Champions League

O lado direito do Ajax funciona tão bem porque, além de Antony voando, conta com o ótimo Mazraoui

Em grande atuação no Estádio da Luz, o lateral direito do Ajax foi eleito o melhor em campo pela Uefa

O Ajax está entre os times mais bem treinados do mundo não é de hoje. O trabalho de Erik ten Hag é excepcional há um bom tempo e tem chances de chegar ao ápice nesta Champions League. Os Godenzonen têm um caminho duro para tentar repetir a semifinal de 2018/19, é verdade. Mesmo assim, protagonizaram grandes momentos no empate por 2 a 2 com o Benfica. Os mecanismos funcionaram bem, principalmente no primeiro tempo. Noussair Mazraoui foi um dos responsáveis, em momento que o coloca entre os melhores laterais da temporada.

Mazraoui é mais uma cria da base do Ajax e compõe a equipe principal faz um bom tempo. Sua chegada à aconteceu em 2017/18 e ele já seria um nome constante na equipe marcante de 2018/19. Foram 11 partidas naquela Champions, com dois gols anotados na fase de grupos, contra Bayern e o próprio Benfica. Porém, o marroquino seria eclipsado por outros jogadores bem mais badalados naquele momento. Não era um dos talentos mais requisitados no mercado.

Desde então, Mazraoui cresceu. Amadureceu seu futebol e subiu degraus na hierarquia do Ajax. Superou problemas de lesão que atravancaram suas duas temporadas anteriores e atravessa sua melhor sequência pelo clube atualmente. É evidente sua importância no sistema de Erik ten Hag, pela segurança que confere pelo lado direito do campo e pela forma como também desequilibra partidas. A dobradinha com Antony por aquele flanco é uma das principais armas dos Godenzonen.

Pela Eredivisie, Mazraoui vive uma temporada artilheira. O lateral marcou cinco gols na competição e decidiu até partida de peso contra o PSV. Os números dos Godenzonen na liga são brutais. Mesmo assim, é na Champions que a produtividade do marroquino ganha mais vitrine. Não precisou acumular gols ou assistências para ser uma figura importante na equipe, por sua capacidade no apoio e pelo equilíbrio defensivo. Algo que se notaria também diante do Benfica.

Ofensivamente, Mazraoui foi um dos melhores do time. As combinações com Antony fluíam e o defensor também criava bons lances. O primeiro gol saiu na conta do lateral, que roubou a bola, tabelou e cruzou com perfeição para a linda conclusão de Dusan Tadic. Ele apareceria na área inclusive para concluir, mas parou ambas as vezes em Odysseas Vlachodimos. Além disso, o marroquino foi bem competente na marcação. Mesmo com o cartão tomado ainda no primeiro tempo, ele fechou seu lado e não deixou Everton Cebolinha se criar por ali. O problema foi maior na outra ponta, onde Rafa Silva incomodava bastante.

Mazraoui talvez não fique muito tempo no Ajax. Possui um futuro aberto pela frente, aos 24 anos, e talento para se estabelecer por mais tempo entre os melhores de sua posição. Por enquanto, os Godenzonen desfrutam de mais um prata da casa acima da média. E que se mostra um diferencial para as pretensões do time na Champions, como aconteceu em Lisboa.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo