Bernabéu, para definir quem ficará com a valiosa liderança.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo